Blog

O advogado de Dilma que chorou é o mesmo que com ela tentou melar a Lava Jato 3 vezes

E quem garante isso é ninguém menos do que o ex-líder do governo Dilma no Senado

José Eduardo Cardozo terminou a defesa de Dilma aos prantos implorando para que a petista fosse julga “pela Justiça“. Seria comovente se tudo não fizesse parte de um jogo de cena previamente acordado com documentaristas que filmam todo o julgamento para vender ao mundo que o Brasil viveu um golpe de Estado agora em 2016. Mas há como se indignar ainda mais com a situação. Basta, para isso, lembrar que foi justo ele que, em nome de Dilma Rousseff, agiu para obstruir a Justiça e tirar Marcelo Odebrecht das garras da Lava Jato.

Os detalhes foram apresentados na delação premiada de Delcídio do Amaral, que, na época do ocorrido, liderava o governo no Senado como representante do PT. Segundo o senador cassado, foram três investidas. A primeira delas, em uma reunião secreta em Portugal, contaria com a participação do mesmo Ricardo Lewandowski que hoje arbitra o julgamento do impeachment. A segunda envolvia a nomeação de Nelson Schaffer para a vaga de Newton Trisotto, o relator da Operação Lava Jato no STJ.

Ambas findaram frustradas. Mas a terceira deu alguns passos, pois conseguiu colocar Marcelo Navarro no mesmo STJ, e o voto de fato seria dado no sentido de tirar Marcelo Odebrecht da cadeia. Contudo, o empreiteiro segue preso.

É esse o advogado que saiu aos prantos pedindo para que Dilma Rousseff fosse julgada “pela Justiça”.

Mais Lidas

To Top