Blog

Possível sucessora de Feliciano na CDH é acusada de compra de votos, caixa dois e improbidade

Deputada Antônia Lúcia (PSC-AC) é a primeira vice-presidente da Comissão e assume naturalmente o cargo caso Marco Feliciano (PSC-SP) renuncie.

Deputada-Antônia-Lúcia-Câmara

Vocês certamente já viram a mobilização contra o deputado Marco Feliciano (PSC-SP), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara. Recapitulando: Feliciano foi eleito para o cargo em virtude do desinteresse dos principais partidos da base aliada de Dilma no Congresso, que abocanharam os cargos importantes em comissões de maior interesse e deixou a de Direitos Humanos e Minorias para o nanico PSC. Portanto, a menos que o partido receba algum tipo de compensação, vejam só quem o glorioso Partido Social Cristão pode deixar na vaga de Feliciano, caso ele renuncie.

Informação do portal R7:

Assim como o presidente da CDH (Comissão de Direitos Humanos), Marco Feliciano (PSC-SP), a deputada Antônia Lúcia (PSC-AC) — vice-presidente do órgão e nome mais cotado para substituir o colega no comando do colegiado — também está sendo investigada pela Justiça.

 Enquanto Feliciano é acusado por ter dado declarações racistas e homofóbicas na internet e responde a inquérito por estelionato, suspeito de receber cerca de R$ 13 mil para realizar cultos religiosos e não ter comparecido, Antônia Lúcia é acusada de caixa dois, compra de votos e abuso de poder econômico.

 De acordo com denúncia do MPE (Ministério Público Eleitoral), a deputada Antônia Lúcia está envolvida em distribuição de combustíveis e de bens — como aparelhagem de som, bicicletas, computadores, motores para barcos e geradores de energia — em troca de votos.

 Além disso, segundo informações do TRE-AC (Tribunal Regional Eleitoral do Acre), Antônia Lúcia é acusada de captação de votos de fiéis de igrejas, utilização ilícita da Rádio Boas Novas e patrocínio de show artístico durante sua campanha para deputada federal em 2010.

 O TRE-AC chegou a cassar o mandato da deputada em 2011, tornando Antônia Lúcia inelegível por três anos em razão da prática de caixa dois. De acordo com a denúncia, ela teria recebido R$ 472 mil que seriam destinados, ilegalmente, a sua campanha eleitoral.

(grifos nossos)

(via Paraiba.com.br)

Como não houve manifestações semelhantes contra a posse dos mensaleiros na Câmara dos Deputados e nem se viu mobilizações nas redes sociais indignadas com Genoino e João Paulo Cunha na Comissão de Constituição e Justiça, Antônia Lúcia não deverá ter maiores problemas para ocupar o cargo de Feliciano. Desde que não ofenda nenhuma minoria barulhenta.

Mais Lidas

To Top