Fundo do Baú

O terrorismo da extrema-esquerda, parte I: O sequestro do voo Lufthansa 181

Quando terroristas da Frente Popular para a Libertação da Palestina tentaram libertar membros da Fração do Exército Vermelho

Com este, o Implicante inicia uma série de breves textos nos quais pretende relembrar algo que a imprensa adora esquecer: a extrema-esquerda existiu, existe e leva o horror a vários lugares do mundo. Sempre sob o pretexto de implementar o socialismo – ou simplesmente atacar o capitalismo.

Foi o caso do sequestro do voo Lufthansa 181 protagonizado pela Frente Popular para a Libertação da Palestina. Por cinco dias, 85 passageiros e 5 tripulantes ficaram reféns de 4 terroristas que tinham por objetivo libertar prisioneiros da Fração do Exército Vermelho ou, na sigla alemã, RAF, grupo também conhecido como Baader-Meinhof.

Sim, trata-se da mesma dupla homenageada no título da canção da Legião Urbana. Foi esse o mote explorado pelo canal Aviões & Música para relatar o ocorrido com a aeronave em outubro de 1977 – mas a descrição dos acontecimentos em vídeo é bem melhor que a chamada.

A narração dos fatos começa aos 3 minutos e 20 segundos, mas o vídeo inteiro merece ser visto. Se você não tem 14 minutos sobrando, o Implicante sugere clicar no botão em forma de engrenagem e escolher a velocidade “2” para transmissão. Assim tudo irá se concluir na metade do tempo.

Ao final, o comandante seria morto, além de três terroristas, estes últimos, pelo GSG 9, comando antiterrorista alemão que viajaria em segredo para a Somália.

To Top