Fundo do Baú

Quando secretária de CULTURA do PT, Marilena Chaui mandou apagar as pichações de São Paulo

E justo na avenida 23 de maio, alvo das mesmas polêmicas com João Doria

Como João Doria declarou guerra aos pichadores de São Paulo, o petismo, que na oposição não possui outro objetivo senão tumultuar, encampou a defesa desses vândalos. E vem pautando um debate que seria cômico em qualquer lugar do mundo se esse lugar do mundo não ficasse no Brasil: pichação é arte?

Não. Não é. Para ter a certeza, basta lembrar como o PT agia quando administrava a cidade.

A primeira vez ocorreu em 1989, com Luiza Erundina. Naquela ocasião, a prefeita nomearia a filósofa Marilena Chaui para a Secretaria de Cultura. Repetindo: Cultura. E o que fez a secretária? O Implicante dará aspas ao acervo da Folha: “Determinou que a pintura de alguns muros –como o da av. 23 de maio– seja feita o mais rápido possível devido às reclamações da população sobre a demora das administrações regionais em limpar a poluição visual“.

Curioso notar que as pichações encontravam-se na mesma avenida 23 de Maio, alvo das polêmicas com João Doria.

To Top