Notícias

Afastado por corrupção, Lupi reaparece em conselho do BNDES

Ex-ministro de Dilma ocupa vaga destinada ao PDT

Carlos-Lupi-size-598

Informação do jornal Folha de São Paulo:

DO RIO – O ex-ministro do Trabalho Carlos Lupi, exonerado pela presidente Dilma Rousseff no fim de 2011 após denúncias de irregularidades, participou ontem da reunião trimestral do Conselho de Administração do BNDES.

Sob a tutela do ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), presidente do conselho, Lupi permanece na vaga destinada ao membro indicado pelo Ministério do Trabalho.

Em janeiro deste ano, a Folha mostrou que Lupi -atual presidente nacional do PDT- permanecia no cargo mesmo após sua exoneração. Com isso, ele ganha R$ 6.000 por mês.

Em nota, o ministério disse que a substituição de Lupi será feita “oportunamente”. Em seu lugar foi indicado há um mês o ex-governador Ronaldo Lessa (PDT-AL). Lupi não foi localizado ontem para comentar.

Pra quem não se lembra, uma das proezas da Carlos Lupi foi a de ter acumulado duas funções remuneradas em órgãos públicos distintos, o que que é proibido pela constituição. Entre 200 e 2005, o ex-ministro de Dilma ocupou o cargos de assessor parlamentar a Câmara dos Deputados, em Brasília, e a Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

A denúncia se avolumou a tantas outras e foi encaminhada à Comissão de Ética Pública da Presidência que, por unanimidade, solicitou o afastamento do ex-ministro do Trabalho. Dilma ignorou a recomendação e manteve Lupi no governo.

A sequência de disparates protagonizadas por Lupi só aumentou e, em dezembro de 2011, o ex-ministro pediu o afastamento do cargo alegando sofrer “perseguição política e pessoal da mídia”. Sem antes, claro declarar todo o seu amor a presidente Dilma.

Pra relembrar a passagem de Carlos Lupi no governo Dilma, consulte os arquivos do Implicante.

Mais Lidas

To Top