Implicante

Blog

6 de janeiro de 2016

Manobra de Dilma deu prejuízo de R$ 30 bilhões e quem diz isso é um órgão da própria Presidência

Dessa vez, será difícil para a militância dizer que se trata de boato ou notícia inventada. Isso porque a informação é da CGU (Controladoria-Geral da União), órgão ligado à Presidência da República. Vejam a manobra: Dilma Rousseff não usou o superávit primário de 2009 a 2013 para pagar suas dívidas, preferindo pagar despesas ordinárias.

Com isso, por óbvio, as dívidas CRESCERAM e a Controladoria já calcula o prejuízo em R$ 30,18 bilhões. Além disso, o aumento de “restos a pagar” configuraria drible na Lei de Responsabilidade Fiscal.

Típico deste governo.

5 de janeiro de 2016

As lorotas do primeiro ministro de Dilma e o velho truque petista de “tirar da reta”

Jaques Wagner é uma espécie de “primeiro ministro” da gestão Dilma Rousseff. Oficialmente, é o Ministro Chefe da Casa-Civil – cargo que já teve verdadeiros expoentes da democracia em seu exercício, tais como José Dirceu, a própria Dilma, Palocci e grande elenco.

Além da alta função, Wagner é apontado como “homem de Lula”, algo que certamente o qualifica para sempre dizer a verdade. Pois é. Não por acaso, soltou uma miríade de lorotas das mais brabas em entrevista concedida à Folha. A seguir, comentamos as mais patéticas:

O governo começou o ano falando em crescimento e vai acabar com retração de quase 4%, inflação em dois dígitos e juros altos. 2015 foi um ano perdido?
Foi um ano difícil. Não conseguimos compactar a base de sustentação ao governo no Congresso, a crise da economia mundial repercutiu aqui, assim como repercutiu os ajustes que precisamos fazer no começo do ano por conta das medidas de 2013 e 2014.

“Compactar a base de sustentação”? Ok, deixemos de lado o eufemismo risível. A cascata aqui é outra: NÃO HÁ CRISE INTERNACIONAL. O PT não desiste disso, é inacreditável, e fala como se fosse verdade, quase sempre sem contestação. Mas a realidade é outra: NÃO HÁ CRISE INTERNACIONAL. Repetindo: NÃO HÁ CRISE INTERNACIONAL. É aqui o problema, e esse problema é culpa exclusiva das gestões petistas.

O que o senhor quer dizer?
A impopularidade de Dilma hoje é consequência de que a gente teve que consertar medidas tomadas em 2013 e 2014, que tiveram seu lado positivo e, como tudo na vida, também consequências ruins. Mas nunca teve dolo. A banalização do processo como recurso eleitoral é o “impeachment tapetão”, que não é com motivo, é para recorrer do jogo que perdi em campo. Mas isso também será cobrado da oposição, porque impopularidade não é crime.

O cara não deve ficar nem vermelho dizendo isso. É incrível! Não, ministro, a queda na popularidade de Dilma Rousseff não tem NADA a ver com qualquer medida efetiva contra a crise. O motivo de nem 10% da população sustentar essa incompetente é porque ELA PRÓPRIA CRIOU A CRISE. E também por conta dos inúmeros casos de corrupção atingindo os governos petistas. Além, claro, de ter escondido a dimensão da tragédia durante a campanha, fazendo ainda por cima um monte de promessa que agora não tem como cumprir. Esses são os motivos reais que fazem Dilma Rousseff ser a presidente mais rejeitada da história do Brasil.

Por que o PT se entregou a estes métodos?
Porque ficou usando ferramentas que já eram usadas.

Que tipo de ferramentas?
Do financiamento privado [para campanhas eleitorais] e aí acabou reproduzindo metodologias. Talvez, porque nunca foi treinado para isto, deve ter feito como naquela velha história: “Quem nunca comeu melado, quando come, se lambuza”. Quem é treinado erra menos, talvez, né?

Essa é a parte mais vergonhosa de uma entrevista já suficientemente vexatória. Como sempre, a “culpa” não é de quem rouba, mas do próprio dinheiro que, poxavida!, estava ali dando sopa. É aquela velha anedota de pegar alguém traindo no sofá e culpar… O SOFÁ!

E, como sempre, os petistas tentam usar episódios deploráveis dos quais eles próprios são culpados para tentar sair como vítimas e ainda emplacar alguma tese da legenda. A bola da vez é o “fim do financiamento privado”, que para alguns incautos parece uma coisa boa, mas seria uma tragédia para o sistema político brasileiro.

A culpa do roubo não é do dinheiro, mas sim do ladrão. E é simbólico que este seja o “primeiro ministro” de Dilma, mais ainda que seja apontado como braço direito de Lula. Os dois atributos estão adequadíssimos, sem dúvida alguma.

5 de janeiro de 2016

Delator afirma que ex-ministro de Dilma e atual secretário de Haddad era sócio de Yousseff em laboratório

É bombástico o depoimento de Carlos Alexandre de Souza Rocha, ex-funcionário de Alberto Yousseff. Ele, que justamente carregava valores para o doleiro, afirma que Alexandre Padilha (PT/SP) também era dono do Labogen, empresa utilizada para lavagem de dinheiro.

Padilha foi Ministro da Saúde de Lula e Dilma Rousseff e autalmente é Secretário de Saúde de Fernando Haddad, em São Paulo. Ele concorreu ao Governo do Estado em 2014, ficando em terceiro lugar, mesmo após prometer que em sua gestão (sabe-se lá como) o Cantareira ficaria cheio d’água novamente.

Deu no que deu. O Cantareira encheu mesmo sem Padilha – e ele agora é alvo de uma delação gravíssima.

Fernando Haddad - Alexandre Padilha

De tudo, uma única certeza: o prefeitão Haddad não o demitirá.

5 de janeiro de 2016

Prefeitura do interior de SP cancela carnaval para comprar ambulâncias

Sim, a crise econômica é difícil e terrível. E, sim, é preciso racionalizar os gastos públicos. Mesmo diante dessas obviedades, é raro ver algum exemplo como o de Porto Ferreira, cidade do interior de SP.

A prefeita Renata Braga (PSDB) decidiu cancelar o carnaval e comprar ambulâncias com o dinheiro economizado na festa. Com isso, os R$ 120 mil serão empregados na saúde pública, não na comemoração do feriado.

O povo gosta de festança e merece sempre boas comemorações. Mas, antes disso, o povo PRECISA de saúde. De mais a mais, o carnaval em si jamais seria “cancelado” – apenas cortou-se dele o dinheiro público.

Carnaval cancelado - compra de ambulancias - Porto Ferreira SP

Corretíssima a atitude. Que sirva de exemplo a demais gestores do país.

4 de janeiro de 2016

Após PT dizer que Brasil deveria pegar dinheiro da China, bolsa do país asiático despenca

Claro que pode ser uma infeliz coincidência, mas é ainda assim significativo que a bolsa da China tenha DESPENCADO no primeiro dia útil após o Partido dos Trabalhadores revelar como medida de “solução” da crise econômica a tomada de empréstimo do referido país asiático.

Pois é… A bolsa chinesa teve uma queda tão violenta no dia de hoje que o pregão precisou ser encerrado antecipadamente. Foi a primeira vez na história que algo assim aconteceu.

Desse modo, só podemos tirar duas conclusões:

a) ou a ideia do partido que comanda o Brasil teve algum tipo de influência nisso; ou

b) o partido que comanda o Brasil não entende mesmo NADA de economia, a ponto de sugerir pegar dinheiro emprestado justamente de um país que passa por péssimos bocados.

Dilma Rousseff - China

Não há uma terceira opção.

4 de janeiro de 2016

“Pátria Educadora”: Dilma cortou R$ 10,5 bilhões da educação em 2015

Ao tomar posse, no início de 2015, Dilma Rousseff soltou a seguinte lorota em forma de lema: “Brasil, Pátria Educadora”.

Como sempre, era puro marketing para tentar recuperar sua popularidade (já caía significativamente, mas ainda não estava no buraco atual). E o que se viu, também como sempre, foi o descumprimento do prometido.

Somando todos os cortes realizados no Ministério da Educação em 2015, chega-se a R$ 10,5 bilhões. Isso porque seríamos uma “pátria educadora”…

Durante a campanha, aliás, a ameaça era de que muitos programas seriam cortados na hipótese de algum oposicionista tomar o poder. O que se viu foi exatamente isso, mas pela própria Dilma Rousseff, e em decorrência de ser incompetente (já que foi ela própria e seu partido os criadores da atual crise).

Enfim, é isso: não tem nada de “educadora” esta pátria. Aliás, a essa altura, já nem mesmo seria uma “pátria”.

4 de janeiro de 2016

Dilma prometeu cortar 3 mil cargos comissionados, mas não cortou nem 350

Quem não se lembra? No auge da crise, em meio a turbulências políticas e já abatida também por investigações que corroíam seu governo e seu partido, Dilma Rousseff anunciou um pacotão de medidas para tentar resolver o problema. Uma delas seria o corte de 3 mil cargos em comissão do governo federal.

Esse corte já seria irrisório, pois esse total corresponde somente TRÊS POR CENTO do total de funcionários. Ainda assim, nem isso foi feito. Nossa presidenta incompetenta (e não muito adepta de dizer a verdade) simplesmente não cortou nem 350 cargos comissionados. Isso mesmo. Praticamente 10% da promessa (que, por si, já era uma bobagem).

Dilma é assim: a mentira é seu estado natural. Foi eleita com base na lorota e governa subsidiada por cascatas.

4 de janeiro de 2016

A estratégia do governo Dilma para o início de 2016

Para este início de 2016, o governo de Dilma Rousseff já traçou e vem executando uma estratégia que consiste em dois movimentos táticos: poupar Renan Calheiros (e também evitar associar-se a ele, embora seja atualmente o mais valoroso e poderoso aliado) e atacar o quanto possível Cunha e Temer (associando-os o tempo todo).

Vai dar certo? É imprevisível, e em tese daria para dizer que não. Porém, a imprensa tende a aceitar mastigadinho tudo que sai da comunicação do Planalto e, desse modo, é sim bem provável que as táticas tenham êxito.

O ponto seguinte é saber se as pessoas vão engolir essa conversinha. Isso já escapa do poder de Dilma, já que ela investe pesado em comunicação e praticamente TODOS os releases são divulgados sem crítica alguma (até mesmo aqueles que saem como “nota de bastidor”). Ainda assim, o povo já não engole mais.

Foto Carlos Moura - Correio Brasiliense

De todo modo, preparem-se: janeiro será assim. Temer e Cunha levando pedrada e Renan Calheiros poupado – e também nunca associado a Dilma.

4 de janeiro de 2016

Lula sob investigação: confira a lista completa de apurações

O Estadão divulgou reportagem tratando a queda da popularidade de Lula, que já preocupa petistas para o quadro de 2016, ano de eleições municipais. Enquanto os petistas se preocupam sobretudo com isso, há outras coisas bem mais preocupantes – e a todos nós.

O trecho mais importante do texto, porém, é a lista de investigações sobre Lula e seu instituto. Os tópicos são BEM diversificados. Vejamos:

1) Tráfico de influência
Em junho de 2015, o MPF pediu esclarecimentos a Lula, ao BNDES e à Odebrecht por suspeita de tráfico de influência entre 2011 e 2014, acerca de contratos no exterior

2) Instituto Lula e Camargo Corrêa
Pagamentos milionários da construtora ao instituto do ex-presidente e também à sua empresa LILS, de 2011 a 2013, segundo informou a PF em junho do ano passado.

3) Tráfico Internacional de Influência
Apontando suspeitas de “vantagens econômicas”, foi aberta investigação criminal aberta em julho de 2015, pela Procuradoria da República do DF, com o objetivo de apurar eventual prática de tráfico internacional de influência favorecendo a Odebrecht.

4) BNDES
O nome de Lula foi citado pela PF nos autos da Lava Jato. O ex-presidente conversou com executivo da Odebrecht, Alexandrino Alencar, quatro dias antes de ele ser preso. Na conversa, houve preocupação com o “assunto BNDES”.

5) Primeiro delator cita Lula
Foi Ricardo Pessoa, dono da UTC, que falou de “repasses legais e ilegais”, citando R$ 2,4 milhões entregues à campanha de Lula.

6) COAF
O Conselho de Controle de Atividades Financeiras, do Ministério da Fazenda (ou seja, do próprio governo), emitiu em agosto, para investigação pelo MPF e pela PF, 3 relatórios indicando “movimentação atípica” da empresa de Lula, a LILS.

7) Depoimento como “informante”
A Polícia Federal requereu que Lula fosse ouvido no inquérito que investiga esquema de corrupção entre políticos na Petrobras. A suspeita era do ex-presidente ter-se “beneficiado pelo esquema”. O ministro Teori Zavascki autorizou a oitiva, mas com o depoente na condição de “informante”.

8) Segundo delator cita Lula
Agora, foi Fernando Baiano. Ele afirmou que o ex-presidente se reuniu pelo menos duas vezes com José Carlos Bumlai (o amigão que agora está também preso) e João Carlos Ferraz (na época presidente da Sete Brasil, criada pela Petrobras para construir navios-sonda). Segundo o delator, os encontros foram no Instituto Lula e depois deles houve a cobrança de R$ 3 milhões por Bumlai para pagar dívida de imóvel ligado à família de Lula.

9) Pagamentos da Odebrecht a instituições ligadas a Lula
Segundo laudo da Polícia Federal, foram quase R$ 4 milhões pagos pela Odebrecht a instituições ligadas ao ex-presidente, entre 2011 e 2014. Tais instituições – Instituto Lula e LILS – receberam R$ 17,2 milhões de empreiteiras investigadas pela Lava Jato.

10) Operação Zelotes
PF, Receita Federal e MPF cumpriram mandado de busca e apreensão no escritório de Luís Claudio Lula da Silva. A investigação apura o esquema de compra de Medidas Provisórias que teriam favorecido montadoras automotivas.

11) Depoimento à PF
Na condição de “informante”, Lula prestou depoimento à Polícia Federal em dezembro. Alegou ter desconhecimento dos esquemas de corrupção na Petrobras.

12) Prisão do amigo
O pecuarista José Carlos Bumlai (ver item 8) foi preso sob suspeita de intermediar propinas. O foco seria um empréstimo de R$ 12 milhões que poderia ter sido fraudulento, feito apenas para abastecer o Caixa 2 da campanha de Lula.

13) O amigo delata
Bumlai, com quem foram encontradas fotos em ambiente privado e de amizade com Lula, confessou: o empréstimo de R$ 12 milhões era pura fachada para levar dinheiro ao Caixa 2 de Lula. O valor depois foi “pago” ao Banco Schahin por meio de um contrato com a Petrobras.

Lula - Polícia Federal

A única questão cabível é a seguinte: o que mais falta? Esperamos que em 2016 isso tudo dê em algo. O Brasil precisa disso.

1 de janeiro de 2016

Feliz ano novo a todos!

Para o país, especialmente quanto à economia e à política, 2015 foi um ano terrível. Não há como negar esse fato. E é justamente isso que nos faz ter mais forças para buscar um novo ano ainda melhor.

Não vamos ceder em nossa luta, que muitas vezes é sim contundente e ríspida, mas sempre em busca do que acreditamos ser o melhor. E, a essa altura (nosso site faz 5 anos em 2016!), temos certeza que nossos leitores também seguem por essa toada.

Na verdade, somos uma coisa só: leitores, site. Uma força única que não aguenta mais esse governo e faz e fará tudo (dentro da lei, sempre) para mudar o quadro.

Feliz ano novo

Ainda assim, ou especialmente por isso, desejamos um 2016 feliz em todos os aspectos. Quem sabe, aliás, com aquele nosso sonho (de todos, não é) realizado…

Página 9 de 121« Primeira...7891011...203040...Última »

Enquete

Você tem força moral, reputação ilibada e biografia limpa suficientes para pedir o impeachment de Dilma Rousseff?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...

Arquivos

Publicidade

Em Rede

Publicidade