Blog

O impeachment de Dilma é o fim da Era Lula?

Pode ser que sim, mas é preciso ter MUITA calma nessas constatações.

lula-pisca-620

Dilma Rousseff pode ser a derrotada nominal, já que o impeachment que passou ontem pela Câmara (e ainda depende do Senado, como lembramos aqui) tinha nome e sobrenome da nossa “ainda” presidente. Mas é lícito dizer que o GRANDE DERROTADO de ontem foi Lula.

O outrora maior político do país, cuja capacidade de articulação era elogiada até por adversários, não conseguiu a votação mínima para fazer o governo escapar. Mesmo com a máquina na mão e podendo fazer ofertas de todo tipo, não obteve os cento e tantos votos necessários para barrar o impeachment.

Derrota acachapante, avassaladora, de certa forma até mesmo humilhante.

Mas ressalte-se: de ontem. Ele não está morto politicamente. Soa entusiasmante dizer que a Era Lula chegou ao fim, mas é preciso ter muita cautela com isso.

Ele já escapou de situações tão ou mais drásticas. Em 1994, com o Plano Real, perdeu para Fernando Henrique Cardoso logo no primeiro turno. Mas sobreviveu. Concorreu de novo em 1998 e NOVAMENTE perdeu no primeiro turno, já com denúncias graves aparecendo. Ainda assim, foi eleito em 2002.

Sobreviveu às denúncias de 2004 (Waldomiro), 2005 (Mensalão), reelegeu-se em 2006 e fez sua sucessora em 2010. Mesmo em 2014, já depois da condenação de aliados próximos por corrupção e já com a Lava Jato à vista, fez com que a sucessora se reelegesse. Não é pouco. De modo que EXIGE-SE certa reserva na hora de determinar que ele agora se acabou politicamente.

Claro que, ao menos por enquanto e considerando o panorama de hoje, o ex-presidente está com poucas chances para 2018. Políticos como Ciro Gomes e Marina Silva, por exemplo, já vislumbram o chamado pós-Lula – provavelmente também tendo em vista o avanço da Lava Jato.

De todo modo, mesmo com todas as ressalvas, é sim o caso de comemorar a vitória. Só não podemos exagerar nisso, porque foi só uma batalha.

Notícias Recentes

To Top