Blog

Os 4 pontos fundamentais do áudio vazado de Michel Temer

Além de desmentir boatos governistas, ele anuncia como enfrentará as crises econômica e política.

5F3A3215

Se foi por acidente ou ato deliberado – ao menos por algum aliado próximo -, nunca saberemos, mas é fato que o áudio de Michel Temer vazado na tarde de hoje é algo extremamente bem elaborado.

Em primeiro lugar, não há qualquer falha ética ou erro grave, pois é MAIS DO QUE NATURAL fazer um planejamento quanto ao eventual governo, considerando que ele esteja prestes a assumir as rédeas do país.

Também é mais do que natural, até óbvio, que esteja em treinamento de comunicação, discurso etc. Mais ainda: mesmo se não fosse por acidente, não soaria nem mesmo arrogante, pois estabelecer as diretrizes do Brasil é algo que se espera de alguém provavelmente prestes a cuidar de tudo.

Passada a parte óbvia, mas importante de ser comentada diante do nível cada vez mais deprimente do debate político, vamos agora ao conteúdo em si. E é aí que está a genialidade da coisa. É um discurso feito para estimular o setor produtivo e os investimentos, acalmar os trabalhadores e semear o pacto entre a classe política – de quebra, combate também a boataria rastaquera dos governistas.

Separamos, portanto, os quatro principais pontos.

1 – União e pacificação

Esse é definitivamente o recado central. Ele fala na importância de restabelecer a paz entre as pessoas, fazendo referência ao atual clima político do país. Também trata da “reunificação”, que se daria por meio de uma espécie de pacto entre os partidos, formando base parlamentar sólida para proceder às mudanças necessárias e recolocar o país no rumo.  A mensagem visa tanto às ruas quanto à classe política. Hoje, essa é uma mensagem necessária.

2 – Empresários e trabalhadores

Cuidadosamente, há menções ao setor produtivo e também à classe trabalhadora. Temer deixa claro que manterá programas e conquistas (falamos sobre o caráter estratégico disso mais adiante), mas também salienta que a classe empresarial precisa de mais apoio. Fala em “sacrifício” e “esperança”, deixando claro que não haverá qualquer mudança imediata, mas sim a adoção de medidas que, com o tempo, levariam à solução da crise e devolveriam o crescimento ao país. Ainda se sai com um slogan digno de programas de governo: “a mudança gerará esperança”. Por fim, trata até mesmo dos investimentos internacionais, usando um raciocínio de fato correto: diante do impasse, com o país parado, muitos preferem não investir no páis – com a mudança, havendo novamente seguranças econômica e política, os investimentos voltarão.

3 – As reformas essenciais

Ele cita nominalmente algumas delas, tais como a Reforma Política e a Tributária. Também fala da revisão do Pacto Federativo, no sentido de dar mais autonomia aos estados e municípios, até mesmo revisando suas dívidas (chega a falar em anistias parciais). Cita as legislações trabalhista e previdenciária, ressalvando que não haverá alteração de direitos já conquistados. Novamente, recado com dupla eficácia: acalma o mercado e também trabalhadores.

4 – Combate aos boatos

Esse é o grande subtexto de tudo. A mensagem de união é a mais objetiva e direta e o conteúdo “programático” mais importante são as reformas pretendidas e a atenção aos diversos setores, mas é inequívoco que o áudio também serve para desmentir a boataria violenta dos defensores do governo Dilma. Ao dizer que não acabará com programas, que garantirá direitos e manterá conquistas, Michel Temer rebate o que ele próprio chama de “política mais rasteira”, aludindo aos ataques pesados que passaram a fazer sobre si.

***

Sem dúvida, é um recado importante para os diversos segmentos do país. Aliás, causa espanto a ingenuidade inicial dos governistas que, na pressa de atacar a todo custo, tentaram desqualificar o áudio vazado sem observar seu conteúdo quanto ao valor estratégico da coisa. Agora, os mais experientes (mesmo de lá) já concordam que foi uma jogada de mestre – caso tenha sido mesmo proposital sua distribuição.

O “áudio vazado” é na verdade um pronunciamento de estadista.

E é incrível – ou nem tanto – que Michel Temer, numa mensagem equivocadamente distribuída ao whatsapp, seja muito mais desenvolto, direto e consistente do que Dilma Rousseff – mesmo quando ela realiza pronunciamento oficial cercada de assessores, aparatos tecnológicos, redatores de discurso, marqueteiros etc.

Pois é, surge no fim das contas também esse outro subtexto (ou seria também ele um recado de Temer?): além de finalmente o país ter chance de ser governado por alguém com um plano concreto para tirá-lo da crise, também poderemos contar com um Chefe de Estado que consiga falar ao povo com clareza.

Aqui, o áudio na íntegra.

Mais Lidas

To Top