Blog

Brasileiro desaprova o governo Dilma em 8 de 9 áreas pesquisadas

Políticas sociais seguem em queda e no momento estão sendo aprovadas dentro da margem de erro.

dilma-preocupada2

Os governistas, disfarçados ou não, celebraram em setembro ao menos dois números acerca do governo Dilma. O primeiro deles surgiu no dia 10 quando uma pesquisa da CNT dizia que 74% dos brasileiros eram favoráveis à vinda de médicos estrangeiros ao país. O segundo, um pouco mais tímido, celebrava já no dia 27 uma recuperação da imagem da presidente, que naquele instante chegava a 54% de aprovação.

Por mais que tais dígitos soem como respostas, eles podem significar algumas perguntas intrigantes: por que 74% dos brasileiros são favoráveis à vinda de médicos estrangeiros? E quão sólida é esta momentânea aprovação do governo?

Saúde

Para a primeira pergunta, na mesma pesquisa do dia 27 saiu algo bem esclarecedor que estranhamente não ganhou tanto destaque da mídia chamada de golpista pelos governistas. Seguindo a leitura disponibilizada pelo CNI/Ibope, descobria-se que 77% dos brasileiros não aprovam o trabalho realizado pelo governo Dilma na saúde, índice este que vem crescendo nos últimos meses, mesmo quando o Mais Médicos já estava sendo implantado. É um número só 3% acima dos 74% que aprovam a vinda de médicos estrangeiros. Portanto, não parece ferir a lógica concluir que os brasileiros querem a vinda de profissionais de outros países porque estão muito insatisfeitos com tudo o que foi colocado à disposição deles até aqui.

Reprovação geral

A segunda questão pede uma resposta mais subjetiva. Mas o mesmo trabalho pode trazer alguma luz. Ao todo, a pesquisa CNI/Ibope pediu para os entrevistados avaliarem 9 áreas de grande interesse em qualquer governo. Em todas elas, os índices pró governo tiveram quedas. E, somada à saúde, um total de 8 áreas foram reprovadas de acordo com a população:

  1. Saúde
    Cresceu de 66% para 77% a desaprovação do governo
  2. Segurança pública
    Cresceu de 67% para 74% a desaprovação do governo
  3. Impostos
    Cresceu de 64% para 73% a desaprovação do governo
  4. Taxa de Juros
    Cresceu de 54% para 71% a desaprovação do governo
  5. Combate à inflação
    Cresceu de 57% para 68% a desaprovação do governo
  6. Educação
    Cresceu de 51% para 65% a desaprovação do governo
  7. Combate ao desemprego
    Cresceu de 45% para 57% a desaprovação do governo
  8. Meio ambiente
    Cresceu de 39% para 52% a desaprovação do governo

Programas sociais se salvam com a margem de erro

A pesquisa tem margem de erro de 2% para mais ou para menos. Os número apresentados dizem que 51% dos entrevistados aprovam o combate à fome e a pobreza que vem sendo realizado pelos programas assistencialistas do governo. Do outro lado, 47% dos brasileiros desaprovam as mesmas iniciativas, enquanto 2% disseram não saber opinar. Dentro da margem de erro, isso pode signicar tanto um 53% x 45% quanto um 49% x 49%.

No entanto, comparado às pesquisas anteriores de março e junho, nota-se não apenas uma tendência de queda, como de acentuação da mesma. De 64% de aprovação, passou por 60% antes de chegar aos atuais 51%. Portanto, não seria uma surpresa o “placar” virar na próxima rodada de perguntas.

To Top