Blog

Após reclamação da militância online, Pepsi tira do ar mensagem de paz com Kendall Jenner

Chega a parecer brincadeira.

Eis um caso que sinaliza a um só tempo a total e completa ignorância dos que alegam militar pelo povo e, também, as formas pouco razoáveis de apresentar suas demandas. Primeiro, e rapidamente, falemos sobre a violência dos alegados pacifistas.

A forma como vão para cima de empresas, por mais que soe estranho “defender” grandes corporações, é algo imperdoavelmente agressivo. Atacam, atacam e atacam, a ponto de quase todas as marcas cederem e pedirem desculpas muitas vezes por algo que era BOM.

E esse é o caso da Pepsi. E, agora, vale falar da ignorância.

Contestaram uma propaganda em que Kendal Jenner, do famoso clã Kardashian, entrega uma latinha de Pepsi a um policial, em contexto que faz parecer uma manifestação. Mensagem de paz, portanto, e o refrigerante simbolizaria isso. Com o pano de fundo nada discreto de CONTESTAR A VIOLÊNCIA POLICIAL.

E por que pedir a retirada da propaganda é uma ignorância? Porque ela simplesmente REPETE UMA CENA HISTÓRIA justamente em favor de manifestantes e contrária à repressão das autoridades.

Trata-se da histórica foto de Jan Rose Kasmir, então (1967) estudante secundarista, colocando uma flor no cano da baioneta de um soldado, em manifestação realizada nos EUA contra a guerra do Vietnã. A imagem, do fotógrafo francês Marc Riboud, foi intitulada “O último confroto: a flor e a baioneta”. Confiram:

Curiosamente, foto similar e tirada no MESMO DIA também circulou o mundo. É a “Flower Power”, do fotógrafo Bernie Boston:

Com isso, a prática se tornou algo comum, a ponto de – à sua maneira – até mesmo o polêmico artista Banksy render certa homenagem em obra clássica:

E agora, na mistura terrível e perigosa de ignorância extrema e ativismo violento, nossos justiceiros sociais da internet pedem para a Pepsi retirar do ar uma propaganda que pregava a paz e fazia referência nítida a movimentos de combate à repressão.

Tristes tempos.

Fonte: G1

To Top