Implicante

Blog

19 de maio de 2015

Higienismo? Governo petista do Acre expulsa imigrantes que chegam do Haiti

Haitianos em Missão de Paz - foto de Nelson Antoine Frame Folhapress

Haitianos em Missão de Paz – foto de Nelson Antoine Frame Folhapress

Haitianos em situação de penúria chegam ao Brasil aos milhares. É um dado cruel da realidade geopolítica atual. O problema tem sido a “solução” dada pelo governo do Acre: enviam essas pessoas a São Paulo, em ato que, se fossem outros a fazer, seria visto como “higienismo”. Vale lembrar que o governo acreano está nas mãos do PT há décadas.

A seguir, trecho de reportagem da Veja SP, via Estadão Conteúdo:

“O principal ponto de apoio de haitianos em São Paulo, a Missão Paz, na região do Glicério, centro, recebeu em apenas um dia três vezes mais pessoas que costumam vir do Acre. Entre as noites de domingo (17) e segunda (18), chegaram três ônibus com 100 novos imigrantes. Do total, vinte são mulheres, número que chamou a atenção do padre Paolo Parise, diretor da entidade. A probabilidade é que sejam familiares de estrangeiros já instalados na cidade.”

Se fosse o governo de outro partido a expulsar imigrantes, certamente a militância trezeconfirma alegaria “higienismo”. Como foi o governo do Acre (que é do PT), aí não dizem nada. Se bobear, capaz que apoiem.

19 de maio de 2015

Governo dos pobres? Conta de luz sobe mais de 1000% (sim, mil por cento) nas favelas

DilmaPosse

Segue trecho de reportagem do portal G1, por Mariucha Machado e Matheus Rodrigues:

“Moradores do Vidigal, Babilônia e Chapéu-Mangueira, todas comunidades localizadas na Zona Sul do Rio, estão assustados e preocupados com o aumento expressivo nas contas de luz — algumas pessoas tiveram um salto de R$ 60 para até R$ 900, o que corresponde a um aumento de 1400%. O problema começou depois que relógios digitais foram instalados das residências, mas tem gente com o sistema antigo com a mesma dor de cabeça.”

Quem lê o Implicante já sabe disso desde 2012! Confiram aqui e aqui. Nós avisamos…

18 de maio de 2015

A guerra contra a Lava Jato

sergio moroA reportagem da edição desta semana da revista Veja relata em detalhes a mais nova tentativa de anular a Operação Lava Jato: tentam provar que escutas clandestinas foram instaladas nas salas de inquérito.

A história está ganhando novos contornos. ProcuradoreS da Lava Jato divulgaram neste domingo uma nota a respeito. Leiam sobre ela neste post de Fausto Macedo para o Estadão:

Os investigadores identificaram o que chamam de ‘farto mercado de compra de dossiês’. Uma das investigações em andamento mira esses dossiês contra autoridades públicas encarregadas das investigações, e sua autoria.

“A Força-Tarefa do Ministério Público Federal no caso Lava Jato, diante das notícias publicadas na imprensa nacional (…) sobre o encontro de equipamentos eletrônicos na sede da Superintendência da Polícia Federal no Paraná, vem reiterar que as investigações na denominada ‘Operação Lava Jato’ são lícitas e livres de qualquer nulidade”, informa nota, divulgada neste domingo, 17.

Uma escuta clandestina encontrada no segundo andar da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba – sede das investigações da Operação Lava Jato -, há cinco dias e um depoimento do agente da PF Dalmey Fernando Werlang, tornado público na mesma semana, reforçaram as suspeitas dos investigadores.

Os editores de O Antagonista  explicam de forma mais sucinta:

Os procuradores da força-tarefa da Lava Jato suspeitam que investigações da PF estão colhendo informações com “conclusões preordenadas” para tentar “criar falsas nulidades” nos processos. Segundo o Estadão, o objetivo é tirar o controle dos inquéritos dos delegados da Superintendência da PF em Curitiba.

Os nove procuradores assinaram nota pública dizendo que “acompanham de perto” o trabalho da Corregedoria da PF em Brasília para averiguar se havia escutas ilegais na cela de Alberto Youssef. A força-tarefa identificou “farto mercado de compra de dossiês”.

Em outro post eles deixam as coisas ainda mais claras:

Como se pode ler no post interior, está em curso uma manibra para conferir aparência de ilegalidade às investigações da Operação Lava Jato.

A manobra é conduzida pela banda podre da Polícia Federal, aquela mesma que atacou o procurador-geral Rodrigo Janot, deu entrevista a telejornais — e foi denunciada, aqui, na série de posts “A guerra suja da PF”.

A manobra é coordenada. Dela fazem parte a banda podre da PF, o governo do PT e advogados de defesa de empreiteiros que, além de atuar nos bastidores, atacam publicamente o juiz Sergio Moro.

É preciso que a sociedade e os políticos de bem, os que restam, repudiem imediatamente esse ataque à Justiça.

Esta não é, certamente, a primeira tentativa de atacar a Lava Jato e impedir novas descobertas mas é, certamente, a mais sofisticada. O desespero com os últimos avanços da Operação nos dão a dica de que grandes revelações estão por vir.

11 de maio de 2015

Dilma contra Lula: Você acredita?

dilma lulal

O colunista e blogueiro de “O Globo”, Ricardo Noblat, publicou o post abaixo sobre as relações atuais no PT:

Sabe por que a presidente Dilma Rousseff não apareceu no programa de propaganda eleitoral do PT no rádio e na televisão, na semana passada? Porque ninguém a convidou.

É claro que mesmo assim poderia ter aparecido – bastava que pedisse. Mas ela não pediu – ou por medo de aparecer ou porque simplesmente não pediu.

Se você frequenta rodas de petistas ilustres ou não, e se desfruta da confiança deles absoluta ou relativa, inevitavelmente você os ouvirá falando mal de Dilma.

Há um fosso cada vez mais profundo separando petistas de Dilma. Separando Lula de Dilma.

Eles se queixam de que Dilma despreza conselhos por mais sábios que sejam. E quando concorda em segui-los, só o faz muito tarde.

Dilma foi alçada ao Ministério das Minas e Energia por Lula, apesar de sua pouca experiência. Foi também por ele que chegou à Casa Civil, tão logo José Dirceu foi arrastado pelo Mensalão. Dilma Rousseff, que não tinha história nenhuma no PT, nunca ocupara qualquer cargo de liderança no partido e muito menos tinha influência entre a cúpula, só foi candidata à presidência graças à decisão pessoal de Lula, que comanda com mãos de ferro o PT. Ainda hoje, não passa um mês sem que Dilma desloque-se até São Paulo para encontrar Lula, subvertendo totalmente a autoridade do cargo mais importante do país e submetendo-o aos gostos autoritários do ex-presidente.

Alguém realmente acredita ser possível uma briga entre Dilma e Lula? Alguém realmente acha que Lula deixou de dar ordens a Dilma? Que Dilma tenha coragem de desobedecer ou contrariar Lula? Por fim, alguém acredita que Lula tenha algum respeito pela autoridade presidencial de Dilma Rousseff? Dilma é a mulher brasileira mais submissa a ocupar um cargo de autoridade no país.

5 de maio de 2015

Haddad deve sofrer impeachment por negociar com traficantes

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, negociou com traficantes. Sim, é exatamente isso que você leu. Embora não tenha ganhado o devido destaque nos telejornais, a notícia saiu na edição de segunda-feira da Folha de São Paulo.

Reproduzimos os trechos reveladores:

Auxiliares do prefeito Fernando Haddad (PT) conversaram com traficantes da cracolândia, na região central de São Paulo, e anteciparam a eles detalhes da operação realizada na quarta (29) e que terminou em confronto entre usuários de drogas e policiais.

O diálogo foi mantido entre assessores do gabinete do prefeito paulistano e ao menos seis pessoas que se identificavam como “líderes” dos ocupantes da chamada “favelinha”, um conjunto de barracos dos viciados.

O objetivo era evitar uma reação violenta dos frequentadores durante a operação. Mas, segundo a Folha  apurou, a prefeitura foi surpreendida minutos antes da ação: os que se diziam líderes sumiram, e outros traficantes assumiram como interlocutores.

haddad_prefeito

A prefeitura paulistana não se pronunciou para negar a negociata com marginais desde a publicação da reportagem. No dia da ação na “favelinha”, o site da prefeitura noticiou assim a ação, com destaques nossos:

A Prefeitura de São Paulo iniciou hoje uma ação para desmontagem pactuada dos barracos na praça Julio Prestes (Luz), local conhecido como fluxo ou favelinha da Cracolândia. Além de servir de “moradia” pessoas em situação de rua e dependentes químicos, as lonas começaram a ser erguidas no local no ano passado também por traficantes como forma de escapar do monitoramento por imagem. A administração municipal está em diálogo há semanas com o governo estadual sobre essa situação.

Neste parágrafo a prefeitura reconhece que existiam barracas de traficantes no local e que fez um pacto com quem tinha barracas por lá. Como fizeram a distinção entre quem era traficante e quem era apenas usuário?

Vejam um trecho do post em que Reinaldo Azevedo fundamenta o pedido de impeachment do prefeito por quebra de decoro:

Impeachment
O senhor Fernando Haddad tem de ser alvo de um processo de impeachment. E já. Aliás, se os petistas tiverem um mínimo de juízo, não moverão uma palha para salvar o mandato deste celerado. Se eu fosse do partido, aplaudiria o impedimento de um sujeito que, obviamente, depõe contra uma legenda cuja reputação já está no lixo. Ser tida como um covil de ladrões parece ser ruim o bastante, não é mesmo?

Existe lei para pôr Haddad na rua? É claro que sim! Trata-se do Decreto-Lei 201, de 1967, que foi recepcionado pela Constituição de 1988.

Vejam o que define o Inciso X do Artigo 4º da Lei:
Art. 4º São infrações político-administrativas dos Prefeitos Municipais sujeitas ao julgamento pela Câmara dos Vereadores e sancionadas com a cassação do mandato:
X – Proceder de modo incompatível com a dignidade e o decoro do cargo.

Negociar com traficantes é incompatível com a dignidade e o decoro do cargo.

O Artigo 5º da mesma lei define a forma do processo, destacando que a denúncia pode ser feita por qualquer cidadão — e, claro!, por vereadores.

Reinaldo Azevedo repetiu esses argumentos em suas participações na rádio Jovem Pan.

Diante da reportagem da Folha, resta perguntar quem foram esses assessores do gabinete do prefeito. Quem foram os traficantes consultados? A única forma de Fernando Haddad se ver livre da acusação de quebra de decoro por negociar com traficantes seria dizer quem são esses assessores para que saibamos se foi uma ação individual e independente deles ou estavam sob as ordens do prefeito. Em último caso, os assessores do gabinete do prefeito podem alegar que é tudo invenção dos repórteres da Folha, gerando assim a necessidade de uma acareação.

O que não se pode é conviver com a hipótese do prefeito da maior cidade do país ter se reunido e feito acordo com traficantes de drogas.

 

2 de maio de 2015

A decadência de Lula

lula decadencia

Nesta semana, Lula saiu na capa da revista Época, em uma denúncia de tráfico de influência (confira aqui) – segundo investigações oficiais. Trata-se do capítulo mais recente – mas provavelmente não o último – de uma trajetória agora decadente, de queda cada vez mais acentuada. Ele saiu da presidência tratado (ainda que não justamente) como heroico estadista e, hoje, frequenta páginas desse tipo, em notícias bem pouco louváveis.

Não são poucos os que votaram em Lula, a ponto de fazer campanha entre conhecidos e familiares ou mesmo comemorar na rua sua vitória, que agora se dizem muito arrependidos. Tomando-se o universo dos que apostaram não apenas nele, mas também em Dilma, há contingente pra lá de expressivo. E a sucessão de denúncias, todas elas somadas ao péssimo estado da economia por conta das gestões petistas, faz com que o arrependimento bata cada vez mais forte nesses eleitores desiludidos.

E como Lula reage a isso? Como um profeta que se vê contrariado pelos fatos. A culpa, claro, é dos fatos, do mundo, do universo, mas não de suas atitudes. Nesse sentido, segundo a narrativa messiânica lulista, os detratores seriam da elite conspiradora, dos setores inconformados com a tamanha bondade do ex-presidente, entre outros espantalhos criados para esconder o óbvio. E qual a obviedade? Simples: o povo está arrependido de ter confiado em Lula. O povo se sente traído.

Ele sabe disso, é claro. A reação é até mesmo clássica. Após anos e anos e anos sendo bajulado e tratado como Salvador da Pátria (isso remonta a 1980, não é pouca coisa), sem nem mesmo permitir qualquer divisão no protagonismo de seu partido, agora ele se vê diante dos fatos reais, não do grupo que sempre o aplaudiu irrestritamente. Hoje, o povo de verdade vaia. E vaia alto.

Lula, se em vez de apenas esperto fosse de fato inteligente, teria saído do cenário político na posse de Dilma Rousseff, deixando que ela enfim protagonizasse o que seria uma nova era. CLARO que isso seria pura marquetagem, já que a desastrosa “Era Dilma” é nada além da continuidade e do resultado dos malfeitos da “Era Lula”. Mas (se fosse inteligente, como disse), ele teria saído do cenário. Porém, isso não existe no lulismo. Dilma sempre foi e pelo visto continuará sendo uma sombra do chefe (não, nenhuma feminista governista reclama disso, bem sabemos), a quem recorre em todo tipo de situação minimamente mais complexa, deixando claro quem toma as decisões.

Talvez fosse ruim para o ex-presidente alguém menos controlável no exercício do poder, alguém com menos submissão, mas ao menos seu legado (de novo, no sentido marqueteiro) poderia estar minimamente preservado. Mas, não. Mantendo-se em posição decisória, evidenciando cada vez mais quem de fato manda no governo, Lula colhe os resultados da egolatria histriônica.

Vale lembrar que praticamente TODO o “Petrolão” diz respeito ao seu período na Presidência da República – Dilma, na época dos fatos investigados, era “apenas” presidente do Conselho de Administração da Petrobras (sobre o que muito pouco se fala, aliás). Mas o chefão do governo era Lula (não que hoje seja menos chefe, mas naquela época o cargo era exercido de forma oficial). Assim, as denúncias recaem de forma mais pesada sobre ele.

Claro que a militância tratará essa nova etapa como uma perseguição ao salvador da pátria. Alguns poucos devem acreditar nisso de verdade. Mas, a essa altura, ninguém do povo leva a sério. As pessoas normais sabem muito bem os fatos concretos, e quem é o culpado por eles. E é exatamente isso que causa a revolta do ex-líder e a perplexidade de seus fanáticos seguidores. Vale lembrar, por exemplo, a derrota sofrida em São Paulo, nas eleições estaduais: Lula ungiu Padilha, que fracassou em terceiro lugar (algo inédito para o PT nas últimas décadas). E isso foi só o começo.

Lula está em decadência. Isso pode ser triste a si próprio, mas é ótimo ao país.

29 de abril de 2015

A verdade sobre o desemprego no Brasil

Reportagem do Jornal Nacional mostra as dificuldades dos desempregados

Reportagem do Jornal Nacional mostra as dificuldades dos desempregados

O governo Dilma publicou a seguinte nota em sua conta no Facebook:

O índice de desemprego no Brasil é mais baixo do que em países vizinhos e na Europa. O levantamento divulgado pelo #IBGE nesta terça (28) mostra que a taxa brasileira é 4 vezes menor do que a da Grécia e bem inferior a de países como Espanha, Portugal, Itália e França. Para seguir com esse cenário e fortalecer a economia, o governo promove um ajuste fiscal para enfrentar a crise e reduzir despesas. Confira: goo.gl/Pbh6Th #MaisTrabalhoMaisBrasil

Além de ser uma grosseria usar parceiros comerciais como exemplos negativos no assunto, a comparação é desfavorável e injusta a eles por ocultar um número que no Brasil é altíssimo ao ponto de distorcer os resultados reais: o de pessoas que não trabalha, está em idade ativa e mesmo assim não procura emprego. A grande quantidade de programas assistenciais no país aumenta e muito o número dos “desalentados”, como são chamados estatisticamente.

Além dos desalentados, também não são consideradas desempregadas no Brasil aquelas pessoas que fazem malabarismo em semáforos, pegam latinhas nas ruas e vendem balas no transporte público pois, embora tenham empregos precários, não estão procurando emprego. De cada 100 brasileiros que poderiam trabalhar, apenas 52 estão empregados devidamente. O consultor e analista político Ricardo Amorim tem um ótimo artigo publicado em junho de 2014 sobre o assunto. Leiam um trecho:

Só é considerado desempregado quem procura emprego e não encontra (3%) sobre o total dos que procuraram emprego (56%). Quem não procura (44%), tecnicamente não está desempregado. Esta não é uma manipulação estatística. O mesmo conceito vale no mundo todo. Porém, se a estatística não é manipulada, sua interpretação é. Baseado na baixa taxa de desemprego, o governo sugere que quase todos os brasileiros têm emprego. Na realidade, quase metade (47%) não tem e muitos estão subempregados – sem carteira assinada ou trabalhando menos do que gostariam. Basta uma hora semanal de trabalho assalariado para ser considerado empregado.

Excluindo-se empregados e desempregados, sobram os que só estudam, os aposentados, os pensionistas e os que não querem trabalhar, totalizando 44% da População em Idade Ativa (PIA). Na PME, a PIA considera todos acima de 10 anos. Quem tem menos de 18 anos não deveria trabalhar, mas paradoxalmente, incluí-los na PIA reduz a taxa de desemprego. Os poucos que trabalham aumentam o total de empregados, mas a quase totalidade dos que não trabalham não procura emprego. Por isso, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, também do IBGE, que mede o desemprego em 3,5 mil municípios entre os maiores de 15 anos, aponta uma taxa de 7%, contra 5% da PME. Considerando apenas quem tem de 18 a 65 anos, a taxa de desemprego seria ainda mais alta.

A porcentagem dos que trabalham em relação à PIA no Brasil (53%) é hoje menor do que na maioria dos países da Europa, onde as taxas de desemprego chegam a 5 vezes mais do que aqui.

A disseminação da mentira do pleno emprego na era petista é, em parte, resultado de erro dos grandes órgãos de imprensa, que não destacam a distorção. São ignoradas informações como a de que um em cada quatro jovens no país não trabalha nem estuda (dados de dezembro de 2014) e a de que 61 milhões de brasileiros não trabalhavam nem procuravam emprego (dados de janeiro de 2014, muito antes do agravamento das contas brasileiras).

A última planilha com resumo dos resultados da Pesquisa Mensal de Empregos divulgada pelo IBGE registra que, nas cinco regiões metropolitanas pesquisadas, há 43,589 milhões de pessoas em Idade Ativa mas apenas 22,727 milhões delas estão ocupadas, ou seja, 52,13% estão empregados e todo o resto não encontra emprego, está subempregada ou nem mesmo procura emprego.

Nesse caso como em tantos outros, a realidade brasileira mostrada pelo governo do PT só existe na teoria e nos efeitos gráficos da propaganda.

29 de abril de 2015

Brasil terá o pior desempenho em 20 anos, afirma FMI

Joaquim Levy

Ministro da Fazenda, Joaquim Levy

Trecho de reportagem no site da Exame.com, com informações do “Estadão Conteúdo”:

O Brasil pode ter em 2015 a pior desaceleração da economia em mais de duas décadas, afirma o Fundo Monetário Internacional (FMI), que volta a recomendar que, mesmo com a atividade enfraquecida, a presidente Dilma Rousseff siga em frente com o ajuste fiscal e monetário, de acordo com um relatório divulgado nesta quarta-feira, 29, chamado “Perspectiva Econômica Regional: Hemisfério Ocidental”.

“O Brasil está passando por sua desaceleração mais grave em mais de duas décadas, mas terá de perseverar com os recentes esforços para conter o aumento da dívida pública e repor a confiança no quadro da política macroeconômica”, afirma o FMI no documento.

A previsão do Fundo só confirma aquilo que já vemos se refletir na oferta de empregosdesaceleração da atividade econômica, paralisação de obras e fuga de investidores. Na contramão do esforço orçamentário necessário para superar as dificuldades, a presidente Dilma Rousseff triplicou os repasses ao Fundo Partidário no mesmo período em que seu partido anunciava que não mais aceitaria doações de empresas a seus diretórios estaduais, como também informamos por aqui.

28 de abril de 2015

A incrível história da banca de jornal que virou gráfica e recebeu R$ 16 milhões da campanha de Dilma

Gráfica-fantasma

Este é o local onde deveria funcionar a gráfica VTPB (fotografia tirada pelo Antagonista Mario Sabino nesta segunda, 27/04)

O Antagonista levantou:

Edinho Silva, tesoureiro da campanha de Dilma Rousseff em 2014, repassou mais de R$ 16 milhões a uma gráfica fantasma de Beckembauer Rivelino de Alencar e Muller de Alencar, irmãos do jornalista governista Kennedy Alencar.

A apuração é do site O Antagonista, em excelente trabalho investigativo movido pela denúncia da Operação Lava Jato contra a Gráfica Atitude, usada pelo tesoureiro do PT João Vaccari Neto para lavar dinheiro do Petrolão.

Ao checar as despesas com gráficas da campanha eleitoral de Dilma Rousseff através dos dados apresentados ao TSE pelo PT, chamou a atenção a quantia exorbitante de 16.677.616 reais recebida pela gráfica VTPB Ltda.

(…)

O Antagonista verificou então o histórico da gráfica VTPB na Junta Comercial de São Paulo.

“Ela foi aberta em 21 de julho de 2008, com sede na Avenida Ipiranga, 1071, conjunto 206, no centro de São Paulo. O objeto social era ‘Comércio varejista de jornais e revistas. Agenciamento de espaços para publicidade, exceto em veículos de comunicação.’ O nome popular para isso é banca de jornais.

Os titulares da empresa eram Beckembauer Rivelino de Alencar Braga (domiciliado em Campo Belo, Minas Gerais), e Muller de Alencar Castro Braga (domiciliado em São Paulo, Capital, na rua Dona Ana Barros, 320, Bloco A, apto. 73, Jardim Sônia).”

Repito: ambos os titulares – Muller e Beckembauer – são irmãos de Kennedy Alencar.

“O capital de 50.000 reais era dividido meio a meio.

“Em 4 de junho de 2009, Muller retira-se da sociedade e entra no seu lugar Wilker Correa Almeida – que, atenção, fornece o mesmíssimo endereço de domicílio de Muller.

Em 9 de novembro de 2011, houve uma redistribuição de capital. Beckembauer passa a contar com 49.500 reais. Ou seja, torna-se praticamente o único dono da VTPB.”

Agora é que vem a jogada:

Pouco antes do início da segunda campanha de Dilma Rousseff, em 25 de julho de 2014, houve uma alteração da atividade econômica da empresa. No objeto social, a VTPB passou a incluir ‘Sede para impressão de material para uso publicitário, edição integrada à impressão de cadastros, listas e outros produtos gráficos.’ O nome popular disso é material de campanha eleitoral. A sede é mudada para a rua Atílio Piffer, 29, Casa Verde, São Paulo. Endereço, por assim dizer, mais adequado para uma gráfica do que a Avenida Ipiranga.”

Ou seja: o objeto social da VTPB foi mudado no período eleitoral, a fim de poder emitir notas fiscais de serviços de impressão de folhetos e afins.

“No dia 14 de agosto de 2014, apenas 19 dias depois da alteração do objeto social, a VTPB emitiu a primeira nota para a campanha de Dilma Rousseff, no valor de 148.000 reais. Só naquele mês, foram emitidas mais oito. No total, foram 2.104.931 reais.”

(…)

(via Felipe Moura Brasil – grifos nossos)

…e o Coronel cortou:

O nosso blog vai acrescentar, neste post, informações muito relevantes que indicam que coisas muito estranhas cercam esta transação. Os dados deste post foram retirados de documento oficial postado no TSE e fornecidos pelo atual ministro da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, que foi tesoureiro da campanha presidencial de Dilma Rousseff.

São materiais de prestação de contas da campanha eleitoral presidencial de Dilma Rousseff.

O que segue, em imagens, é um exemplo de um dos processos de compra, pagamento, entrega, recebimento e cópia do material impresso que foi produzido pela gráfica VTPB, conforme informações fornecidas ao Tribunal Superior Eleitoral, pela sua campanha. Há dezenas deles que repetem a mesma “comprovação”.

Acompanhem com atenção. São documentos oficiais.

IMAGEM 1

Esta imagem acima mostra que a VTPB Serviços Gráficos e Mídia Exterior Ltda – EPP  está devidamente cadastrada, com situação regular junto à Receita Federal.
IMAGENS 2 E 3
Os documentos acima comprovam que o tesoureiro do PT, atual ministro Edinho Silva, efetuou diretamente a transação bancária que pagou pelos serviços da gráfica. Isto pode ser visto ao pé da página da imagem da TED. Fica comprovado, assim, que campanha presidencial Dilma Rousseff pagou, efetivamente, neste caso, neste processo, R$ 667.812,90 para a gráfica VTPB. Relembramos! Esta é apenas uma de dezenas de transações comprovadas da mesma forma. O total ultrapassa os R$ 16 milhões!
IMAGEM 4
Esta imagem é importantíssima. Observem os detalhes. Trata-se da Nota Fiscal da gráfica VTPB, informando o valor de R$ 667.812,50, cobrados por um total de 10 milhões 685 mil impressos, denominados “Santinho Dilma Modelo Card”.Observem o endereço de entrega: Avenida Copacabana, 1205, Apto 503, Tristeza, Porto Alegre, RS.  Até aí, tudo bem, não e mesmo? Tudo certinho, regular, fechadinho. A gráfica imprimiu e entregou, lá no Rio Grande do Sul, em endereço existente.
IMAGEM 5
Observem a imagem acima. O recebimento do material foi dado em São Paulo, mesmo que a entrega tenha sido feita em Porto Alegre. É apenas um detalhe. Mas é um detalhe. O mais importante está abaixo, nas imagens seguintes.
IMAGEM 6
Lembram que o material impresso foi entregue em Porto Alegre e o recebimento foi dado em São Paulo? A imagem acima mostra o modelo de “santinho” que foi enviado para o Rio Grande do Sul. É “santinho” da campanha de Fernando Pimentel, candidato petista em Minas Gerais. A campanha presidencial de Dilma Rousseff enviou os “santinhos” mineiros para Porto Alegre. Isso que é logística!
IMAGEM 7
Agora voltemos ao endereço de entrega. Olhem bem este endereço. Ele é a prova contundente de que existe algo de muito estranho no ar. Que endereço será este? Um diretório? Um comitê de campanha? Uma central de logística? Que apartamento é este, no quinto andar, que recebeu milhões e milhões de santinhos das campanhas petistas de todos os estados, mas que fica no Rio Grande do Sul? Revelamos abaixo.
IMAGEM 8
O apartamento onde foram entregues dezenas de milhões de “santinhos” para os candidatos do PT de todo o Brasil pertence à candidata Dilma Rousseff, conforme Declaração de Bens que apresentou ao Tribunal Superior Eleitoral no registro da sua candidatura. 
 
Temos, assim, uma gráfica que não existe no endereço informado.
Temos materiais de campanhas de todo o Brasil entregues por esta gráfica num único endereço, localizado no extremo Sul do país.
O local da entrega de dezenas de milhões de impressos é um apartamento de propriedade da Presidente da República, então candidata à reeleição.
Este blog não sabe se isto é legal ou ilegal.
Mas que é muito estranho, ah isso é!
 
Todo o material postado aqui está disponível neste link do Tribunal Superior Eleitoral.
26 de abril de 2015

Ex-ministro de Lula e Dilma diz que PT “exagerou no roubo”

2011_10_2617_46_3059655dilma_lupi_beijo

Matéria do Estadão:

BRASÍLIA- Ex-ministro dos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff e um dos “faxinados” do mandato passado, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, disse que os petistas “roubaram demais” e que o partido deles “se esgotou”. “O PT exauriu-se, esgotou-se. Olha o caso da Petrobrás. A gente não acha que o PT inventou a corrupção, mas roubaram demais. Exageraram. O projeto deles virou projeto de poder pelo poder”, disse Lupi um dia após a Petrobrás divulgar que a perda da estatal com a corrupção chegava a R$ 6,2 bilhões.

A declaração foi feita durante um encontro com correligionários na quinta-feira, em São Paulo. O Estado teve acesso à fala de Lupi, que foi confirmada pelo próprio dirigente pedetista.

(…)

Aos correligionários, Lupi também reclamou do tratamento dado pelo PT ao PDT desde que as duas legendas formalizaram a aliança em 2006, quando o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva disputava a reeleição. “A conversa com o PT, com o meu amigo Lula e com a presidente Dilma, é qual o naco de poder que fica com cada um. Para mim, isso não basta. Eu não quero um pedaço de chocolate para brincar como criança que adoça a boca. Eu quero ser sócio da fábrica, eu quero ajudar a fazer o chocolate.”

(…)

Planos. Procurado pelo Estado, Lupi confirmou o teor do discurso feito na quinta-feira. Ele nega que o PDT pense em deixar a base aliada neste momento. Acomodado no Ministério do Trabalho – cujo atual titular é Manoel Dias –, o partido conta hoje com 19 dos 513 deputados da Câmara e 6 dos 81 senadores.

Ex-ministro do Trabalho, Lupi deixou o governo Dilma em dezembro de 2011, após uma série de denúncias de irregularidades envolvendo integrantes da pasta. Apesar de o partido continuar no comando do ministério até hoje, a relação entre PDT e PT está a cada dia mais estremecida. Parte dos senadores do partido defende a saída imediata da base do governo. Na Câmara, a bancada da sigla não tem mais seguido a orientação do Palácio do Planalto na hora das votações.

Até agora, Lupi era apontado como o que mais resistia à ideia de deixar a base aliada. Hoje, no momento em que o PT passa pela sua maior crise desde que assumiu o governo, em 2003, o dirigente trabalhista resume assim o seu sentimento: “A gente não quer ser um rato, que foge do porão do navio quando entra a primeira água, mas também não queremos ser o comandante do Titanic, que ficou no barco até ele afundar”.

(grifos nossos)

Histórico

Relembre aqui as peripécias que levaram Carlos Lupi a ser varrido do governo pela “faxineira” Dilma no início do primeiro mandato.

Página 9 de 86« Primeira...7891011...203040...Última »
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Enquete

Escolham os nomes dos dois mascotes olímpicos do Rio:

Ver Resultados

Loading ... Loading ...

Arquivos

Publicidade

Em Rede

Publicidade