Implicante

/ Blog

27 de fevereiro de 2012

TV Cultura aparelhada? Por quem?

white 15 TV Cultura aparelhada? Por quem?Kindle

sayadmarta1 TV Cultura aparelhada? Por quem?

Não, não é brincadeira. Há tempos se ouve a ladainha da blogosfera a soldo a respeito da TV Cultura, de que estaria a serviço dos tucanos, tal e coisa. A patrulha funciona, e vocês vão ver o quanto é eficiente.

Acompanhamos uma semana de programação jornalística da emissora, agora sob a batuta de João Sayad (ex-secretário da Marta enquanto prefeita) e trazemos a vocês os 10 comentaristas do Jornal da Cultura dos dias 13 a 17/02. Vejam só:

Segunda: Marco Antonio Villa e Airton Soares
Villa, doutor em história e mestre em sociologia, definitivamente não é petista. Seus textos, aliás, fazem parte dos poucos que ainda ousam enfrentar o governo – e são especialmente raros por saírem de um acadêmico de humanas. Já Airton Soares, bom… simplesmente FUNDOU o PT e dele foi expulso por cometer o crime de votar em Tancredo Neves no colégio eleitoral de 1985. No ano passado, coordenou a campanha à presidência da também ex-petista Marina Silva. Acreditem vocês: segunda é o dia relativamente “equilibrado”.

Terça: Paulo Saldiva e Ricardo Abramovay
Saldiva é especialista em atmosfera e, vamos dizer, marinista/marineiro. Como boa parte dos marináticos, tem dois pés e um pedaço do tronco no petismo (apenas faz aquelas ponderações sobre meio-ambiente etc.). Evaristo Almeida, do PT, elogiou a participação de Saldiva num seminário realizado por sindicato ligado ao partido. E “do outro lado” fica Ricardo Abramovay, que é co-autor de um estudo (pdf) que enaltece prefeituras petistas, um livro que enaltece a gestão petista – mais que um mero simpatizante, portanto.

Quarta: Ricardo Sennes e Arlene Clemesha
Sennes é PhD em Relações Internacionais e também é sócio da empresa “Prospectiva”, cujos artigos podem ser lidos aqui. Não é exatamente um crítico ferrenho do governo, por assim dizer… E “na outra trincheira” fica a professora Arlene, militante acadêmica da causa palestina. Em seu currículo na plataforma Lattes, consta participação em evento petista. Um dado curioso (muito, aliás): também no Lattes, aparece o seguinte: “Coordenadora do Curso de Língua, Literatura e Cultura Árabe do Departamento de Letras Orientais (DLO/FFLCH-USP).” e, na hora dos idiomas que domina, apenas Inglês, Francês, Espanhol e Italiano (declarando ter fluência plena em todas as habilidades (leitura, escrita etc.) apenas em inglês. Talvez seja um equívoco, ou então basta apenas o inglês extremamente profíco para COORDENAR o curso de Língua, Literatura e Cultura Árabe no Departamento de Línguas Orientais da USP. Será que o DCE vai protestar, na hipótese de REALMENTE tudo isso ser verdade (reiterando: tá na plataforma Lattes que a própria autora atualizou NESTE MÊS).

Quinta: Maristela Basso e Wladimir Safatle:
Basso é Doutora e Pós-Doutora em Direito Internacional pela USP, tem opiniões geralmente bem técnicas e até já escreveu artigo contra a atuação brasileira no Haiti. Mas ela debate – vejam que coisa horrível – com ninguém menos que Wladimir Safatle, um velho conhecido destes últimos tempos. Embora dispense apresentações, reitero a importância desse texto do Flavio Morgenstern e também da SOVA que Wladimir levou de João Pereira Coutinho. Divirtam-se.

Sexta: Airton Soares e Carlos Novaes
Já falamos de Airton, fundador do PT e hoje marinando. Seu colega de “debate” é Carlos Novaes, outro marinístico. Participou de um tal Movimento Marina Silva, mas aparentemente não gostou muito do fato de que alguns eram remunerados enquanto ele exercia seu trabalho gratuitamente, tendo comunicado tal episódio ao Ministério Público Federal. Carlos participou de uma tal trilogia sobre o PT e seu texto foi elogiado por ninguém menos que Gilberto Carvalho, atualmente enrolado com denúncias nada louváveis.

Pesquisamos sobre esse dia, a sexta-feira, e às vezes por lá comparece Luiz Felipe Pondé, filósofo com mestrado, doutorado e pós-doutorado em universidades que vão da USP, Universite de Paris, University of Tel Aviv etc. Notoriamente, alguém que não defende o PT, bem ao contrário; mas, infelizmente, não está lá toda semana.

Resumo
Esses são os comentaristas do principal jornal da TV Cultura. Alguém tem CORAGEM de negar um aparelhamento ideológico que, numa análise derivada, representa forte pendência para determinada corrente partidária no cenário brasileiro?

Pois é. São os fatos, são as biografias, são os artigos, são as posturas e filiações. Mas parte da militância petista (sobretudo a da internet, os pagos e os vai-na-valsa) insiste na “teoria do aparelhamento tucano”. O objetivo parece não ser mais “ocupar” parcela do espaço, mas tomá-lo na integridade.

Uma neutra, dois antipetistas. O resto não é exatamente crítico da gestão atual e tem passagens – por assim dizer – no PT. Reiterando que o Presidente da TV Cultura é João Sayad, ex-secretário de Marta Suplicy na Prefeitura de São Paulo e, bom, não exatamente um conhecedor da emissora que preside.

Aparelhamento? Pode ser, mas de qual partido?

compartilhe

Tópicos ,

11 Comentários

  1. alexandre3 de março de 2012 às 15:34

    http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2012/03/03/inpirada-em-upp-do-rio-policia-ocupa-bairro-de-curitiba-e-moradores-aprovam.htm

    leia essa outra reportagem sobre a UPP tucana no Paraná. Lá o secretário diz : “o objetivo não é prender mas retomar território”. E aí, mano ? Vai chamar a operação de midiática ? “Maquiagem tucana” ? rssssssssss
    Chuuuuuuuuuuuuuuuupaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa Gravataí Merengue !!!! rssssssssssssssssss

    (Gravz: Vou sim, numa boa. Acho erradíssimo, seja no Rio ou Paraná, que não se prenda o criminoso e sim faça maquiagem. Não tenho problema em assumir isso qq que seja o partido; vc, que é pau mandado do Cabral – que fase… – não pode fazer o mesmo :))

  2. luiz2 de março de 2012 às 10:27

    Já foi bem aparelhada sim nas épocas Quércia/Fleury, Maluf, Egydio, Natel, etc. A expressão “jornalismo chapa-branca” surgiu lá.
    Depois melhorou.

  3. Conservatore29 de fevereiro de 2012 às 13:44

    Caro Gravatai Merengue, o marxismo cultural reinante no Brasil, foi implantado pela geração uspiana de 50,60 e 70 ,que exportou o modelo marxista para as outras federais brasileiras; pelo PSDB, principalmente por FHC com a estratégia gramsciana. O PT só reproduz o modelo herdado, com a gravidade do radicalismo e a aversão ao mínimo de oposição(nem que seja de faz de conta). Se fosse só a TV Cultura que estivesse aparelhada, os brasileiros estariam em melhores condições intelectuais. A questão é que não só a grande mídia está aparelhada, mas, o Judiciário e o Legislativo também. Estamos com pouquissímas opções políticas, se é que a temos.

  4. Luiz Fernando28 de fevereiro de 2012 às 18:58

    O cara que apresenta o Roda Viva tem que se decidir ou é apresentador ou advogado do PT.Os dois não dá.

  5. Edmar27 de fevereiro de 2012 às 23:51

    Flavio

    estou postando aqui por nao ter outro campo relacionado, mas tem q ver c/ “boquinhas” e como aparelhamento tbem tem a ver c/ boquinhas…rs.

    Veja esta ong:

    http://www.institutojoaogoulart.org.br/

    veja o conselho e os patrocinadores tbem!

  6. Luiz Carlos Oliveira27 de fevereiro de 2012 às 22:43

    E a âncora (antiga de casa), defende quem?

  7. Thiago27 de fevereiro de 2012 às 22:03

    Nada disso é importante para os petistas… o importante é acusar, mesmo que seja mentira, o tal “aparelhamento tucano”…

    E o povo “ingenuo” acredita nas historinhas para boi dormir…

  8. Edufonte27 de fevereiro de 2012 às 21:35

    Joao Sayad também foi ministro do planejamento do sarney. Um dos criadores do plano cruzado.

  9. Bruno Frank27 de fevereiro de 2012 às 19:12

    E o pior é que ainda é um dos melhores jornais da televisão. Eu gosto bastante da tv cultura e realmente nunca sequer cheguei a pensar que fossem Psdbistas ou coisa parecida. Pelo que parece, eles tem um leque bem variado de comentaristas.

    • Gravatai Merengue27 de fevereiro de 2012 às 22:23Autor

      A variação é de 7 para 3, mas geralmente 8 para 2 – e tô contando nesse “2” uma comentarista que não toma partido algum, vez por outra simpatizando ou antipatizando com isso e aquilo. De resto, vixe

  10. Edson Framil27 de fevereiro de 2012 às 18:10

    Seria até ingênuo deixar de pensar que cada partido (no caso o mais forte da coligação) não faria alterações a bel-prazer em suas agências e outros meios de controle público que estiverem à sua disposição… apesar de que a questão é bem mais profunda do que isso. :

Publicidade
Publicidade