Blog

Memória: documento rasurado foi a prova cabal de que o triplex seria mesmo de Lula e Marisa

A tese de que o apartamento não seria deles fez água definitivamente após a ex-primeira dama pedir restituição do valor pago.

Mencionamos mais cedo a lorota de que o triplex não seria do Lula e de Marisa Letícia pois “a dona teria sido indiciada”. Como é sabido, e a esta altura já por todos, não há apenas um apartamento do tipo no Edifício Mar Cantábrico (Guarujá/SP). De fato, houve indiciamento dos proprietários de uma das unidades (ligados ao escândalo Panama Leaks); e, hoje, o indiciamento do líder máximo do petismo e de sua esposa.

Desse modo, é fundamental rememorar o grande fato que ensejou esse indiciamento: dona Marisa assinou uma proposta que JÁ CONTINUA O NÚMERO DO APARTAMENTO, porém o papel foi rasurado e passaram a infantilmente dizer que se tratava de outra unidade. Sim, um troço primário e bem mocorongo.

Vejam, a seguir, o documento na íntegra:

rasura_01

Agora, o detalhe da rasura:

rasura_02

Pois bem, não há o que dizer, não é mesmo? Meteram esse “141” por cima do “174” (atualmente, a unidade é “164”, pois todo o edifício passou a ter um andar a menos). Curiosamente, a sobreposição acabou formando também um “171” (o 7 antigo com o 1 sobreposto).

Ficou provado, portanto, que houve SIM a adesão à unidade imobiliária por meio da Bancoop (Cooperativa dos Bancários) e, também sim, tratava-se daquela que hoje é um triplex (174). Em razão disso, as investigações se intensificaram e mais e tantas outras evidências foram surgindo.

E os petistas deveriam ter tomado um pouco mais de cuidado antes do alvoroço patético da semana passada. Afinal, a própria Marisa Lula pediu na justiça o ressarcimento dos valores pagos pelo triplex. Ora, quem é que pede de volta um dinheiro que não gastou? Pois é.

Agora, que aguentem.

Notícias Recentes

To Top