Blog

Só vai dar “gente diferenciada”! *

O assunto do dia ontem nas redes sociais foi o cancelamento da construção da estação de metrô em Higienópolis. Para se ter uma idéia, o artigo do Flávio sobre o tema ultrapassou em quatro horas nosso texto mais lido nos últimos trinta dias. O tal churrasco de protesto, criado por um fotógrafo do portal Terra e militante petista internético, alcançou 38 mil “participantes virtuais” em menos de um dia.

Tudo começou com a notícia de que o governo havia desistido de criar novo ponto de metrô no bairro, em local servido por outras quatro estações num raio de 600m. A matéria (que no próprio título induz o leitor a acreditar que o cancelamento foi motivado por um abaixo-assinado com 3500 assinaturas), somada a uma coluna tristonha de Fernando Canzian no site do jornal, deram a senha aos nossos progressistas de notebook: “vamos denunciar esse preconceito”! Subitamente, 150 milhões de treinadores de futebol se tornaram urbanistas de mão cheia.

Havia também link para uma reportagem do ano passado de James Cimino, que usava uma moradora do bairro entrevistada como exemplo do grupo que organizou o tal abaixo-assinado, contra a chegada de um “público diferenciado” a Higienópolis. O mesmo James Cimino, curiosamente, assina outra reportagem na Veja-SP onde se gaba do termo cunhado pela sua entrevistada ter alcançado a fama e desmente a informação de que o abaixo-assinado teria motivado o cancelamento.

Por mais que o protesto parecesse muito justo e correto, alguns se perguntaram por que tanta mobilização por um tema obscuro, que perde em escala de importância para as carências da maioria dos outros 104 bairros da cidade. A resposta é bem simples: a notícia aglutinou o ódio a três “inimigos” que são verdadeiras taras dos esquerdistas em geral e petistas em particular:

  • os ricos, que seriam absolutamente todos os moradores de Higienópolis, descendentes dos escravocratas, elitistas que só querem torturar suas empregadas domésticas fazendo-as andar duas ou três quadras a mais para pegar o transporte público na volta pra casa.
  • os tucanos, representados pelo governo e o Metrô, que na verdade estariam “legislando em causa própria” ao cancelar a futura obra porque não querem gente pobre e feia no “seu” bairro.
  • os judeus, grandes vilões das causas progressista-terroristas mundo afora, historicamente habitam o bairro dos ricos e tucanos.

O resultado não foi exatamente bonito:

Muita gente embarcou inocentemente na forma mais light que essa mobilização acabou tomando, o tal churrasco (que não passa de manifestação política petista disfarçada de deboche) marcado para o próximo sábado. O sentimento de vergonha alheia ao ver amigos entre os 38 mil “diferenciados” clicando, curtindo, comentando, compartilhando aquilo foi inevitável.

(…) promoveremos agora um churrascão em frente ao shopping Higienópolis para mostrar que os ricos não chegam aos pobres, mas os pobres sim, facilmente chegam aos ricos.

Leve farofa, carne de gato, cachorro, papagaio, som portátil, carro tunado e tudo o que sua consciência social permitir. Afinal, a rua é pública e o Higienópolis não está separado por muros.

Será que só eu percebi o ridículo de se protestar contra um suposto elitismo dos habitantes do bairro usando estereótipos tão rasteiros e ofensivos aos mesmos pobres que eles dizem estar defendendo? Ademais, é justo pinçar uma fala infeliz de uma transeunte para usar como exemplo do pensamento de todo um bairro?

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=kJY7nWJCk3c&feature=related[/youtube]

Reflitam, amigos progressistas! É assim que vocês querem acabar?

 

* o título do post é uma homenagem ao finado blog Coisas de Idiota.

To Top