Implicante

/ Blog

11 de fevereiro de 2012

“Amiga íntima” liga Gilberto Carvalho e Dias Toffoli a máfia de Brasília

white 15 Amiga íntima liga Gilberto Carvalho e Dias Toffoli a máfia de BrasíliaKindle

christiane araujo oliveira abre size 598 550x309 Amiga íntima liga Gilberto Carvalho e Dias Toffoli a máfia de Brasília

As revelações publicadas na edição de Veja que chega às bancas neste fim de semana prometem animar o carnaval de Brasília. De acordo com a reportagem de oito páginas, a advogada Christiane Araújo de Oliveira teria se infiltrado no governo federal para negociar material contra adversários do PT. Christiane pertencia à quadrilha de Durval Barbosa, o policial aposentado responsável pelas gravações que derrubaram o governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda.
As “relações íntimas” de Christiane com autoridades de Brasília teriam permitido que a advogada transitasse livremente pelos corredores do Planalto. Entre os “amigos” mais chegados da advogada estariam os ministros Gilberto Carvalho, Secretário-Geral da Presidência da República do Brasil, e o ministro do STF José Antonio Dias Toffoli.

Abaixo um trecho das informações publicadas na edição online da revista Veja:

Nascida em Maceió, em uma família humilde, Christiane Araújo de Oliveira mudou-se para Brasília há pouco mais de dez anos com o objetivo de se formar em Direito. Em 2007, aceitou o convite para trabalhar no governo do Distrito Federal de um certo Durval Barbosa, delegado aposentado e corrupto contumaz que ficaria famoso, pouco depois, ao dar publicidade às cenas degradantes de recebimento de propina que levaram à cadeia o governador José Roberto Arruda e arrasaram com seu círculo de apoiadores. Sob as ordens de Durval, Christiane se transformou num instrumento de traficâncias políticas. No ano passado, depois de VEJA mostrar a relação promíscua entre o petismo e o delegado, Christiane foi orientada a sumir da capital federal. Relatos detalhados de suas aventuras com poderosos, no entanto, já estavam em poder do Ministério Público e da Polícia Federal. Na edição que chega às bancas neste sábado, VEJA revela o teor de dois depoimentos feitos pela jovem advogada no final de 2010.

Em oito horas de gravações em áudio e vídeo, Christiane revelou que mantinha relações íntimas com políticos e figuras-chave da República. Ela participava de festas de embalo, viajava em aviões oficiais, aproveitava-se dos amigos e amantes influentes para obter favores em benefício da quadrilha chefiada por Durval, que desviou mais de 1 bilhão de reais dos cofres públicos. Ela também contou como o governo federal usou de sua proximidade com essa máfia para conseguir material que incriminaria adversários políticos.

A advogada relatou que manteve um relacionamento com o hoje ministro do Supremo Tribunal Federal José Antonio Dias Toffoli, quando ele ocupava cargo de advogado-geral da União no governo Lula. Os encontros, segundo ela, ocorriam em um apartamento onde Durval armazenava caixas de dinheiro usado para comprar políticos – e onde ele eventualmente registrava imagens dessas (e de outras) transações.

Christiane afirma que em um dos encontros entregou a Toffoli gravações do acervo de Durval Barbosa. A amostra, que Durval queria fazer chegar ao governo do PT, era uma forma de demonstrar sua capacidade de deflagrar um escândalo capaz de varrer a oposição em Brasília nas eleições de 2010. Ela também teria voado a bordo de um jato oficial do governo, por cortesia do atual ministro do STF, que na época era chefe da Advocacia Geral da União (AGU).

(…)

Nas gravações, Christiane relatou ainda que tem uma amizade íntima com Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência da República. No governo passado, quando Carvalho ocupava o cargo de chefe de gabinete de Lula, ela pediu a interferência do ministro para nomear o procurador Leonardo Bandarra como chefe do Ministério Público do Distrito Federal. O pedido foi atendido. Bandarra, descobriu-se depois, era também um ativo membro da máfia brasiliense – e hoje responde a cinco ações na Justiça, depois de ter sido exonerado.

Gilberto Carvalho também teria tentado obter do grupo de Durval material para alvejar os adversários políticos do PT. Ele nega todas as acusações, e disse a VEJA: “Eu não estava nesse circuito do submundo. Estou impressionado com a criatividade dessa moça.”

Leia mais aqui.

compartilhe

Tópicos

7 Comentários

  1. Lonatico14 de fevereiro de 2012 às 23:39

    Por que será que essa menina está cheirando a mão? Será que Ouviu o Paulo Betty dizer que para fazer “politica” é preciso colocar a mão na *erda?

  2. bruno14 de fevereiro de 2012 às 14:26

    Os petistas ficaram viciados em bolsas……como ganharão a eleição nesta base agora tudo é dar dinheiro para passar de ano, dar dinheiro para eventos culturais, dar dinheiro para ficar a toa……o povo brasileiro já não é grande coisa e ainda estimulam a vagabundagem……isto sim é herança do Lula, o maior de todos….

  3. Marlon13 de fevereiro de 2012 às 19:57

    Além disto, tem mais aqui:

    (OFF topic)

    PT discute a relação e atropela dogmas
    http://oglobo.globo.com/pais/pt-discute-relacao-atropela-dogmas-3950395

    Veja só que disse José Genoíno:

    “É que a paisagem da janela que se vê da oposição é diferente da paisagem que se vê quando se está no governo.”

    Ah, entendo, quando não se está no governo pode-se falar qualquer coisa, pode-se criticar qualquer projeto, qualquer ação, chamar os outros de corruptos (e depois fazer alianças com elles)…

    Será que o Alexandre já viu algum vídeo antigo com entrevistas de petistas, contra o plano real, a lei de responsabilidade fiscal, o proer, o bolsa escola e outros benefícios sociais, etc, etc, etc, e depois de assumir o governo esse pessoal não revogou o que criticou, manteve o que foi criado, e algumas coisas mudaram de nome (Luz para todos, bolsa família, etc).

  4. silvio13 de fevereiro de 2012 às 14:58

    SÓ ACREDITARIA QUE ALGO ACONTECERIA COM ESSES “INTIMOS”, SE FÔSSEMOS UM PAÍS SÉRIO. COMO NÃO SOMOS……

  5. Alexandre12 de fevereiro de 2012 às 13:03

    Aquele escritório montado em (Ed. Terra Brasilis) 2005 em frente ao TSE teria muito o que falar…

  6. bruno12 de fevereiro de 2012 às 10:36

    Mercadante é mais um aloprado no Governo…..Perdeu a eleição e o mérito dele foi ganhar um ministério……É muito grave as denúncias da VEJA esta semana,aliás qual semana não temos denúncias neste Governo…demissão de ministro, a entrada de ministro já com a ficha suja, roubalheira na casa da moeda envolvendo o Guido Mantega, denúncias envolvendo até o Ministro do Supremo e o coveiro do LULA. Quando a gerente vai governar de verdade? Acho que nunca, ela não sabe o que é isto!!!!!!!!!Brasil é um país de tolos….

  7. Edmar11 de fevereiro de 2012 às 19:42

    Fora do assunto deste tópico, veja a entrevista de Mercadante p/ o Estadão deste sábado, falando em bônus para quem alfabetizar alunos até 8 anos!!

    Tem que comentar sobre essa adoção da prática de meritocracia (de quem criticava tanto isso) para que a escola faça o que tinha que ter feito mesmo, ou seja, alfabetizar uma criança!! rs

Publicidade
Publicidade