Implicante

/ Blog

17 de março de 2011

Blog Bethânia/Andrucha: Dissecamos o Projeto entregue ao MinC

white 15 Blog Bethânia/Andrucha: Dissecamos o Projeto entregue ao MinCKindle

maria bethania Blog Bethânia/Andrucha: Dissecamos o Projeto entregue ao MinC

Tivemos acesso ao projeto referente ao blog de Maria Bethânia, cujos vídeos seriam/serão dirigidos por Andrucha Waddington. Cabem algumas considerações sobre os gastos previstos – o patrocínio será mediante renúncia fiscal (ou seja, empresas deixam de recolher aos cofres públicos para patrocinar esse blog).

O “Diretor Artístico”, É A PRÓPRIA BETHÂNIA, receberá R$ 600 mil pelo blog (ou pelos vídeos, como queiram). “Coordenador Editorial” e “Coordenador do Projeto” receberão, CADA UM, R$ 120 mil. Os “consultores” (não explicam do quê) e o “produtor” receberão R$ 24 mil cada qual.

Tem mais. O Webdesigner levará R$ 6 mil, mas o “Programador Visual” ganha o dobro: R$ 12 mil. Além disso tudo, há previsão de manutenção e atualização do “sítio na Internet” (vulgo blog) e o responsável por isso receberá R$ 24 mil. É a mesma remuneração do “Assessor de Imprensa”, figura necessária a qualquer blog que se preze.

Para quem não sabe, a “captação de recursos” é remunerada e entra na planilha. O responsável por isso, sabe-se lá quem é, ganhará R$ 100 mil. Advogados e contador ganham o mesmo: R$ 30 mil cada. Mas ainda há a “Coordenação Administrativo-Financeiro” (sic), que levará R$ 60 mil. O motoboy, como era de se esperar, fica com apenas R$ 6 mil – um pouco mais que a conta de telefone, calculada em R$ 5 mil pra o projeto.

Falaram muito (mas MUITO) nos tais “materiais de consumo”. Pois bem: isso custará R$ 5 mil. Um décimo do INSS, projetado em R$ 50 mil. Em suma, a previdência ganhará mais do que o responsável pela pesquisa, pois este fica com R$ 36 mil.

Há valor previsto para “Filme” (não avisam se é o rolo do filme – e haja rolo! – ou qualquer outra coisa); o montante é de R$ 365 mil. O Editor de Som levará R$ 91 mil e a Legendagem fica por R$ 10,95 mil.

Não há verba a ser paga a título de “direitos autorais”, como suscitaram naquele fórum de direito tributário, física nuclear, futebol, humor e climatologia, o tuíter.

Enfim, é isso. Esse dinheiro, se captado, deixará de ser recolhido aos cofres públicos para outro tipo de finalidade.

ps. – Se você não tiver paciência para números, ao menos leia o projeto na parte da Cospiração Filmes: COPIARAM A WIKIPEDIA NA CARA-DURA! Mantiveram até aquela observação sobre “fontes” num dos trechos. UMA BELEZA DE APRESENTAÇÃO DE PROJETO!

 

UPDATE IMPORTANTE: A própria Maria Bethânia é a DIRETORA ARTÍSTICA (R$ 600 mil) e também ocupa o cargo destinado à “pesquisa” (R$ 36 mil).

compartilhe

Tópicos ,

111 Comentários

  1. Paulo Batista9 de outubro de 2011 às 22:03

    Eu bem queria um blog de poesias também, e olha que cobraria muito mais barato do do que a Bethânia.
    Sou poeteiro há muito tempo….

  2. Presley1 de junho de 2011 às 21:14

    E disse Deus ‘trabalhará o homem e vivera do suor de seu rosto” e o diabo completou “a não ser que ele consiga um boquinha na lei Rouanet..”

  3. Bruno21 de abril de 2011 às 19:17

    Esses artistas tem que tomar vergonha na cara……….. Dinheiro público náo com o meu….
    Todos querem mamar nas tetas do Governo.

  4. roberto29 de março de 2011 às 12:18

    preciso sair do aluguel

  5. Fransa27 de março de 2011 às 17:23

    Senhoras e senhores!
    Vocês que criticam estão esquecendo do principal:
    “O lirismo e delicadeza das 365 pílulas diárias de pura poesia”, texto de um dos integrantes da equipe (turma) de tal blog “vão revolucionar o cotidiano das pessoas” (ou algo bem parecido, também de acordo com o texto).
    Ora, com tal dose diária, vamos esquecer a falta de saúde, falta de educação, falta de segurança, falta de transporte e outras faltas.
    Bastará “tomar” uma pílula diariamente e tudo estará resolvido.
    Lembram da pílula SOMA do “Admirável mundo novo”?
    É isso aí, só que durante 365 dias, depois, virá nova captação!!!

  6. Brazil: The Cost of Financing Culture | Daringsearch26 de março de 2011 às 10:30

    […] original project sent by Maria Bethânia to the Ministry of Culture. The blog Implicante promptly smashed [pt] the predicted costs and pointed out indignantly: A própria Maria Bethânia é a DIRETORA […]

  7. Brazil: The Cost of Financing Culture · Global Voices26 de março de 2011 às 10:23

    […] original project sent by Maria Bethânia to the Ministry of Culture. The blog Implicante promptly smashed [pt] the predicted costs and pointed out indignantly: A própria Maria Bethânia é a DIRETORA […]

  8. Celso Taddei26 de março de 2011 às 08:38

    Acho o projeto excelente – uma idéia bonita, democrática, inteligente, que será realizada por profissionais de alto gabarito. Além do mais, 600 mil por 365 dias de trabalho de uma artista da importância de Bethânia está muito abaixo do mercado. Não há nada de errado na concepção do projeto, nem em sua aprovação, que é merecida. Pelo contrário. Mas parece que só agora algumas pessoas descobriram a Lei Rouanet – criada, diga-se de passagem, pelo governo Collor, e mantida por Itamar, e também por dois mandatos FH, e mais dois do Lula, e que prossegue com a Dilma… Se alguém tem raiva do sistema de patrocínio cultural através do incentivo fiscal, que atire pedra, xingue, que bata na lei. Mas linchar Bethânia…?!! Que Deus nos perdoe.

  9. Jerome Garcia23 de março de 2011 às 20:44

    Mando também minha contribuição, ver:

    http://www.youtube.com/watch?v=_tBevFOeLYs

    Tambem acho que o mundo precisa (mesmo) de Poesia e em uma hora dessa não posso deixar de levar minha colaboração a Bethania.

    Axé…

  10. Só pra lembrar: O Brasil não muda – Site da Morróida23 de março de 2011 às 19:42

    […] foi lendo este maravilhoso site criado pelo meu grande amigo que descobri umas coisas que só me fazem lembrar: esta nossa […]

  11. lalinne viegas21 de março de 2011 às 19:12

    Se você leu a entrevista do Lobão em certa altura ele se refere ao ex-ministro Gilberto Gil e um certo tipo de benefício entre amigos. Via assessoria: “(…) A proposta no MinC são de outubro do ano passado – época em que sequer a eleição presidencial estava definida (…), portanto…

  12. sati20 de março de 2011 às 14:08

    Ah queria muito aprender escrever projetos assim…

  13. I wish to know that things are getting better… | ritornelos19 de março de 2011 às 16:26

    […] A gente pode, então, discutir, na revisão da Lei, quais critérios seriam justos para determinar se um projeto pode ser financiado com dinheiro público (é renúncia fiscal e a dedução nem sempre é total, mas ainda assim é grana que iria para aos cofres do Estado). Mas, negar a qualquer cidadão o direito de se amparar numa Lei que existe, está em vigor desde 1991, me pareceu tão absurdo quanto alguns valores do orçamento do blog milionário. […]

  14. Juliano Jorge19 de março de 2011 às 14:27

    Que beleza, eu me mato de pagar impostos pra isto…
    Nosso pais e uma vergonha, pudera a ministra e Irma daquele cara que ganhou uns prêmios na base do migue ano passado…
    Se nossos “intelectuais” são assim, imagino o resto…

  15. Asdrubous18 de março de 2011 às 23:16

    O mais interessante é que quando alguem entra com algum projeto ou algo relacionado a educação, saude ou algo de certa forma mais prioritário não consegue levantar nem R$ 10Mil… isso aê BraZil…

  16. Blog Bethânia/Ganhando muuuito dinheiro fácil « discipulos de Zwinglio18 de março de 2011 às 22:16

    […] Blog Bethânia/Andrucha: Dissecamos o Projeto entregue ao MinC | Implicante. […]

  17. Pouca vergonha « Blog do Mazepa18 de março de 2011 às 21:13

    […] Folha confirma a notícia dada pelo Implicante. O orçamento do futuro blog de Maria Bethânia, aprovado pelo Ministério da Cultura, reserva para […]

  18. Carlão18 de março de 2011 às 20:37

    Gravz, falei hoje com o Flávio via facebook.
    Negócio é o seguinte, parte do projeto foi mesmo copiado (copiado mesmo, até os erros). Passei uns trechos para ele, que até apontou onde projeto e wikipedia “erram” iguais. Taí, valeria cotejar projeto e wikipedia, trecho a trecho. Passei o link pro Flávio, ele disse que ia falar contigo, que a pauta é tua, coisa e tal. O que você acha?
    Abração do Carlão

    (Gravz: Comentei aqui que era cópia, apontei até o ponto em que mantêm um negócio da wikipedia – “carece de provas?” etc. Mas valeu o toque :D)

  19. alexandre fonseca18 de março de 2011 às 19:43

    A indignação seletiva e altamente emocional com o blog da Bethânia, obviamente despertada por um erro de cálculo – o pessoal foi com muita sede ao pote e exagerou no superfaturamento – pode ser útil para chamar a atenção para o restante do iceberg. A Lei Rouanet, a princípio bem-intencionada e talvez positiva, gerou uma profunda deformação do mercado cultural e arístico brasileiro.

    Em síntese, a coisa funciona assim:

    1. Qualquer artista, mesmo os medalhões, precisa recorrer à Lei Rouanet para obter patrocínio porque as empresas simplesmente não usam mais dinheiro próprio para isso. Se não tem Lei Rouanet, nem adianta conversar. E faz sentido: se posso fazer marketing com dinheiro público, porque eu iria tirar do meu caixa?

    2. Para piorar a situação, esse marketing gratuito tende a ser direcionado exatamente para os medalhões. Se posso aparecer como patrocinador do Cirque du Soleil ou da banda de serrotes de Tribobó de Minas, qual é a escolha óbvia?

    3. Como o processo é intrincado e a aprovação é altamente subjetiva, é claro que surgiram os despachantes. Artista não tem tempo para perder com isso. A princípio, era só o básico: paga-se X, uma empresa (que não tem absolutamente nenhuma conexão com o mundo das artes ou da cultura) prepara o projeto de uma forma que agrade aos burocratas de Brasília, engraxa algumas mãos aqui e ali e a aprovação sai. Aí vem a fase 2, que é a captação de recursos propriamente dita, geralmente executada por essas mesmas empresas a custos que podem chegar a 50% do total. (As discrepâncias contábeis, evidentemente, são corrigidas com notas frias, outro setor em franca expansão.)

    4. Algumas empresas foram um passo além e passaram a ser, elas próprias, geradoras de eventos. Funciona assim: procuro meu contato na empresa Y, que tem uma certa porcentagem dos seus impostos para “investir” em patrocínio, e proponho algum projeto de alta visibilidade mercadológica. Se ela topa, contrato meia dúzia de artistas a preço de banana, monto o tal evento e arrecado o dinheiro – parte dos quais volta como “gratificação”para as mãos dos responsáveis pela liberação nas empresas. Existem muitos artistas que são “contratados” de empresas de captação de recursos – e felizes da vida com isso, porque lhes proporciona uma renda regular.

    Como resolver isso? Na minha opinião, o melhor seria simplesmente extinguir a Lei Rouanet e repassar o valor dos impostos que deixariam de ser coletados diretamente para o Ministério da Cultura. No ano passado, por exemplo, foram – segundo o próprio Minc – quase 6 bilhões de reais. Seis bilhões! Quase uma CPMF!

    Existem alternativas menos radicais. Por exemplo, proibir a veiculação da marca do patrocinador no evento patrocinado. Nesse caso, talvez o direcionamento se tornasse menos óbvio. Ou estabelecer limites de patrocínio – digamos, 200 mil reais – para forçar uma pulverização maior. É uma boa discussão. Quem se habilita?

  20. Osmar Bispo18 de março de 2011 às 19:19

    Ta louco tudo para eles e eu nada!Tenho um portal coletivo de literatura,há três anos,quando ganho algum mal dá para pagar o provedor,as despesas tiro do meu bolso!
    Vou eu tentar conseguir uma verba cultural!Não conseguirei.Muita burocracia.Sei como funciona a coisa toda,se vc não tem uma empresa especializada para obter patrocínio,esqueça!É muito difícil.Claro com QI muda a coisa toda.Estou precisando fazer um novo layout para o meu site e transformá-lo num agregador de conteúdo moderno,quem se habilita a financiar meu portal de literatura e artes?Posso colocar banners da empresa no meu portal e garantir milhares de visitas para a patrocinadora.O MUNDO PRECISA DE POESIA, LITERATURA E ARTE!

  21. Luis18 de março de 2011 às 18:13

    Eu criei um blog IGUAL ao da Maria Bethânia e não gastei um centavo. Convido todos a participar/protestar enviando videos recitando poesias para alimentá-lo. http://www.mundoprecisadepoesia.wordpress.com

  22. Brasil: O blog da Maria Bethânia e o financiamento da cultura · Global Voices18 de março de 2011 às 14:25

    […] original enviado por Maria Bethânia para o Ministério da Cultura. O Blog Implicante prontamente esmiuçou os valores previstos e apontou indignado: A própria Maria Bethânia é a DIRETORA ARTÍSTICA (R$ 600 mil) e […]

  23. Agripino da oficina18 de março de 2011 às 13:26

    Eu apoio o projeto, desde que ela declame o Poema do Cagão (“cagar é foda / coisa imunda / a merda cai, bate na água / e a água bate na bunda”). Valeu Brasil sil sil sil

  24. fred18 de março de 2011 às 13:24

    enquanto isso minha faculdade continua com carência de professores. Dalhe brasil sil sil

  25. Alexandre Cruz18 de março de 2011 às 13:05

    E, aproveitando a liberdade cedida gentilmente pelo Gravataí:

    http://extra.globo.com/tv-e-lazer/hermano-vianna-colunista-comenta-polemica-envolvendo-blog-de-maria-bethania-1344667.html

    Gente, depois não reclamem que não há nada de bom no ar. Quem é contrário ao projeto merece muito assistir a Hanna Montana ao vivo na sua cidade…

    Cruz

    (Gravz: Com dinheiro público?)

  26. Alexandre Cruz18 de março de 2011 às 13:00

    Ô Gravataí. Rale bastante, procure sair da mediocridade e você chegará lá. Vai poder cobrar o que quiser pelo seu trabalho, ainda que seja o de implicar.
    Enquanto isso continue pagando os seus impostos. A gente cuidará bem deles, fique tranquilo. Mas cobre com a mesma energia seus governantes, começando por votar bem, as boas condições do lugar onde vive, a educação e a saúde que darão a seus filhos e a você.
    E repito, cultura deve virar indústria e comércio, senão morrerá debaixo de “reality-shows”, “prograa do Datena” e tanta b#sta que empurram pro povo.
    Não se revolte porque alguém consegue faturar uma grana com algo legal (nos dois sentidos).
    Implique com o que realmente está errado. Implique com o Ricardo Neis, por exemplo.
    Força.
    Cruz

    (Gravz: Valeu! Depois passa a receita do seu sucesso :D – mas, aqui, implicamos com a destinação de dinheiro público. Apenas isso)

    • Jerome Garcia18 de março de 2011 às 19:44

      É, Alexandre, legal pode ser… poder ser… pelo menos de acordo com as leis vigentes.
      Mas a grande dama da MPB pegar dinheiro público, com a agravante de ser parceira e intima do ex-ministro da Cultura e da atual ministra? Tremenda cara-de-pau… E amoral. Descabidamente amoral. Imaginem Sir Paul McCartney pegando algum do governo ingles pra financiar uma excursão.
      Ou Spielberg levando do Barack pra fazer um filme….

      Não teve aí ninguém pra dizer que isso ia pegar muito, muito mal???? O mano Caetano? O Gil?
      Bom eles que são Doces Bárbaros que se entendam… Sugiro colocar no site como tema de background o clássico do mano Caetano: Não Me Amarro em Dinheiro não.

  27. DOUGLAS18 de março de 2011 às 12:52

    ACHO QUE VOU LARGAR A CULTURA E VIRAR MOTOBOY DA BETHÂNIA…..

  28. alexandre fonseca18 de março de 2011 às 12:22

    Desconfio que Dona Canô faz parte do Grupo Bildenberg. Medo!

  29. C18 de março de 2011 às 12:17

    Como vocês tiveram acesso ao projeto todo (me refiro ao PDF). Tem algum site governamental que disponibiliza? Qual?

  30. Blog da Bethânia: quando o absurdo é legal | ANTITEXTOS18 de março de 2011 às 11:56

    […] o projeto teve trechos simplesmente copiados da Wikipedia! A justificativa apontada baseia-se no nome de Bethânia. E por aí […]

  31. Astrogildo18 de março de 2011 às 09:19

    Mais uma cena do ESPETÁCULO CIRCUS BRASIL, O PALHAÇO AQUI É VOCÊ, CIDADÃO!!

  32. Aderbal18 de março de 2011 às 07:15

    Falaram que produzir filmes eh caro. Ela vai produzir vídeos ou filmes? Não era um blog?

  33. Luis Patricio18 de março de 2011 às 01:42

    Desde o nascimento do Novo Cinema Novo de Novo, a Quanta e Conspiração (!!!) estão em grande parte das produções. A Paula Lavigne produz e dá a trilha pro Caetano fazer que, por sua vez chama o Moreno e que por sua vez leva o Kassin que por acaso está produzindo o novo disco do Caetano através de Leis de Incentivo. É tutto cosa nostra !
    Chico, Caetano, Bethania e etc precisam de incentivo depois de anos ganhando Rios de dinheiro com trabalhos brilhantes e shows caríssimos ?
    ps.: ainda quebrando a cabeça para entender a utilização de um Motoboy para postar um blog.

  34. Daniela18 de março de 2011 às 00:39

    O mais engraçado é ler os defensores dela falando desses videozinhos como se fossem uma superprodução cinematográfica.
    Gente, sério, para. É uma mulher na frente de uma câmera falando poesia, em vídeos que serão colocados num site, não é um longa-metragem que será exibido em cinemas, que precisa de uma superequipe, rolos e rolos de filme, câmeras potentes de 20 mil dólares, custos com locações e efeitos especiais.
    Os responsáveis foram tão caras de pau que copiaram artigo da Wikipedia sem vergonha nenhuma e colocaram na proposta para o governo. É uma piada sem graça e sem fim.

  35. Carol18 de março de 2011 às 00:24

    Sinceramente, não vi nada demais. 1,3 milhao é para captar e não necessariamente garantia de captação. Claro que acredito que Bethania tenha talento e conteúdo suficiente para captar de patrocinadores muito mais. Diferente de ˜Lobões˜ da vida! Muitos outros projetos de expressão muito menor, tiveram liberações maiores. Se fosse um projeto para cinema, DVD, que teriam seus conteúdos pagos e restritos, não estaria essa polêmica toda. Como é para internet para ter um conteúdo aberto ao público é minimizado a um “blog”. Pelo amor de Deus! Conhecendo a obra de Bethania e perfeccionismo peculiar a ela, vcs acham que o projeto é de um simples blog??? Videos diários com interpretação de MB abertos ao público? Serei uma visitante fiel. E espero que essa polêmica toda só sirva para que ela arrase nesse projeto e mostre a contribuição que deixará para nossa cultura! Se eu pudesse patrocinar, patrocinaria!

    (Gravz: Opa! Encontramos alguém que vai ao blog da poesia! Não deixe de ir, alguémp recisa ver aquilo, já que estamos pagando caro. E, concordo contigo, ela tem talento o bastante para conseguir captação. Porque não usa esse talento – inequívoco – para patrocínios privados? Precisa ser dinheiro de impostos?)

  36. Stevie18 de março de 2011 às 00:15

    Não sei porque implicam tanto com a coitada! O Brasil está tão bem! Toda a população tem onde morar, faz suas 3 refeições mínimas diariamente, quando precisa tem saúde acessível e de alta qualidade, tem seu emprego que remunera muito mais do que o justo e os que não trabalham estudam em escolas públicas que deixam as particulares comendo poeira de tão avançadas que são! E nos finais de semana ainda dá pra ir e vir sem preocupar, pois segurança pública é o que não falta nas ruas! Tudo isso custeado pelo nosso querido governo! E com certeza temos dinheiro sobrando! Vamos até sediar uma olimpíada e uma copa do mundo! Então se tem dinheiro sobrando, porque não deixar a coitada da Bethania fazer o seu blog?

    Na boa! Por mais que a captação seja por renúncia fiscal, é no mínimo uma falta de vergonha! Tanto do governo por permitir que esse dinheiro que poderia aplicado onde realmente há necessidade, como da dona Maria Bethania, que sabendo das necessidades que o país passa ainda tem a cara de pau de pedir dinheiro público pra fazer um blog!

  37. Geraldo18 de março de 2011 às 00:00

    De onde vem essa informacao que a diretora artistica eh a propria Betania? Isto nao consta no projeto

  38. ((( TRETA ))) › Maria Bethânia desperta a rage das internets17 de março de 2011 às 22:58

    […] Veja neste artigo dO Implicante por que fica difícil acreditar que exista tanta boa fé neste projeto e tire suas próprias […]

  39. Paulo17 de março de 2011 às 22:15

    Uma pequena correção ao comentário acima: foram flagrados levando o quádruplo do cachê destinado ao Paulinho da Viola. E não deram um pio a favor do colega. Tudo gente boa, não?

  40. david miguel17 de março de 2011 às 21:38

    gentes,
    sou produtor e chancelo meus projetos no MinC para captar com desconto no IR.
    o procedimento do Ministério faz com que os projetos passem por uma análise técnica de viabilidade – para saber se tudo que está escrito é claro e se tudo que está claro está previsto na planílha de custos e, ainda, se os valores da planílha correspondem aos usuais no mercado.
    depois dessa análise as exigências são enviadas para o produtor e ele tem que refazer ou convercer o parecerista que o que ele escreveu e calculou está correto. se não convercer o projeto não anda, se convercer o projeto vai para a CNIC – comissão que avalia a viabilidade artistica, relevancia, cronograma de execução, etc. tudo viável, tudo claro, tudo justificado o valor é publicado e o produtor pode captar o dinheirinho e realizar sua obra, entenderam?
    desculpe a forma didática mas é mais ou menos isso que acontece. estou escrevendo isso para acalmar minha raiva porque meus projetos não são estrelados pela MB e minha tia não é a AHolanda, logo, sempre caem em exigências e se não forem bem escritos e os valores não forem justificaiveis não rolam…
    tô com raiva, eu quero ser andruchabetaniadeholanda, não posso mais viver assim, chega de ser enganado, achincalhado.
    tô escrevendo isso porque vejo que tem outra forma de aprovar projetos mal escritos, com valores absurdos e sem equilibrio entre os valores e ninguem tinha me dito.
    e eu, besta, fico semanas elaborando, avaliando, buscando preços e soluções…tisk, tisk, a meu brasil brasileiro…será que um dia os espertalhões te abadonarão?
    não adoro a MB, não ouço sua musica, não quero nada com ela e tô me lichando pra qualidade artística desse projeto.
    ele é simplesmente mal feito, uma gozação com todos os produtores sérios e que tentam criar um fluxo de verba para viabilizar projetos sérios.
    achincalhe, tiração de onda, sacanagem do mais puro mal gosto, babaquisse, falta de respeito e isso tudo não tem nada de cultural.
    não, não quero ser Maria Betania, não vão me levar para o lado negro da força. tenho dito…

  41. Daniel17 de março de 2011 às 21:13

    Sempre que o menino Gravataí fala de cultura é um show de desinformação. Quando ele reclamou da indicação do filme do Lula pra concorrer ao Oscar também foi assim: um camaradinha reclamando prá xuxu, sem ter a menor idéia do que estava falando. Resultado: critica-se muita coisa, menos o que realmente merecia ser criticado. A famosa perda de tempo.

    A Bethânia ter projeto aprovado na Lei Rouanet é um lance absurdo mesmo, mas não pelos motivos, ahn, “apresentados” nesse post adolescente. O problema não é o projeto da moça, nem o orçamento apresentado e nem o MinC / governo. O problema é que esse esquema de renúncia fiscal acaba gerando pubicidade de graça para grandes empresas. O problema não é a dona Caetana receber 1,3 milhão, o problema é um Bradesco da vida gastar 1,3 milhão de dinheiro público em sua própria publicidade.

    Vejamos: a Bethânia tem toda possiblidade de captar recursos para seus projetos sem necessitar da Lei Rouanet. Então por quê ela vai atrás da Lei? Para ela daria na mesma receber a grana direto do patrocinador ou através da Lei. Estaria ganhando os 600 contos dela de qualquer maneira. Quem ganha com o uso da Lei não é a Bethania, é o patrocinador, que vai ter o valor investido abatido do imposto. E como a Bethânia é uma artista consagrada, o blog dela vai ser uma baita janela para o patrocinador, que certamente espalhará seu logo por todo o tal blog e depois lucrará horrores espalhando a imagem de “patrono da cultura”. Propaganda privada às custas do governo. De modos que o problema de contemplar artistas consagrados na Lei não é deixar de contemplar artistas menos consagrados q precisariam de exposição, é acabar por financiar publicidade privada. E o MinC já fez muito pior do que aprovar projeto da Caetana: Festa do peão de Barretos e Cirque du Soleil, que nem é brasileiro, já foram contemplados. Com muito mais grana para eventos com ingresso pago. Eles precisam de Lei Rouanet? Claro que não, mas os patrocinadores exigem, para poder descontar tudo do imposto.

    Isso é fruto das distorções dessas leis de fomento, que precisam de urgente revisão. A gestão anterior do MinC tentou fazer essa revisão, o que gerava as divertidas acusações, por parte da classe artística, de “dirigismo cultural” e “stalinismo”. É muito cômodo para os artistas e, principalmente, para as empresas patrocinadoras, que o esquema continue como está.

    Ou seja, ficar “dissecando” o orçamento do projeto é errar COMPLETAMENTE o alvo das críticas. Se pelo menos essa “dissecação” fosse feita com um mínimo de conhecimento, ainda vai, mas não é o caso.

    -Reclamar da porcentagem para o serviço de captação? Grande absurdo.A função de captar recursos é lenta e trabalhosa, pode levar ANOS, durante os quais o captador não vai ganhar nada. Captadores costumam ganhar porcentagens entre 5% e 10%, com um teto de 100 mil. Ou seja, não tem nada de errado neste aspecto do orçamento.

    -E a bobajada sobre o “rolo de filme”, então? Amigo, o “filme” que aparece no orçamento não é o suporte a ser usado. É o valor da produção de cada vídeo (camera, dir. de fotografia, captação de som, cenário, etc) Um barão por vídeo, 365 por todos, já q é um por dia. Sobre o suporte, se fosse rolo de filme, haveria uma grana separada para telecinagem. Não tem, então ou é fita ou é cartão de memória. Mas o amigo não sabe de nada disso. O que não o impede de dar palpite.

    -As “descobertas” das ligações de parentesco entre os envolvidos são muito divertidas, mas inúteis. É possível achar parentes do Caetano, do Chico e do Gil por praticamente todas as áreas de produção artística do país. Além disso, o projeto foi contemplado na gestão passada,o que inutiliza esse papo todo.

    -Sem contar aquele detalhinho de que todos esses pretadores de serviço vão emitir notas fiscais, sobre as quais incidirão impostos. Então há uma parte desse dinheiro que vai acabar parando no governo de qualquer maneira.

    Enfim, é isso. Essa história da Bethania merece muitas críticas. O texto do menino Gravataí não contemplou nenhuma delas. Que beleza de oposição. Se dependermos dela, teremos um Império Petista pelos próximos 200 anos.

    (Gravz: Seu problema é com empresa fazer propaganda usando dinheiro que seria recolhido em forma de tributos. Ora, isso TAMBÉM é uma crítica nossa – crítica à Lei em geral. De todo modo, aguardo uma lista, sua, de quais são os ‘verdadeiros alvos’ para cada caso. Afinal, DISSECAR O PROJETO você achou ruim. Não queremos repetir o erro, pois nosso objetivo é agradar você e seguir sua linha do que é válido ou não… :D)

  42. Paulo17 de março de 2011 às 20:22

    Todo mundo faz, todo mundo mama, a Bethânia é todo mundo, então tá liberada, né? Mas peraí, alguém daria dinheiro para um Zé Anônimo qualquer fazer o mesmo? Tá na cara que não, né? E quem quer defender a boa poesia não precisa mamar na renúncia fiscal, há meios mais baratos, dignos e honestos de fazê-lo. Argumento pobre esse de dizer que tem jogador analfabeto ganhando milhões ou imbecis de reality shows ficando famosos. Não é o dinheiro público que paga essas cavalgaduras. Enfim, é assim que a gente fica conhecendo a canalhice alheia. Mas os baianos-artistas já andaram aprontando num certo réveillon no Rio, quando foram flagrados levando o dobro do cachê destinado ao Paulinho da Viola. E era dinheiro público também, só que municipal.

  43. Iracema Rospide17 de março de 2011 às 19:30

    Olha meu netinho fez meu blog com dez dólares. Mas já gastamos 100 mil, que delícia ter direção e tal e projeto no Minc num valor nada astronômico de 1 milhãozinho e pouco somente. bjus Bethaniaa minha rainha. Fique na sombra pq no sol vc desaparece.

  44. Shlomo17 de março de 2011 às 18:10

    Esquerdista acha que dinheiro público dá em árvore. Dá não, minha senhora. Você vai tungar o dinheiro que eu pago de imposto de renda.

    Gastar dinheiro em poeminha (nada contra os poemas, quem gosta de poema não precisa de dinheiro para declamar), quando há inúmeras outras prioridades nesse país, demonstra o total despreparo desse governo.

  45. Nicholas Pufal17 de março de 2011 às 18:04

    Para quem perguntou se isso é para 12 meses: é evidente que não.

    O salário de um programador em uma empresa realmente boa, e cujo profissional seja realmente foda, é de R$ 7.000,00 a R$ 13.000,00 mesmo.

    Nota: não estou NENHUM POUCO de acordo com o explícito aqui. Apenas estou dizendo que isso é um fato que comprova que é apenas para a execução do projeto e só. Não tem nada de 12 meses não. É para 1 mês mesmo, e olhe lá.

    Com as ferramentas de hoje em dia, frameworks e afins, mesmo que seja um blog feito do zero pela equipe, é uma barbada isso! Se forem usar algo free como o código do WordPress então, e só adaptarem, nem se fala…

    É um ABSURDO.

    Ainda mais, como bem levantaram aqui, com os salários que um médico do SUS ganha, por exemplo.

    Não é à toa que o país tá sempre numa merda fdp, e pasme, cada um que bota a bunda no poder diz que “não tem grana suficiente nos cofres públicos”.

  46. ArpiaArrepiA17 de março de 2011 às 17:54

    O governo não está incentivando a “Cultura” coisa nenhuma. Na verdade, ele está é dando dinheiro fácil para a Maria Bethânia e seus amiguinhos.
    É assim que eles dizem ajudar os pobres? Incentivando a cultura da ELITE? Depois, com a cara mais lavada do mundo, dizem que não representam a tal “Elite Brasileira”, que vieram da classe trabalhadora, que isso e que aquilo.
    A grande verdade é que o que importa para essas pessoas ou políticos é chegar no Poder e depois se manter lá a qualquer custo.
    E porque não juntar o útil ao agradável e lotear o Brasil.

  47. Daniel Mori Paixão17 de março de 2011 às 17:03

    Impressionante como esquerdista não gosta do capitalismo, mas adora um capital público, né???
    Parabéns pela postagem! Aliás, quando o Implicante vai pedir o mesmo benefício ao MinC? Afinal, direitos iguais pra todos, certo???

  48. Memyself17 de março de 2011 às 16:10

    O que aconteceu com uma câmera e uma idéia? Por que se precisa de tanto dinheiro (público!, ou seja, de impostos) para declamar poesia em frente a uma câmera? Ora, se essa gente se acha tão talentosa, acha que o blog é tão necessário, que banquem! Desde quando criar um blog custa essa fortuna toda?

    • Cheio de dúvidas17 de março de 2011 às 18:10

      criar um blog amador (como a maioria desses que reclamam aqui nos comentários) não custa nada, mas fazer um blog com 365 vídeos da bethânia com direção do andrucha, esses sim claro que custariam caro.

      sabe quanto é o ingresso para um show dela? e o cachê pra ela fazer um show? pare de reclamar e comece a imaginar que para sempre teremos a bethânia declamando 365 poemas. E DE GRAÇA.

      (Gravz: Exatamente. O cachê é caro, ela lota shows. Ora… ELA TEM CONSAGRAÇÃO E GRANA! Pra que dinheiro público? Quanto ao ‘Bethânia pra sempre e de graça’, uma correção: o blog pode até ficar no ar, os vídeos idem, mas apenas será permitido baixar O AUDIO. Leia o projeto. Não fizeram em ‘creative commons’ :D)

    • Cris19 de março de 2011 às 13:29

      o mais engraçado é que muitos desses shows com cachê alto, também tem apoio de leis de incentivo a cultura. sempre me perguntei porque, se o show tem incentivo federal, ainda cobram ingresso? nesses casos o povo paga duas vezes: 1 – ao abrir mão dos impostos doados pro tla grande artista; 2 – segundo para assistir ao show que já patrocinou.
      Lembrem que o imposto do qual o governo abre mão, é aquele que você pagou e está embutido nos produtos que adquire no dia a dia.
      Sendo assim, no mínimo todo o conteúdo do blog deveria estar liberado para download, porque é do povo, foi pago com dinheiro do povo. e não me surpreenderia se mesmo material saisse em DVD e BlueRay e vendido a uma fortuna e eles embolsando mais uma graninha.

  49. Marcelo17 de março de 2011 às 16:01

    O “mundo precisa de poesia” e Bethânia e equipe precisam de 1,3 milhão! Adoro a Bethânia e os profissionais envolvidos nesse projeto. Mas, sinceramente, esses custos estão elevados demais para um Brasil que ainda carece de alimentação, educação e atendimento às necessidades básicas de uma enorme população carente… O “mundo precisa de poesia” sim, mas também precisamos de ter mais carinho com as contas públicas.

  50. Cáthia Zago17 de março de 2011 às 15:01

    Convenhamos, um blog inteiro só para declamação de poemas e ainda na voz de Maria Bethânia,eu não mereço pagar por essa chatice.Desculpem-me os que dela gostam,mas nunca fui fã da cantora.Acho,sinceramente,ela ,digamos,etérea demais.
    . Se há uma turma que vêm mamando demais nas tetas governamentais é essa turma dos Veloso e Buarque de Holanda.

  51. Ju Ber17 de março de 2011 às 15:00

    Senhoras e senhores, com vocês o blog 365 poemas a um real! > http://fubap.org/365poemas/

    Descolaram R$ 365,00 pra fazer esse blog. Dividiram entre a galera da FUBAP e gastarão essa grana “preta” parcimoniosamente ao longo do ano, no intuito de divulgar a nova produção poética nacional.

    Se querem realmente promover a cultura, dá-se um jeito sempre com o que tem, mas se o caso é ganhar algo a mais com isso sem tirar nem um “puto” do bolso e a lei está a favor deles porque não são qualquer um, por que não tentar? Brasil é isso…

    Ah claro sem falar em direitos autorais que esqueceram de mencionar no projeto, mas não me impressionará se usarem muitos consagrados que já são de domínio público.

    Brasil!

  52. Rodrigo Faria17 de março de 2011 às 14:53

    Em resumo….

    Abandonem os eestudos, universidades de medicina, direito e outros.. Criem um blog de Poesisas, repentes, cantigas de roda e etc…

    O MinC aprova, deposita seu dinheiro e pronto.

    É patético esse nosso pais.

    Diversas empresas passando dificuldades, tentam um empréstimo ou financiamento e precisam dar o par de meias como garantia,com risco de nem conseguir o dinheiro…

    Vem uma cantora, cópia um projeto descaradamente, envia pro MinC e recebe uma fortuna.

    Patético…

  53. Vítor Bonini17 de março de 2011 às 14:10

    Ora ,em primeiro lugar , a partir do momento em que o montante financiado pelas empresas pode ser deduzindo do imposto de renda das mesmas , ele perde seu carater privado para se tornar financiamento publico .
    Em segundo lugar , será que os defensores desta maracutaia artistica vão querer nos convencer de que não só Maria Bhetania não teria condições de conseguir algum financiamento privado ou cotas de publicidade neste blog ( segundo os envolvidos o blog vai bombar e, como tal , seria atrativo para a publicidade ) , como esta dinheirama estaria melhor empregada no blog poético do que nos casos de investimentos ( serios obviamente ) em cultura para comunidades e regiões carentes ? Parem e pensem um pouco o que cada um de nós conseguiria fazer em termos de ações de cultura comunitária com R$ 1.300,000 , empregados de forma ética e responsável !!!
    Este caso está ao mesmo nível daqueles absurdos empréstimos bilionários do BNDES ( a ultimas duas letras da sigla significam “desenvolvimento social” , ok ? ) para grandes grupos empresariais do Brasil ( que tem todas as condições e estrutura para captar empréstimos nos mercados internacionais ) , adquirirem o controle acionario de seus concorrentes no exterior .
    Definitivamente De Gaulle sabia exatamente o que estava falando .

  54. Daniel Brazil17 de março de 2011 às 13:30

    É engraçado como alguns defensores do descalabro tentam defendê-lo fazendo confusão com a “alta cultura”. Admiro a Bethânia como artista, mas isso não me dá o direito de dar carta branca pra qualquer pilantragem que se faça em nome dela. E alta poesia, cá entre nós, se encontra de graça na internet, em inúmeros blogs que não desviam recursos públicos para cumprirem sua função..
    Este é o tipo de gente que é contra os Pontos de Cultura, por exemplo, porque dá chances para o “povinho” de revelar novas Bethânias…
    Parabéns pelo post, Implicante!

    (Gravz: Exatamente, Daniel. O ponto é outro, bem outro. Gosto da cantora Bethânia e continuarei ouvindo. Mas isso não me retira o direito de criticar outras coisas, aí como cidadão)

  55. Paula17 de março de 2011 às 13:30

    Quanto ganha um médico do SUS por uma cirurgia cardíaca? R$ 470,00 (quatrocentos e setenta reais). A nossa vida é bem menos importante do que o design do blog poético.

  56. Matheus Eduardo17 de março de 2011 às 13:27

    CADA gasto desse é pra 12 meses, CERTO?
    E a captação é por conta dela de empresas privadas, confere?
    (percentual de dinheiro que seria arrecadado na forma de imposto)

    (Gravz: Há um erro aí, e noto ser quase generalizado. Não, não é para 12 meses, mas PARA TODO O PROJETO. VÁRIOS dos que trabalham nele, p.ex., não darão EXPEDIENTE DE DOZE MESES. Ex: webdesigner. Faz uma vez e acabou. Motoboy, presumo, também não ficará um ano, dia a dia, para levar os posts de moto até o servidor. Bethânia ganharã 600 mil pela direção artística de TODO O PROJETO, e não para dar expediente por 12 meses. E assim por diante. Se nunca mais fizerem projeto correlato, pode-se dizer que a remuneração equivale a 40 trilhões de meses – já que algum resultado ficará para sempre. Não é exatamente a conta mais brilhante)

  57. Kiko Rieser17 de março de 2011 às 12:38

    Outra questão: qual das funções descritas no orçamento cabe ao Andrucha?

  58. Luciano17 de março de 2011 às 12:05

    depois eles dizem que a pirataria mata o artista.

  59. george17 de março de 2011 às 12:04

    Segundo essa matéria, o material não será captado em filme, mas em Beta Analógica.
    http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI4997312-EI6581,00-Andrucha+ataca+patrulhamento+idiota+contra+Maria+Bethania.html
    Ou seja, tecnologia antiga, qualidade de imagem de novela velha.
    Com a desculpa de que é projeto de internet, usa-se a definição padrão (SD), velha, sendo que hoje até o youtube já permite veicular em HD. Aliás, até telefones celulares já gravam em HD. E nem pra usar uma boa câmera 5D, boas lentes. Pra economizar logger e disco rígido, usa-se a velha fita beta. Lamentável.

  60. Frederico17 de março de 2011 às 11:47

    Li o projeto e achei totalmente coerente, um pouco caro, mas está de acordo com o nível das pessoas envolvidas, comoMaria Bethânia, Andrucha, Cosnpiração Filmes e Biscoito Fino. O Brasil precisa aprender a dar mais valor ao seu capital artístico, só assim deixaremos de ser essa merdinha subdeselvolvida e sem produção artística de alta qualidade. O problema é que o nosso povinho sempre se contenta com pouco, com qualquer coisa mais ou menos. Quando um artista de verdade decide fazer um trabalho de alta qualidade, surge a galera da mediocridade pra falar que não vale a pena pagar por isso.

    (Gravz: Se todos são assim consagrados, por que não pegam dinheiro direto de quem vai ver e/ou de seu público em geral? Há várias questões aí. A primeira, e que mais incomoda, é quando artista famoso e rico pega grana pública para algum projeto. A segunda: Conspiração Filmes tem como sócio Lula Buarque de Holanda, sobrinho de Ana Buarque de Holanda, a ministra. E aí, quando reclamamos ou trazemos essas observações, a culpa é do ‘povinho’. Ok, ok…)

    • Lu Silva17 de março de 2011 às 17:07

      Acredito que seria bem melhor investir esse dinheiro em educação para que as crianças e jovens pudessem ao menos gostar de poesia e conseguir saber quem é Maria Bethânia. Pois se perguntarmos em uma sala de aula do ensino médio quem é Bethânia, entre 30 alunos talvez um saiba dizer quem ela é, o que é uma pena, mas é a realidade.

    • Iuna18 de março de 2011 às 09:29

      Sabe, até concordo que faltam iniciativas culturais no Brasil, mas antes de se investir mais de um milhão em um blog há coisas mais importantes a fazer.

      Um investimento desse porte só tem justificativa em um país onde as necessidades básicas já tenham sido atendidas satisfatoriamente, e esse não é o caso do Brasil.

      Antes de deixarmos de ser “essa merdinha subdeselvolvida e sem produção artística de alta qualidade”, que tal deixarmos de ser essa merdinha subdesenvolvida sem sitemas de saúde e segurança de alta qualidade?. Há prioridades nessa vida, meu caro.

      Me entendam bem: não sou contra incentivo cultura, mas sim contra incentivo cultural superestimado.

  61. Alexandre Cruz17 de março de 2011 às 11:39

    Olá gente. Olha só. Eu prefiro mil vezes usar a grana incentivada para produzir QUALQUER COISA do que deixar essa grana ir para o bolso de algum político esperto. Se essa grana não foi usada para produzir um filme vai DIRETO pro mensalão mais próximo.

    Georgia, esse dinheiro não é tirado de ninguém Funciona assim: a empresa teria que pagar um tanto de imposto de renda, mas existe uma lei que permite que um certo tanto seja destinado à cultura. Se não me engano é a Lei Rouanet.

    Outra coisa, cinema é caro mesmo, senhores. Bem mais caro do que imaginam. Esse papo intelectualóide de que estão ganhando dinheiro demais é uma bobagem que, interessante perceber, vem do mesmo tipo de gente que vai lá na porta do Belas Artes protestar pelo seu fechamento. Gente, 600 mil não é NADA para produzir um filme e é óbvio que a indústria cinematográfica nacional tem muito o que crescer ainda. Então parem com a bobagem de querer ver coisas melhores na telona sem que se gaste dinheiro com isso. Enfiem na cabeça de que toda e qualquer grana gasta com a cultura valerá a pena e que ela precisa ser um negócio para continuar existindo, afinal isso aqui é capitalismo. Ou você acha que o MoMa vive de vento?

    Deixem as pessoas que estão produzindo ganharem sua grana em paz. Pegem no pé de quem te tira a grana do imposto e não te dá transporte público, nem saúde pública, nem segurança pública, nem nada que preste.

    My 2 cents

    (Gravz: Sim, cinema é caro. Então o empreendedor faz com a grana dele, em vez de fazer com a minha. Outra coisa: também não gosto de dinheiro indo para o bolso de político, mas isso não é desculpa para ir para este ou aquele artista já consagrado. Melhor fiscalizar a ação desses políticos, não? Mais ainda: baixar impostos, já que há essa ‘sobra’ de UM BILHÃO apenas em renúncia fiscal por parte da Cultura)

    • Carla17 de março de 2011 às 17:45

      Caro Alexandre,
      a Lei Rouanet foi criada para incentivar artistas NOVOS. E totalmente incoerente que ela
      va sempre para as mesmas pessoas, e de preferencia pessoas que ja devem voar com as proprias
      asas como a senhora Bethania, seu Chico Buarque e sua trupe.

      O orçamento para o Blog da Bethania esta realmente superfaturado. Pergunte para qualquer pessoa que trabalha em uma produtora que ha maneiras muitissimos mais baratas de se fazer esse video. O salario da “diretora artistica” Bethania e completamente absurdo.
      A nao ser claro que a Bethania e o Andrucha tenham em mente fazer 365 video clips com uma mega producao.
      E se voce trabalha em uma produtora sabe que muitos longas brasileiros foram feitos com orcamento ate mais baixo que esso. Isso nao e dinheiro para um blog.

      Nao e porque temos politicos ladroes que precisamos de cantores ladroes tambem. A diferenca e que de alguns politicos nos estamos esperando o pior, agora vamos esperar o pior dos “idolos da MPB” tambem

    • Daniela18 de março de 2011 às 00:19

      Por favor, me explica como dar 600 mil reais de mão beijada pra Bethânia vai “valer a pena”, pq eu não consigo conceber isso.
      Ela vai ganhar mais de meio milhão pra recitar poesia na frente de uma câmera. Esses 600 mil de salário como “diretora artística” não são pra pagar equipamento, fita beta (!!!) ou operador de câmera. São pra ir pro bolso dela. Só.

    • Iuna18 de março de 2011 às 09:23

      É verdade: ou o dinheiro vai pra corrupção ou vai pra projetos culturais superfaturados. Realmente não temos outra opção… é uma pena… (not)

    • Alexandre Cruz19 de março de 2011 às 13:13

      É simples: acorde cedo, coma direito, trate bem o próximo, faça exercícios regularmente, trabalhe duro e resolva SEUS problemas antes do Sol se pôr.
      Se quer resolver esse problema de “desvio” de dinheiro tente entrar para a Assembléia Legislativa.
      Sorte com seu blog.
      Cruz

    • Cris19 de março de 2011 às 13:17

      caro Alexandre, isso é corrupção política sim. não esqueça que o cargo de ministro é político. e o projeto tem algo de estranho pelas relações dos envolvidos. especialmente se considerares os sobrenomes envolvidos na produtora de vídeo e no ministério.

  62. Kiko Rieser17 de março de 2011 às 11:37

    Sobre a grana, entrei no projeto e vi que era maior que o aprovado. Ignorem, portanto, essa minha questão.

  63. Kiko Rieser17 de março de 2011 às 11:31

    Por que a soma de tudo isso dá 1 693 000??? Não era 1,3 mi? E câmera, refletores, microfonação, técnicos, etc?

  64. Luiz Nazario17 de março de 2011 às 11:29

    Até parece que esse foi o primeiro projeto com uma planilha assim aprovada pelo MINC dentro da Lei Rouanet. Filmes, peças, shows há anos recorrem a essa Lei com custos menores, iguais ou maiores. Artistas menores projetam coisas menores e ganham menos, famosos projetam coisas maiores e ganham mais. É normal. Se não querem cultura patrocinada, acabem com a lei. Não crucifiquem os artistas que a usam. O estranho é que ninguém se revolta com jogadores de futebol ganhando milhões no Brasil, servindo como modelos para as criança faveladas que não querem estudar pois acham que poderão enriquecer jogando futebol. Dentro dessa lógica brasileira cafajeste, o governo investirá 33 bilhões na Copa do Mundo. Poesia não vale nada. O Brasil precisa é de mais hotéis de luxo, precisa de mais estádios gigantescos de futebol, precisa de mais futuros Ronaldinhos… Acordem.

    (Gravz: Tava demorando para surgir o argumento ‘todo mundo faz igual’. Parabéns por estreá-lo aqui)

    • Alessandra17 de março de 2011 às 14:46

      Laririri larara lorororo
      E nunca na história deste país se investiu tanto em cultura!

    • Daniela18 de março de 2011 às 00:11

      Patrocinador de jogador de futebol não ganha incentivo fiscal. A empresa que patrocina jogador – e os clubes que pagam os salários milionários – não deixam de arrecadar impostos que poderiam ser usados para coisas mais úteis, como incentivar projetos de gente que realmente precisa de incentivo. A Maria Bethânia tem dinheiro suficiente, mais do que isso até, pra bancar esse projeto. Não precisa tirar dinheiro público pra fazer isso. E principalmente criar estes valores tão surreais e superfaturados pra ganhar mais.

      Dizer que “todo mundo pode participar da lei Rouanet” é lorota. Quer dizer, participar até pode, mas só quem é famoso ou global consegue financiadores, pq estes só querem investir em quem já tem nome. Ou seja, a lei não cumpre seu papel.

  65. Alexandra Rodrigues17 de março de 2011 às 10:50

    Eles vão ganhar isso em um mês? Ou é referente a um ano de projeto? Quanto seria o salário do webdesigner e do assessor de imprensa? Qual o prazo do projeto?

    Se puder dissecar isso, seria legal. :)

    (Gravz: Mas está dissecado, ora! É valor global, ou seja, pelo projeto todo. WEBDESIGNER NÃO VAI FICAR O ANO TODO WEBDESIGNEANDO. Ele prepara uma vez o layout e pimba. Também não se sabe quantas corridas um motoboy faz para postar algo num blog. Até hoje nunca precisei, mas nunca se sabe quando será a primeira vez… :P)

    • Aline18 de março de 2011 às 01:14

      Motoboy não faz corrida pra postar em blog, mas pra produzir 365 vídeos acho q é preciso algum rolê, hein?

      Pessoal fala como se ela fosse declamar “batatinha quando nasce…” no quarto, com uma Tekpix.
      Concordo q é dinheiro bagarai mesmo, principalmente o “salário” da Bethânia. E o projeto apresentado tá cagado, tbm.
      Entretanto, não deixa de ser triste ver nego histérico tacando pedra (não me refiro ao autor do blog, rs) com argumento de que incentivo fiscal prum projeto de cultura é uma coisa absolutamente inútil, porque o povo precisa de hospitais, escolas etc. E q pra fazer blog é de graça, só abrir no WordPress, kkk. Pelamor, o projeto não é O BLOG em si.

      (Gravz: Se são todos consagrados, por que precisam de dinheiro que seria recolhido em forma de impostos para melhorar outros setores?)

      • Aline22 de março de 2011 às 08:27

        Porque ser consagrado não significa necessariamente ter dinheiro suficiente para investir em qualquer projeto, principalmente aqui no Brasil.
        No mais, eu acho que todo mundo deveria aproveitar o “caso Bethânia” pra começar a ficar ligado o tempo todo em para quais projetos os impostos de grandes empresas que “investem em cultura” são destinados por esses mecanismos de isenção e quais são os valores e porcentagens em relação aos que são destinados pelo governo para áreas consideradas prioritárias.
        E confesso que tenho dúvidas em discernir o que é um projeto que vale a pena e o que não vale, mesmo. Não sei se acho que a fatia do bolo pra Bethânia foi um abuso total porque não consigo ter uma visão geral do bolo, de como são cortadas e de quem fica com as outras fatias. Não que não seja necessário, mas é confuso discutir quem merece isso ou aquilo num sistema tributário tão merda quanto o nosso.

  66. Marçal righi17 de março de 2011 às 10:38

    Tem muita coisa vergonhosa aí, mas esse negócio da captação de recursos tá certo, não tem o que reclamar

    é 10% do projeto, previsto em lei

  67. walter17 de março de 2011 às 10:32

    Eu tive a curiosidade de abrir o pdf para iniciar a leitura do projeto e de cara estranhei que um projeto desses deixe passar algo como:

    Acessibilidade
    Não há qualquer restrição de acesso ao projeto. Para possibilitar o acesso de pessoas com qualquer tipo de deficiência auditiva, inseriremos legendas em todos os vídeos postados no blog. Deste modo, acreditamos potencializar ainda mais o alcance do conteúdo gerado pelo projeto.

    Peraí legenda para possibilitar o acesso de pessoas com defifiência auditiva? tá certo isso Arnaldo?

  68. Regina17 de março de 2011 às 09:24

    E pensar que é gratuito se ter um blog! Tanto no blogger quanto no wordpress vc pode montar um blog rapidinho e de graça! Afinal, se vc quer blogar, pq cobrar para isso???? Ou vc investe ou usa o que está disponível! E se é para mostrar seu “trabalho”, então acho que deve-se investir seu próprio dinheiro! Como todo comércio, a gente precisa investir antes de ter lucro.

    Mas como se diz: “pra que simplificar se a gente pode complicar”.

  69. Pedro Daltro17 de março de 2011 às 09:23

    que lindo ver alguém dissecando esse projeto e explicando tim tim por tim tim do que se trata. e ainda tem defensores do governo dizendo q não se trata de dinheiro público… vai ver a grana cai do céu…

  70. Como a lei brasileira só serve pra ajudar quem já tem dinheiro17 de março de 2011 às 09:16

    […] pessoal do Implicante destrinchou o custo do projeto: 600 mil reais para a própria Maria Bethânia. Assim, eu quero escrever um livro e definir que quero ganhar 200 mil. Mesmo que o resto dos custos […]

  71. Fred Monteiro17 de março de 2011 às 08:56

    sinceramente… minha decepção com esta turma que se apossou do brasil não tem mais tamanho… é inifinita mesmo !.. qualquer pessoa com mais de dois neurônios consegue manter um blog no ar, de graça, pelo tempo que quiser.. eu sou músico, compositor, proprietário de um pequeno estúdio de gravação e tenho, seguindo valorosos companheiros, lutado dia e noite pela cultura pernambucana.. o que está acontecendo em pernambuco e no brasil, nessa área, é de fazer corar não um frade, mas toda uma ordem de pedra ! roubalheira deslavada, favorecimento de amigos e parentes, tudo amplamente denunciado todo dia, toda hora, por todo mundo que tem um pingo de respeito pelo dinheiro que pertence ao povo… incentivo fiscal de 1,5 mi~lhão de reais para maria bethania ?? por deus.. é o cúmulo da falta de respeito!

  72. Luz no Fim17 de março de 2011 às 08:53

    O site terá a estrutura semelhante a de um blog, com posts diários contendo um vídeo com Maria Bethânia lendo um poema.

    Eu acho que “os implicantes” deveriam fazer alguns posts com poemas criados por comentaristas e publicar de vez em quando.

    Vai aqui o primeiro:

    (Voz de Mª Bethânia)

    Agora que o tempo passa
    e eu encontro o carcará
    pego, mato e como
    depois vou viajar
    ó tempo, ó vida
    enquanto os homens exercem
    seus podres poderes
    eu viajo pra Holanda
    graças so amor e amizade
    dos Buarques de Hollanda.

  73. Alex Luna17 de março de 2011 às 08:48

    Ê Brasil,

    quanto mais a gente cava as coisas, mais m*rda encontra.

  74. Kellbonassoli17 de março de 2011 às 08:41

    Pesquisem o cnpj da QPA para vocês verem “que bacana”. Queria muito ver o contrato social deles e ver quem são os sócios… olhem no portal da transparencia e via google a quantidade de projetos baratinhos que eles já fizeram.

  75. Angelo Losguardi17 de março de 2011 às 07:25

    Cortaram 3 zeros da moeda e eu não fiquei sabendo ?????????????

  76. De Olho na Capital | O tal de “incentivo fiscal”17 de março de 2011 às 07:08

    […] tiver curiosidade (e tempo), pode ler o projeto da Maria Bethânia, que o blog Implicante (aqui) conseguiu obter. E avaliar a destinação dos recursos que, se captados, deixarão de ir para o […]

  77. gut017 de março de 2011 às 06:17

    Estou definitivamente na profissão errada. Vou comer a bunda do Caetano Veloso.

  78. r0gerx17 de março de 2011 às 05:21

    Continha de padaria muito inspiradora dessa planilha de previsão de custos. Aliás, fzendo uma outra continha rápida, cada poeminha custaria em média uns R$3,7mil, que pechincha né!?

    Tenho um bloguinho chulé com poeminhas e etc, deve dar uns 460 textos, se eu fzr esse faz de contas na razão (promocional) de R$3mil por cada poeminha, eu poderia me considerar o mais novo poeta rico/abonado do Brasil. Mas, como ñ tenho nenhum amiguinho maroto lá no Governo, continuo brasileiro com rimas pobres.

    Porém, visto que minha situação não tá fácioo, confessarei que estou pensando em reformular o meu Curriculum para sair por aí procurando emprego. E quando perguntarem minha PROFISSÃO, direi de peito estufado: SOU um Blogueiro-Poeta! Assim poderei dar um chute astroCômico* (lembrando da Gal) de dedão no Salário Pretendido!

    Aliás, “Vai um Slogan, Poeminha ou Textinho aí?”

    Ah, no comentário da outra postagem sobre esse assuntinho entortador de moral alheia, eu já havia previsto o “calote” no recolhimento dos direitos autorais.

    É isso ae, pessoas sofridas!
    =(

  79. João Baptista17 de março de 2011 às 04:36

    Quando uma empresa/instituição privada doa uma quantia a algo cultural, não o faz por benemerência, mas sim por uma questão de custo-benefício. Ou seja: quando aquilo que vier a deixar de pagar como imposto para os cofres da União, for suficiente para cobrir o valor que está sendo doado.

    Assim, o valor a ser recebido para a promoção de um bem ou ação cultural asseguraria, ao(s) doador(es), deixar de pagar o mesmo valor ou um valor até maior aos cofres públicos, sob a forma de impostos.

  80. Paula Izabela17 de março de 2011 às 03:44

    Posso usar o link desta postagem em meu blog?
    http://paulaizabela.blogspot.com/
    Grata!

    (Gravz: Claro que pode! Dando link pra cá, tá tudo firmeza)

  81. Renato Bizarro (@_Orrazib - twitter)17 de março de 2011 às 05:53

    vale mais uma pessoa de reality show ganhar 2 milhoes que Bethania 1… só pra ajudar pra cultura….

    né?

    ¬¬’

    • 18 de março de 2011 às 09:54

      Até prova em contrário, o dinheiro pago no Big Brother não vem de incentivos fiscais. É INVESTIMENTO da Rede Globo em um produto comercial, não esmola dada a artista que está precisando reformar a casa.

      E isso inclui a todos os picaretas que fazem uso dessa lei.

  82. Allan Mobley17 de março de 2011 às 05:12

    Meu Deus, nem sei como consegui manter um blog até hoje sem esse tipo de recursos. São essas e outras que mostram que o Brasil ainda é uma piada, e a politicagem corre solta nos risonhos lindos campos.

  83. Marcos17 de março de 2011 às 05:08

    Em plena era da modernidade (ora, o que é um blog senão uma ferramenta moderna?) o sr. Andrucha me vem dizer que vai filmar tudo em “fita beta analógica” (não carece de fontes, tem um link rolando por aí onde ele diz isso), ou seja, vão desperdiçar dinheiro, creio eu. Gravassem com um equipamento digital, e o custo disso poderia até ser menor. Mas quem se importa, se as tetas estão disponíveis?
    Alguém se lembra dos primórdios da internet no Brasil, onde a família do Vinícius de Moraes processou uma fã (e ganhou!) que fez um site homenageando-o, porque não pediram autorização para a publicação dos poemas? Bela divulgação da poesia, essa.
    Aposto um doce como os “motoboys” e outros trabalhadores contratados serão todos da mesma panelinha.
    Prestação de contas? Rá. Tá aí o Guilherme Fontes que não me deixa mentir.

  84. Cid17 de março de 2011 às 04:27

    vergonhoso, só.

  85. Rogerio17 de março de 2011 às 04:20

    Como parte, pequena, da engrenagem de produção de um filme, e conhecendo a corja que se alimenta do governo para fazer os seus, eu relamente fiquei estarrecido com a ultima parte, descrita como vídeo. Que demônios é aquilo? Ai como eu queria não ter caráter…

  86. Rodrigo17 de março de 2011 às 04:07

    Hum…só digo uma coisa…e…?????

    Esse é um blog oposicionista certo??? Não entendi…

    Belo projeto esse, parabéns para os autores!!!

  87. Georgia Maria17 de março de 2011 às 04:07

    Sim, eu entendi que não é dinheiro dado pelo governo, é dinheiro TIRADO do IR devido que iria para o governo. Ou seja, é um assalto cultural.

    • ENIO CINTRA18 de março de 2011 às 09:12

      Os projetos culturais devem trazer beneficios para a cidade, para o Pais.
      As Leis Culturais com isenção fiscal são muito boas e uteis para todos, sem causar tanto prejuizo para o GOverno oupara a população. Melhor do que ser gastos em viagens ao exterior e compra de calcinhas, ternos e outras coisas pessoais que os membros do governo fazem e ja foi divulgado nos escandalos de corrupção do governo e seus assessores.
      AS LEIS SÃO BOAS, UTEIS, MAS PORQUE OS VALORES TÃO ALTOS??
      RESPONDO: PORQUE MUITOS BRASILEIROS ESTÃO MUITO ACOSTUMADOS A LEVAR VANTAGEM EM TUDO. GANHAR MUITO SEM FAZER NADA
      TODOS NÓS PODEMOS TRABALHAR HONESTAMENTE, GANHAR RAZOAVELMENTE BEM, SEM ROUBAR…PORQUE OS VALORES ALEGADOS PARA ESTES PROJETOS É ROUBO.

      ENIO CINTRA
      ARTISTA PLÁSTICO

    • Foxled11 de abril de 2011 às 23:11

      Georgia, adorei te conhecer. Ainda que numa foto 2×2.

  88. Bruno Portella17 de março de 2011 às 04:06

    Olha.

    Fico me perguntando que tipo de poesia ela vai recitar. Se forem autores consagrados, pois bem, capaz até de estarem no domínio público, como dizem.

    Mas se forem de autores contemporâneos (o que seria ótimo), não pagar nem um qualquer de direito autoral é uma puta falta de sacanagem. Ou estou sendo irascível demais?

    Quer dizer, escritor hoje em dia morre de fome, não é todo mundo que é o Paulo Coelho. Tudo bem que a ‘vitrine’ da moça é forte, mas, po, uns mil réis pelo menos, pra ficar bem com a galera.

  89. Georgia Maria17 de março de 2011 às 04:05

    Eu li tudo, tô ganhando pouco e trabalhando muito nos meus sites, viu? preciso de um boy…hahahahahaha
    Isso aí sabe o que parece?
    “Pessoal, tá fraco o mercado, vamos ganhar alguma grana?
    “mas como?”
    ” Ué, a gente pede pra lá amiga Ana de Hollanda se ela passa um projeto, a gente faz os vídeos em 2 meses e recebe por um ano, que vcs acham?”
    ” Pô, beleza, mano!”

Publicidade
Publicidade