Notícias

Aconteceu: nessa segunda, o PMDB negou Dilma por três vezes

Tudo indica que o PMDB não só está unido, mas pronto para deixar a base governista momentaneamente no passado.

Mas essa história começa na semana passada, quando Lula busca Cunha pedindo para que segure o impeachment de Dilma. O que o PT daria em troca? Espaço para indicarem nomes na reforma ministerial que Dilma deve apresentar nessa quarta-feira. Pois bem… O governo buscou Temer e ouviu dele que abria mão do presente. Na sequência, buscou Cunha e ouviu a mesma resposta. Por fim, recebeu o terceiro “não” ao falar com Renan Calheiros. O PMDB parece mais unido do que nunca. E pior (ou melhor): disposto a desembarcar da base governista, o que há de lhe render espaço para tocar o impedimento da presidente. Quem faz essa leitura é o próprio Planalto.

"Eu acho que quem tem que bater o martelo é a presidente. A conversa é em torno de cinco", disse o vice-presidente eleito Michel Temer, do PMDB, sobre a partilha ministerial do governo Dilma Rousseff.

Leia também | No primeiro ano do governo Dilma, dólar caiu a R$ 1,55, menor cotação desde 1999

Para mais informações:
Para Planalto, PMDB lavou as mãos em relação ao governo Dilma

Notícias Recentes

To Top