Blog

Delcídio não poupa ninguém; confira o que ele diz de cada um na delação

Pois é, sobrou pra todo mundo.

No dia 03/03, a revista Isto É revelou parte do conteúdo da delação premiada de Delcídio do Amaral (PT/MS). A bomba foi tão poderosa que alguns militantes simplesmente NEGARAM a existência do acordo – chegaram a divulgar uma nota que “negaria” tudo, mas num formato inusitado e patético: era uma foto de monitor de computador (sim, a coisa circulou desse jeito e, também sim, claro que a delação existe).

Pois bem: confirmadas as reportagens, notícias e mesmo notinhas acerca do teor do depoimento do ex-líder de Dilma no Senado, parece que não sobrará pedra sobre pedra. Praticamente todo mundo é atingido de alguma foram, seja com acusação formal ou citação pouco abonadora.

Vejamos uma lista breve, com parte do que já se sabe que será dito sobre algumas figuras proeminentes:

Lula

Do que saiu até agora, imputa-se ao ex-presidente a compra do silêncio de Marcos Valério e também a ordem para dar dinheiro à família de Cerveró e teria ainda pressionado a CPI do CARF para proteger sua família. Bomba atômica, portanto.

Dilma

Segundo a delação, ela interferiu na Lava Jato, teve dinheiro de Belo Monte nas campanhas, sabia do caso Pasadena e assim por diante. Certamente, será a mais afetada, e a contundência é objetiva: as palavras partem de seu ex-líder no Senado. Não dá para, agora, dizer que ele não tem credibilidade.

Cardozo

O ex-Ministro da Justiça é atingido na parte em que o delator revela a interferência de Dilma na Lava Jato. Sua saída abrupta do ministério agora ganha contornos mais dramáticos.

Erenice

Como já falamos hoje, a outrora braço-direito de Dilma foi também acusada. Segundo Delcídio, ela participou da operação com o uso de verba da usina de Belo Monte nas campanhas de 2010/2014. Ela também foi ministra da Casa-Civil de Lula, quando substituiu a ex-chefa e então candidata petista à presidência.

Palocci

O ex-ministro de Lula (Fazenda) e Dilma (Casa-Civil) teria participado do mesmo esquema de Erenice.

Renan

O presidente do Senado também aparece na delação, segundo se noticia. Ele e seu grupo teriam apadrinhado diretores em agências reguladoras, bem como alguns dos envolvidos na Lava Jato, como Cerveró e Paulo Roberto Costa. Ele também seria muito ligado a Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, que Delcídio já teria visto “seguidas vezes” despachando na residência oficial da presidência do Senado.

Aécio

O senador tucano por Minas Gerais também foi citado, o que antes de tudo coloca o PT numa sinuca de bico: o partido precisa disso para atingir Aécio Neves, mas ao mesmo tempo confirmam que Delcídio seria uma testemunha crível. Segundo o Radar, da Veja, recaem sobre Aécio duas acusações: intervenção para ocultar dados da quebra de sigilo do Banco Rural, evitando que afetasse o governo tucano em MG, e também ao caso de Furnas, sobre o qual já circularam documentos falsos pela rede.

Temer

Até o hoje provável futuro Presidente da República é mencionado. Segundo a delação, Temer seria o “grande patrocinador” de Jorge Zelada – condenado por corrupção – na diretoria internacional da Petrobras.

E tem mais? Ainda não sabemos. Isso é o que vazou por enquanto.

Enfim, claro que a delação, por si, não implica em verdade absoluta. Tais fatos precisam ser comprovados e o benefício do procedimento só é atingido no caso de serem VERDADEIRAS as declarações.

Delação---Delcidio

De todo modo, caso tudo seja mesmo confirmado, essa será a maior bomba da história da república. Poucos sobrarão em pé.

Mais Lidas

To Top