Implicante

/ Blog

14 de setembro de 2012

Financial Times diz que sistema tributário brasileiro é “cômico”

white 15 Financial Times diz que sistema tributário brasileiro é cômicoKindle

 Financial Times diz que sistema tributário brasileiro é cômico

Em época de “descontos” na conta de luz que sairão ainda mais caros ao “contribuinte” graças às tramóias com impostos que o governo faz com o dinheiro alheio (nunca que um governante faria o mesmo com o próprio dinheiro), o Financial Times, um dos jornais ligados à esquerda mais respeitados do mundo (se não o mais), voltou a ridicularizar o sistema tributário brasileiro.

O modelo de impostos brasileiro, que faz com que diminuição na conta de luz gerem gastos a mais para o contribuinte (como se um “desconto” em algo cobrado à força já não fosse uma contradição em termos) e que faz com que a tia da faxina pague o mesmo pelo açúcar do que o Eike Batista, foi ridicularizado, como sói, pelo jornal. O tipo de constatação óbvia que nenhum membro do governo tem coragem de fazer e demonstrar sua incompetência. Informa o Estadão:

O sistema tributário brasileiro “cada vez mais se parece com as populares telenovelas do País”, por ser “enrolado”, “cômico” e “incrivelmente difícil de seguir”, opina a jornalista Samantha Pearson, do Financial Times.

“Depois de meses de frequentes reduções e aumentos de impostos, o ato final do protecionismo brasileiro pareceu vir na terça à noite, quando do anúncio de maiores tarifas de importações em não menos do que cem produtos”, disse a jornalista no blog BeyondBrics, sobre países emergentes.

Ela afirma que a medida “certamente caiu bem” para as siderúrgicas do País, uma vez que as ações da Usiminas subiram 18% e as da CSN, 8%.

Como sempre precisamos lembrar a quem acha que só rico reclama de imposto, ou a quem vive de dinheiro do trabalho alheio, governar aumentando impostos é um pouco como jogar Sim City com cheat.

opintinho brasil Financial Times diz que sistema tributário brasileiro é cômico

compartilhe

Tópicos , ,

2 Comentários

  1. Plácido Neto17 de setembro de 2012 às 19:58

    Desejo ler a íntegra da reportagem no Finacial Times, podem fornecer ? Grato

Publicidade
Publicidade