Implicante

/ Blog

11 de outubro de 2012

Joaquim Barbosa, Messianismo e Lula

white 15 Joaquim Barbosa, Messianismo e LulaKindle

joaquimbarbosa Joaquim Barbosa, Messianismo e Lula

Não acho razoável que um Ministro do STF seja alçado à condição de herói, sobretudo pelo fato de apenas cumprir com suas funções. No Brasil, porém, isso acontece com Joaquim Barbosa. Alguns dizem que é pelo fato de não termos heróis ou mesmo porque os corruptos raramente são condenados.

Pode ser.

Mas não se deve culpar nem Barbosa e tanto menos os veículos que agora o colocam como um salvador da pátria. Isso está na raiz do comportamento de nosso povo. Sim, a “culpa” é do povo, no sentido de que adotou os salvadores da pátria e pais-de-pobres que se nos apareceram ao longo da história (não todos, é verdade, mas boa parte).

O último a valer-se desse procedimento populista foi ninguém menos que Lula. Os que hoje condenam o endeusamento de Joaquim Barbosa são EXATAMENTE OS MESMOS que aplaudiam – e ainda aplaudem – a postura messiânica do ex-presidente, alimentada principalmente pelo marketing do próprio partido.

Quando se acusava Lula de populismo, os que hoje condenam os aplausos a Joaquim Barbosa diziam, na época, que era normal, natural, resultado de bom trabalho. Ora, e quais os motivos dessa transformação do ministro do STF em um super-herói? Exatamente o cumprimento de seu dever. Então que também considerem isso normal e natural. E sem dar chiliques pelo fato de ele ter virado herói por condenar a cúpula do PT.

Desse modo, sem cair em teorias mirabolantes ou autores obscuros, a atual unção de Joaquim Barbosa pode e deve ser debitada na conta de quem alimentou durante anos o “mito Lula”. E quis o destino, com sua famosa ironia, que justamente o antigo herói fosse o principal atingido pelo novo salvador da pátria.

O mesmo povo que enaltecia o presidente salvador da pátria é esse que transforma o ministro do STF em herói. É pra lá de imbecil acreditar que há legitimidade num caso e manipulação no outro. Esses petistas precisam parar de gostar do povo só quando o povo concorda com eles.

Quanto ao mais, o choro continua livre, ao contrário de Zé Dirceu, João Paulo Cunha, Genoíno, Delúbio…

compartilhe

Tópicos , ,

5 Comentários

  1. Jailton Marques de Santana22 de outubro de 2012 às 11:00

    O Maior pecado da humanidade é a racionalidade, e dentre ela prevalece sempre a lei de Gerson, ” penso e se penso, primeiro penso em mim”…. Fruto da corrupção ativa e passiva, contagiosa que se alastra por toda a sociedade sem distinção de raça, cor, etnia etc……etc…….,contudo há uma inversão de valores, por conta do principio da moralidade.

    Jailton Marques de Santana
    Economista/Advogado- SP

  2. Rogério Lins13 de outubro de 2012 às 09:39

    A Democracia não é uma unanimidade. Platão era um anti-democrata, dos que se dizem perseguidos pela “ditadura”, poucos eram democratas: a maioria era marxista, leninista ou trotksta. Entretanto, hoje, vivemos em uma democracia, onde o povo é o juiz, a última instância. Não tem sentido portanto, nesse contexto, falar em “culpa do povo”.

  3. Publicitario Reacionario12 de outubro de 2012 às 09:25

    Talvez, o maior sinal da atraso na democracia brasileira seja esse fanatismo e a idolatria. Isso é pessimo porque cega a logica e foge da racionalidade do discurso. O brasileiro tem que parar de construir super-herois. Isso nao tem nada a ver com politica!

  4. Lobsomen11 de outubro de 2012 às 22:02

    Perfeito texto.

    E também pode debitar da conta destas mesmas pessoas os arroubos racistas contra o ministro. E, diga-se, são as mesmas pessoas que pregaram na cruz a moça que postou contra os nordestinos no Twitter .

    Mas os PETEBAS são assim mesmo. Quando oposição queriam uma CPI por semana.

    Agora se retorcem como cobras cegas que levaram uma boa enxadada.

    PS: será que o Comandante Chavez e o Evo-Lhama irão pronunciar-se ?

  5. Marcos Jr.11 de outubro de 2012 às 21:10

    “Triste do povo que precisa de heróis.” (Bertold Brecht)

    Mas frases de efeito à parte, quando o STF chancelou a desocupação da reserva da Raposa Serra do Sol (mesmo em se tratando de uma extensa área de fronteira) e as famigeradas cotas raciais, eram os paladinos do “progressismo”. Agora que estão condenando os envolvidos no Mensalão, são “marionetes da mídia conservadora”…

    Decidam, ptzetes.

Publicidade
Publicidade