Blog

Após prisão, Dirceu ganha direito de incluir clandestinidade na aposentadoria

A portaria foi assinada pelo Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, mesmo após José Dirceu ser preso pela Operação Lava Jato.

Foto: Nelson Almeida/France-Presse

Foto: Nelson Almeida/France-Presse

Não, você não leu errado. José Dirceu, condenado por corrupção pelo Mensalão, que já estava em prisão domiciliar quando foi preso novamente pela Operação Lava Jato, acaba de ganhar o benefício de incluir o período de clandestinidade em sua aposentadoria. Isso foi graças a uma portaria do Ministro da Justiça.

Segue trecho de reportagem de Evandro Éboli no jornal O Globo:

“O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, assinou na semana passada portaria que autoriza o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu a contar o tempo que viveu na clandestinidade — entre outubro de 1968 a dezembro de 1979 — para efeitos de aposentadoria. A portaria, junto com outras 68 que envolvem ex-perseguidos políticos, foi publicada no Diário Oficial da União no dia 4 de agosto, um dia após a prisão do petista pela Polícia Federal, investigado pela Operação Lava-Jato. Para assinar a portaria, Cardozo considerou o julgamento do pedido de Dirceu na Comissão de Anistia que, em junho deste ano, aprovou, por unanimidade, a concessão desse tempo para efeitos previdenciários. Com a publicação, o ex-ministro poderá requerer, no INSS, sua aposentadoria.”

Quando o povo se aposenta, porém, não há muitos benefícios.

To Top