Notícias

Apesar de cortes na área social, Haddad cria agência de fomento ao cinema em São Paulo

Prioridades: CineSP custará R$ 25 milhões aos cofres municipais; área social terá corte de 15%

DILMA

Reportagem da Folha de S. Paulo:

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), sancionou na tarde desta sexta-feira (20) a lei que cria a SP Cine, agência de fomento a produção, distribuição e exibição de obras audiovisuais na cidade.

A cerimônia teve presença do secretário municipal da Cultura, Juca Ferreira, da vice-prefeita Nádia Campeão (PCdoB) e de outros políticos e cineastas.

Semelhante à Rio Filme, a agência terá aporte inicial de R$ 25 milhões da prefeitura. O governo do Estado investirá mais R$ 25 milhões.

A União também deve investir na empresa, mas ainda não anunciou o aporte que será feito. A Ancine (Agência Nacional do Cinema) informou somente que deve fazer investimentos “relevantes” —segundo seu diretor-presidente, Manoel Rangel.

(…)

A SP Cine terá também o objetivo de financiar eventos, pesquisas e construção de salas de exibição. Além disso, deve subsidiar produções audiovisuais. Hoje, São Paulo tem mais de 500 produtoras e cerca de 280 salas de cinema, segundo dados da Ancine.

Dentre as atribuições da empresa, está também sua atuação como “film comission”, que tem como objetivo facilitar filmagens em São Paulo e promover a imagem da cidade.

Comentário

Para 2014, Haddad decidiu cortar 15% do investimento na área social e mesmo assim vai gastar R$ 25 milhões para criar mais uma empresa estatal.

Além disso, como informamos aqui, Haddad argumentou no STF que teria de cortar investimentos em saúde e educação caso a liminar suspendendo o aumento do IPTU não fosse derrubada – e não foi. O vereador Andrea Matarazzo fez uma conta diferente e demonstrou como a Prefeitura poderia deixar de gastar o mesmo valor em outras áreas. Podemos somar aí mais estes R$ 25 milhões, sem falar nos R$ 159 milhões que Haddad liberou para o Itaquerão nesta sexta (20).

Notícias Recentes

To Top