Artigos

Enfim, temos de fato uma oposição popular ao PT

Não falo aqui de partidos ou pequenos grupos, mas de um sentimento disseminado entre muitas pessoas, com direito a passeatas com muita gente (não poucos gatos pingados) sem que sejam de sindicatos ou associações e ONGs pelegas.

manifestação

Há uma novidade excelente neste país: temos, enfim, uma oposição de fato ao PT. Partidos oposicionistas sempre tivemos, mas não é a eles que me refiro: falo aqui de um sentimento disseminado, algo que vem das pessoas comuns, não de lideranças já estabelecidas institucionalmente. Durante muitos anos, houve políticos tentando arrebanhar pessoas para a oposição; hoje, há todo um povo contrário ao governo, independentemente de organização partidária.

Isso precisa ser celebrado, sem dúvida alguma. E resulta de uma campanha eleitoral que foi violenta, repleta de mentiras, ataques baixos, calúnias etc. Não se trata de inconformismo de “maus perdedores”, mas sim de um ‘despertar’ para a política por parte de setores inteiros até então apáticos e desorganizados.

E então temos que o PSDB – o grande partido da oposição – não acompanha todas as demandas de todas as pessoas que hoje vão às ruas. Ora, natural. Normalíssimo! Mas daí a praticamente desmerecer TODO o movimento a distância é longa (e isso flerta muito intimamente com a burrice pura e simples).

Pois foi exatamente o que fez Xico Graziano; e espera-se que os verdadeiros líderes do partido não o acompanhem nessa ação contraproducente. É preciso deixar claro que tais opiniões não refletem o pensamento do partido quanto às principais demandas do povo que vai às ruas.

Em primeiro lugar, Impeachment é uma figura institucional, dentro da lei, algo que só acontece por meio do devido processo legal e havendo ampla defesa. Não é golpe, portanto. Além disso, há acusações bastantes que, se verídicas e confirmadas, certamente a decorrência lógica e jurídica seria o início desse procedimento impeditivo. Ponto.

Mas deixando de lado o óbvio – que foi ignorado pelo tucano -, há hoje um movimento popular oposicionista CONCRETO, algo que nunca se viu desde o início da era petista no governo. E a oposição partidária, se assim quiser ser de verdade, não pode ignorá-lo. Ao contrário, DEVE ouvir suas demandas, dialogar, juntar-se a essas pessoas e, quem sabe, até mesmo liderá-las.

O PT não gostar disso é natural, pois ameaça o poder do partido. Mas a oposição instituída desmerecer as ruas? Aí não faz sentido, chega a ser bisonho. Quer fazer bonito com os amigos de esquerda? Então, antes disso, deixe claro não fazer parte da oposição. Porque não faz.

Quanto ao mais, toda força aos que vão às ruas contra o PT! E que a união prevaleça entre os que realmente querem mudar o país. As eleições se foram, mas desta vez a turma não esmoreceu. Ponto para o Brasil.

ps – falei aqui sobre reportagens tendenciosas – uma delas CORRIGIDA pelo jornal (FSP) – que imputavam ao movimento demandas autoritárias. Mesmo depois da correção, elas serviram para munir a militância petista acerca do ato, fazendo com que os considerassem antidemocráticos. Incrível, portanto, que justamente um dito líder tucano tenha embarcado nessa.

Notícias Recentes

To Top