Notícias

Brizola Neto: melhores momentos pré-ministério

por Flavio Morgenstern

Brizola Neto acaba de ganhar uma grande boquinha: é o novo ministro do Trabalho de Dilma. Brizola Neto é o ídolo da Blogosfera Progressita número 4, depois de Luis Nassif, Paulo Henrique Amorim e aparentemente José Dirceu – ou outro ex-político elegível cassado por dinheiro público indo parar em seus bolsos, embora isso não pareça ter mudado muito depois de serem cassados.

Brizola Neto assume o comando no lugar de Paulo Roberto Pinto, que era secretário executivo de Carlos Lupi, presidente do mesmo PDT de Brizola Neto, que por sua vez fora afastado do cargo por denúncias de desvio de dinheiro público, após investigação da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados. O Ministério do Trabalho e Emprego do PT consegue façanhas incríveis para dar um discutível trabalho e um desejável emprego ao menos para os próprios ministros do Trabalho – um carguinho sempre presente a favor de seus próprios cupinchas que ainda não tiveram seus dias de ministro.

Para não dizer que o Ministério do Emprego é um cabedal de empregos para quem puxar bastante o saco do governo, prestamos aqui uma singela homenagem aos grandes serviços prestados por Brizola Neto no seu período pré-ministerial. Buscando em nossos arquivos, encontramos um grande exemplo dos méritos brizolistas para ocupar tão importante cargo.

Trata-se de um artigo de agosto de 2010, em plena campanha eleitoral que culminou com a vitória de Dilma. José Serra foi a um encontro no Clube da Aeronáutica. Sem muita paciência para mais entrevistas em plena campanha, Serra pediu que o encontro fosse fechado à imprensa. As anteninhas de vinil de Brizola Neto imediatamente identificaram a presença do inimigo e soou o alerta Defcon 1, sinalizando o perigo iminente que uma visitinha a uns velhinhos da Aeronáutica representa. Brizola Neto subiu em seu Spitfire e, ilustrando seu solilóquio com a uma imagem de um líder nazista, disparou:

“Serra agora é uma vivandeira de quartéis

É o silêncio dos culpados, é a mente de quem se entregou de corpo e alma, se é que este sujeito tem uma, a tudo o que condenava e criticava antes que a sua ânsia de poder o transformasse numa alma penada.
José Serra, aquele que falou faz dois dias em liberdade de imprensa e nos perigos da censura lulista aos meios de comunicação, exigiu que seu encontro, hoje, no Clube da Aeronáutica, fosse fechado à imprensa.
“A assessoria de imprensa do Clube da Aeronáutica afirmou que o fechamento do evento à imprensa foi a pedido da assessoria do candidato. “Eles estabeleceram as regras do jogo. Eles pediram. Nós queríamos que fosse aberto”, afirmou o assessor do clube, coronel Paulo F. Tavares.”, registrou o IG.

Por que, Serra?

Foste lá pedir um golpe contra a vontade popular que te repudia e consagra Lula e Dilma? Foste falar do esquerdismo perigoso? Da república sindicalista? Do que os golpistas de 64 usavam contra a legítima expressão eleitoral de um povo que não quer ser escravo das elites a que você agora serve?

Você não apenas matou o jovem Serra, seu “Zé” de araque, você pisoteou até a sombra do que você já foi um dia.

Vamos ver o que dirão de você os mervais, os jabores, os milleniuns. Vamos ver se a tua censura, se o teu autoritarismo, se os teus golpes baixos, tuas mentiras, tuas favelas falsas, tua sordidez vai merecer uma palavra de condenação.

Não vai, Serra, o povo brasileiro já decidiu o teu destino. E é bem quente por lá.”

Oh meu Deus, Serra, POR QUÊ?!?! Onde já se viu cometer tal acinte à democracia que é se encontrar com velhinhos da Aeronáutica, quando todos sabem que são forças fascistas que não só praticaram o golpe de 64 como até hoje perseguem com seus aviões pobres sindicalistas quando estes tentam dar vazão à sua legítima e democrática expressão eleitoral de um povo que não quer ser escravo das elites que você segue com seu autoritarismo e mentiras e golpes baixos e censura sórdida?! Será que Serra ainda tem alma após fazer isso?!?!?!

Nitidamente, o risco de ter pedido para a imprensa não filmar ao menos um encontro com velhinhos de caserna só poderia ter sido prenúncio de uma coisa: golpe. Um golpe militar, partido da aeronáutica brasileira e seus hiper potentes caças MiG-39 Flatpack e F-18SH, que, como se vê hoje, 2 anos depois, só foi impedido com muita luta democrática, barricadas e mortes em larga escala causadas pelos radares ultra-modernos das metralhadoras da aviação brasileira, capazes de aparar o bigode de um gato a quilômetros de distância. Definitivamente, Brizola Neto prova seu mérito mostrando e comprovando como Serra é um autoritário.

Mas o melhor é a demonstração de civilidade da última frase, ignorando-se a vírgula errada: “o povo brasileiro já decidiu o teu destino. E é bem quente por lá”. Claramente que não era nenhuma ameaça, nenhuma referência a poderes avernais: Brizola Neto deveria se referir ao Guarujá, delicioso refúgio no litoral paulista onde Serra deve ter ido passar alguns 5 dias de férias após a divulgação do resultado das eleições. Não é, Brizola?

 

Flavio Morgenstern é redator, tradutor e analista de mídia. Tudo o que já ouviu falar sobre Aeronáutica brasileira resume-se à Esquadrilha da Fumaça. No Twitter, @flaviomorgen

Notícias Recentes

To Top