Blog

Ainda Nassif (é, eu sei…): esclarecimentos, fatos e provas sobre os processos judiciais

Houve uma comemoração com a presença de blogueiros progressistas e também José Dirceu, considerado “chefe de organização criminosa”, no inquérito do Mensalão, pelo Procurador da República indicado por Lula. Deve ter sido animado.

O problema é quando Nassif resolve falar sobre processos judiciais e, bom… Não esclarece exatamente todos os pontos. Vejam o vídeo abaixo.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=b5jKt0OCzRk[/youtube]

Fundamentos
Sobre os processos contra a Veja, é FATO que ele perdeu de Diogo Mainardi, ao menos em primeira instância, cabendo evidentemente recurso. Ele não diz isso e, ao falar de ações que moveu contra a Veja, alega que “nenhuma ainda passou nem na fase inicial”. Essa passou.

Ao falar do processo que moveu contra mim – e PERDEU (sim, Nassif, vc perdeu…) – ele diz que o juiz de primeira instância “anulou o julgamento”. Não é verdade (óbvio, basta conhecer Direito para saber disso).

O juiz NÃO ACEITOU o pedido feito por Luiz Nassif, julgando-o IMPROCEDENTE e dizendo que eu – o requerido naquela contenda – apenas NOTICIEI FATOS ao falar de sua relação com o BNDES no tal blog.

Nassif também falou sobre custas na comemoração da revista (que deu origem ao vídeo). Ao contrário do que ele disse (óbvio!), claro que processos eletrônicos ensejam o pagamento de custas, tanto que… ELE AS RECOLHEU quando propôs a ação.

Consultem o processo por aqui e, uma vez na página, cliquem no ícone da “pastinha” (ao lado dele, há os dizeres “este processo é digital…”). Abrirá um PDF e, se ficar em branco, só clicar na página desejada.

Vocês vão ler todas as peças, decisões etc. E também o recolhimento de custas. Mas a parte de que mais gosto é mesmo a sentença, confesso.

Dados:
Processo 0347416-67.2009.8.26.0100
2ª Vara do Juizado Especial Cível – Vergueiro
Foro Central Juizados Especiais Cíveis

Já o processo movido por Diogo Mainardi, que ganhou de Nassif na primeira instância, tem o número 583.00.2008.172157-6 e tramitou perante a 41ª. Vara Cível. A sentença pode ser lida aqui.

Esses são os fatos – com provas. Durante anos – anos mesmo – fui chamado de “difamador” e daí pra baixo, sempre sem que muitos dos ofensores soubessem do caso corretamente (apenas repercutiam as acusações de alguém em quem confiavam).

E alguém que continua não falando a verdade toda.

ps.: o juiz de primeira instância pediu para ser informado do julgamento do Agravo de Instrumento – outro recurso perdido por Nassif. Eu também espero que tal informação chegue à vara de origem porque assim, finalmente, terei em mãos a certidão de trânsito em julgado.

ATUALIZAÇÃO
Nassif ganhou em primeira instância a contenda judicial mantida contra Eurípedes de Alcântara, editor da Veja. Acontece que o TRIBUNAL DE JUSTIÇA REVERTEU A DECISÃO PRIMÁRIA. Vejam por aqui ou, se der errado, procurem pelo processo de número 02871087420098260000 no site do TJ/SP, na opção 2ª instância.

Mais Lidas

To Top