Blog

Já que a CLT não é cumprida, a esquerda deveria ser a primeira a defender sua revogação

Não é essa a conclusão deles quando dizem que é preciso mudar a lei das drogas já que pessoas insistem em consumi-las? Por que não aplicam o mesmo raciocínio à CLT?

Em primeiro lugar, é preciso deixar clara a ironia parcial do título. CLARO que o descumprimento de uma lei, por si, não implica necessariamente na urgência de ela ser modificada. A brincadeira é por conta do raciocínio esquerdista quanto às regras que eles desgostam: sempre apontam descumprimentos para dizer que “falhou” (mesmo considerando que a grande maioria as cumpre; mas sigamos, depois voltamos a isso).

A CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) precisa SIM ser mudada, e isso independentemente dos casos de descumprimento. Aliás, precisa mudar justamente por isso: a grande e imensa maioria EVITA empreender justamente porque não pretende burlar a lei e, com isso, há menos empresas e estabelecimentos; consequentemente, menos empregos.

Sim, sim! As leis trabalhistas, no fim das contas, prejudicam principalmente os trabalhadores. Só o esquerdista nega isso; os fatos confirmam tais dados.

Mas vamos ao fato alarmante para depois emendar ao raciocínio do título: no Brasil, há 10 milhões de empregos informais. Sim. DEZ MILHÕES.

Proporcionalmente, considerando a População Economicamente Ativa, é um índice altíssimo. Muito maior que o de consumidores de drogas ou infratores de qualquer outra lei que a esquerda queira mudar (e usa a desculpa do “ninguém cumpre” para requerer isso). Mas, claro, a CLT eles querem que continue assim. Mesmo sendo a menos cumprida.

E é justamente essa que PRECISA mudar, para sobretudo salvar empregos, permitir tantos outros e colaborar para a saída do buraco.

Mais Lidas

To Top