Blog

Filha do repórter morto por black blocs lembra a Gregório Duvivier que eles são assassinos

“Aos dois BLACK BLOCS assassinos de meu pai, a justiça ainda irá prevalecer.”

Na ânsia por defender os absurdos cometidos nos protestos violentos da esquerda brasileira, Gregório Duvivier assinou na Folha de S.Paulo uma coluna que tenta quebrar o recorde da desonestidade intelectual. E talvez até tenha, apesar da concorrência alta. Contrariado com um editorial do jornal que lhe serve de picadeiro, além de espalhar muita desinformação, o humorista cometeu as seguintes palavras: “Dona Folha, a senhora já conheceu um ‘black bloc’? ‘Black blocs’ em geral têm 12 anos, espinhas e mochila cheia de roupa preta e remédios pra acne.

Vanessa Andrade não gostou da descrição. E, em seu perfil prefil no Facebook, fez questão de lembrar a Duvivier que o pai dela, Santiago Andrade, repórter cinematográfico rememorado recentemente no Implicante, morreu pela ação irresponsável de dois black blocs. Em dado momento, ela desabafa: “Aos dois BLACK BLOCS assassinos de meu pai, a justiça ainda irá prevalecer.

O Implicante toma a liberdade de reproduzir abaixo as palavras de Vanessa. O depoimento original pode ser lido aqui.

“Eu prefiro acordar nesse dia 6 – um dia depois do aniversário do meu pai e da publicação de um certo artigo – e pensar como Gregório Duvivier. Pra ele Santiago Andrade não existe, não morreu. Aqueles dois mascarados, ele diz, em geral têm 12 anos, espinhas e mochila cheia de roupa preta e remédios pra acne.

Mas, olha, Gregório, pelo menos concordamos em um ponto. Você diz que existem muitas razões pra ter medo. Mas não as mesmas razões. É verdade, te juro. Você está aí, com seu programa bacana, aparecendo na TV e na web, tá aí ganhando sua graninha, até mostrou sua casa bacana para uma revista outro dia. Eu tô aqui, batalhando na vida também, com alguns sonhos interrompidos, carregando o sobrenome Andrade na identidade e no peito. Eu tô aqui, Gregório, lembrando bem do sangue de Santiago Andrade nas mãos, sentindo as feridas com meus dedos e revivendo um rosto tão alegre deformado por um rojão. Uma bomba atirada pelos black blocs, esses aí que você defende em um texto lindo e com português impecável. Esses que você diz não ter medo.

Da próxima vez, só lembra de ouvir os dois lados, princípio básico do jornalista, aliás, da vida. Sai desse ar condicionado e vem aqui que eu te conto quem é Santiago Andrade. Garanto te dar uma aula sobre as verdadeiras vítimas desse seu discurso infeliz e desrespeitoso. Tenha um bom dia, senhor Gregório Duvivier.

E aos dois BLACK BLOCS assassinos de meu pai, a justiça ainda irá prevalecer.”

(grifos nossos)

To Top