Blog

Roupas, atos e fatos: a considerável diferença entre João Doria de gari e Lula de petroleiro

Grande diferença.

Há uma tradição na política brasileira, entre tantas outras, que consistem no uso de vestimentas de trabalhadores braçais, no geral de empresas públicas ou que prestam serviço ao governo. Isso sempre aconteceu, e invariavelmente apenas uma questão de figurino.

Punham a roupa, tiram a foto, talvez lambuzam um pouco a mão com petróleo, e depois voltam à vida normal. Era só para a foto, mesmo.

Quando João Doria assumiu a Prefeitura de São Paulo, surgiu com trajes de garis, entre tantos outros, e isso foi criticado de forma avassaladora pelos esquerdistas. Sim, os mesmos que nunca viram problema em Lula e Dilma de cocar ou com macacão da Petrobras.

De repente, vejam só, isso passou a ser deplorável. Mas há uma diferença abissal, e fundamental, entre João Doria e alguns casos recentes.

Enquanto Lula e Dilma Rousseff, por exemplo, usavam macacões da então mais formidável e invejável empresa pública, essa mesma companhia passava por momentos não exatamente louváveis, que agora enfim são revelados.

Já João Doria, quando veste roupa de gari, é porque está DE FATO ajudando na limpeza da rua, e começando às seis horas da manhã. Ele poderia muito bem deixar que todos trabalhassem e só posasse para a foto, mas sua participação tem o efeito simbólico de estimular a todos que façam o mesmo.

Para completar, e encerrar a lista de diferenças: seus programas funcionam.

Alguns aparecem com roupa da empresa pública que está sendo dilapidada, o outro veste macacão para trabalhar de fato num programa eficiente. Adivinha qual dos dois casos é criticado pela esquerda.

Pois é.

Notícias Recentes

To Top