Blog

‘The Economist’ sugere a demissão de Mantega

Em texto sobre a economia brasileira, revista britânica cita o PIB pífio e as previsões desastradas do ministro da Economia

Reportagem da Folha de S. Paulo:

Apenas dois anos atrás, quando Dilma Rousseff foi eleita presidente do Brasil, a economia do país vivia um boom. Ficou paralisada e agora luta para se recuperar. Apesar do crescente esforço de estímulo do governo, a ‘criatura moribunda’ cresceu apenas 0,6% no terceiro trimestre, metade do previsto pelo ministro Guido Mantega (Fazenda).

A descrição acima é da revista britânica “The Economist” em reportagem sobre a perda de confiança na atual equipe econômica do governo. No texto, a publicação sugere a demissão de Mantega como uma alternativa para Dilma retomar a confiança dos investidores e alcançar um segundo mandato.

Fatores como a desaceleração nos preços das commodities e o endividamento das famílias são citados como as travas atuais da atividade econômica do país.

O termo “custo Brasil” também é usado para explicar porque o governo precisará contar com um esforço maior do lado da oferta -não do consumo-para garantir o crescimento nos próximos anos, com mais investimento e aumento de produtividade.

Apesar de iniciativas como redução dos juros e desoneração da folha de pagamentos, a taxa de investimento vem caindo nos últimos trimestres e representa hoje 18,7% do PIB, ante 30% no Peru e 27% no Chile, lembra a revista.

A avaliação da revista é que a intromissão do governo sobre a taxa de retorno em negócios como bancos e elétricas gerou desconfiança entre os investidores. “Até mais que o antecessor, Luz Inácio Lula da Silva, Rousseff parece crer que o Estado deve direcionar as decisões de investimento privado”.

Diante do quadro apresentado no texto, a sugestão final é de que o Banco Central errará se decidir por mais um corte na taxa de juros e que o governo deve focar na redução de custos deixando livre o “espírito animal” do investimento privado.

A revista vai mais longe. Indica a Dilma que prove ser pragmática como diz ser demitindo o ministro Mantega, “cujas projeções superotimistas minaram a confiança dos investidores”, e nomeie uma equipe econômica capaz de reconquistar a confiança.

(grifos nossos)

Comentário

A The Economist definitivamente não conhece o Brasil e o governo petista. Em 10 anos de governo, não se teve notícia de quadros demitidos por incompetência por Lula e Dilma. Pelo contrário, alguns costumam ser até premiados por ela. E isso também não costuma tirar votos, visto que até o notório Fernando Haddad acabou conseguindo se eleger prefeito de São Paulo.

Notícias Recentes

To Top