Blog

Greve Geral: entenda por que a adesão de professores particulares talvez seja um tiro no pé

No pé deles próprios e da esquerda, claro.

Pela primeira vez desde 2003 (pois é, pois é…) os professores particulares decidiram aderir a uma greve. Segundo o noticiário, docentes de escolas privadas cruzarão os braços nesta sexta-feira, numa mistura de movimento paredista de protesto e emenda de feriado (já que segunda-feira é 01/05).

Mas a questão é outra. A adesão a uma greve 100% partidária, promovida por entidades sindicais ligadas a um partido (sim, todos sabemos qual), a esta altura do campeonato e diante da situação política do país, tende a resultar num grande tiro no pé. E de canhão, bem nos pés dos professores e do “esquerdismo escolar”.

Expliquemos.

O debate sobre ideologização e partidarismo nas escolas, também nas particulares, começou há algum tempo, porém ainda há pouca difusão ou adesão. A iniciativa de agora, por óbvio, jogará muita lenha nessa fogueira. E isso não é previsão, mas fato: já está acontecendo.

Segundo noticia o Estadão, muitos pais estão revoltados com a greve. Tanto porque pagam verdadeiras fortunas (a lista de colégios elencada pela Folha de SP reúne a nata da elite), quanto pelo fato de que não querem o ambiente de ensino de seus filhos transformado num diretório partidário.

Esse é o tiro no pé do esquerdismo que, com essa picuinha de emendar feriado para fazer pirraça ideológica, verá crescer como nunca iniciativas como o Escola Sem Partido. Enfim, algo simples: ação e reação.

O tiro nos “próprios pés” dos docentes é ainda mais simples de ser explicado: os pais, que mensalmente pagam fábulas aos colégios, sobretudo considerando aqueles já agora revoltados com a adesão à greve, tenderão a adotar TAMBÉM critérios ideológicos-partidários na hora de escolher uma instituição aos filhos.

Podem anotar: isso será um tiro no pé.

E a ironia final é que o fato tenha sido iniciado nas escolas em que estudam os filhos da “elite paulistana”, justamente o grupo mais execrado pelo esquerdismo brasileiro.

Mais Lidas

To Top