Notícias

40 marcas pretendem entrar na Argentina após saída do governo socialista

Taí um exemplo que deveríamos seguir.

Com a eleição de Mauricio Macri, a Argentina receberá empresas como Forever 21, H&M e ainda verá o retorno de outras como Armani e Ferragamo. Isso porque a economia deixará de ser totalmente controlada pelo governo.

As informações são da consultoria Colliers, e ainda inclui marcas como GAP, Burberry, Dolce & Gabanna, Brooks Brothers, Carolina Herrera, Guccy, Ralph Lauren etc.

Empresas grandes, que geram empregos e movimentam a economia, dependem de alguma liberdade para atuar num país. E isso não acontece quando o governo é socialista (tanto menos na modalidade “bolivariana”, que além de autoritária e abusiva, ainda por cima é atrasada em qualquer aspecto econômico).

Enfim, parabéns aos hermanos. E que o Brasil siga esse exemplo.

Cristina Kirchner - Dilma Rousseff - Lula

A começar pela saída do poder desse grupo político que nos atrasa.

Mais Lidas

To Top