Blog

Não, a Kéfera não recebeu R$ 3 milhões via leis de incentivo para um filme

O filme é dos produtores. Ela é apenas uma atriz do “É fada!” e, como tal, seria espécie de funcionária da produção.

Em primeiro lugar, e nossos leitores sabem disso, o Implicante é um ferrenho inimigo da forma como as leis de incentivo são usadas no Brasil. Já falamos disso milhares de vezes, já cobramos mudanças em todas elas, enfim, essa é e sempre será nossa posição.

Mas o caso, aqui, não é sobre tal mérito, mas sim acerca de um equívoco que tem sido cometido nas redes sociais.

Kefera Buchmann - E fada_2

Segundo divulgam – de forma errônea -, a webstar Kéfera Buchmann teria recebido uma dinheirama, via lei de incentivo, para fazer “seu” filme. É assim mesmo que transmitem a notícia e, por óbvio, isso está errado. E é injusto com ela, acima de tudo.

A razão é simples: no filme, ela é atriz. Não é produtora, nem diretora, nem nada. Ela atua. É, portanto, uma “funcionária” da produção. Em síntese: trabalha, recebe pelo trabalho e fim. Exatamente o que acontece em praticamente todos os casos, de atores mais ou menos famosos.

Se a produção do filme recorreu a uma lei de incentivo, isso não significa que todos os seus atores sejam os responsáveis por isso. Não faz nem sentido uma coisa dessas.

Enfim, é importante colocar um “freio de arrumação” nessa história.

Sim, devemos questionar esse tipo de lei e, ao menos aqui no Implicante, continuaremos. Mas, não, não faremos isso cometendo injustiças ou acusando quem não tem nada a ver com o pato e, bem ao contrário, está recebendo por um trabalho honesto.

E contamos com vocês para que divulguem a verdade.

To Top