Notícias

Coincidência? Valor de propina citada por Barusco é similar ao de doações oficiais ao PT

Segundo a delação, o partido recebia uma porcentagem sobre cada contrato fechado com a Petrobras.

Pedro-Barusco

Em levantamento realizado pela Folha de São Paulo foram identificadas doações ao PT de valores similares aos relatados por Pedro Barusco, ex-gerente de engenharia da Petrobrás, na sua delação premiada. Segundo Barusco, a propina paga ao PT era calculada com base em cada contrato fechado pelas empreiteiras com a Petrobras.

Em tabela entregue à Justiça Federal e à políca federal, o ex-gerente disse que 0,5% do valor do contrato pela estatal com a refinaria de Paulínia com as empresas MPE e EBE (Empresa Brasileira de Engenharia) foi destinado ao “Part”, siga do PT. O valor do contrato era de R$216 milhões, o que representaria o pagamento de R$1,08 milhão ao partido. O contrato tem a data de referência de fevereiro de 2011. Em julho e agosto do mesmo ano o PT recebeu duas doações da MPE e uma da EBE que somam R$1 milhão, segundo a Justiça Eleitoral.

Ainda de acordo com a tabela de Barusco, também estava previsto o pagamento de 0,5% para o PT de um contrato firmado entre a Petrobrás e o estaleiro Keppe Fels. O valor do contrato foi de R$185,8 milhões. O PT receberia R$929 mil. Quatro meses depois, o partido recebeu uma doação de R$930 mil da empresa FSTP Brasil Ltda., empresa que pertence majoritariamente à Keppe Fels.

 

 

Notícias Recentes

To Top