Blog

Não ia secar? Cantareira volta ao nível anterior à crise; agora, PT e mídia passam vergonha

Tinha muita gente “torcendo contra” e garantindo que a água acabaria em questão de dias.

Sim, a água ia acabar. Não em anos, mas em DIAS. O discurso, que nasceu por motivação política-eleitoral, logo se transformou em pauta para a imprensa e passou a ser uma “verdade”. Davam como certo que acabaria em agosto, depois adiantaram para julho, então mudaram para outubro (coincidentemente, logo após as eleições). A quem tiver curiosidade, recomendamos esse histórico de manchete que fizemos.

O candidato petista ao Governo do Estado em 2014, Alexandre Padilha, garantiu que não haveria mais água em 48 dias. O partido pôs isso numa peça eleitoral e, de novo, a mídia divulgava como dado concreto. Talvez não tenha sido tão por acaso o fato de que o mesmo Padilha não chegou nem na segunda colocação, uma verdadeira façanha.

E hoje uma nova notícia faz com que essa turma toda passe vergonha. Mesmo torcendo contra de forma descarada, e partidarizando um tema até mesmo calamitoso, a verdade MAIS UMA VEZ superou a versão militante. E o nível do Sistema Cantareira, hoje, está no nível de antes da crise.

O episódio também serviu para deixar claro que um lado chega a torcer contra toda uma população, caso isso possa trazer benefício eleitoral.

Mais Lidas

To Top