Notícias

Confira trechos do depoimento de Paulo Roberto Costa à Justiça

Ele descreveu em detalhes como funcionava o esquema de desvio dentro da Petrobras.

Da Folha de S. Paulo:

paulo-roberto

Em depoimento à Justiça Federal nesta quarta-feira (08), Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, explicou detalhes de como funcionava o esquema de corrupção da estatal. Costa disse que os cargos funcionavam por indicação política, e ele foi indicado por José Janene (PP) para a diretoria de Abastecimento, e que era de conhecimento comum dentro da empresa, incluindo a alta administração da Petrobras.

[quote]”Na realidade, o que acontecia na Petrobras, mais a partir de 2006 era um processo de cartelização. (…) E esse cartelização obviamente resulta em um delta preço. Na área de petróleo e gás, essas empresas entre os custos indiretos e seu lucro, o BDI, entra algo entre 10 e 20%, então dependendo do risco da obra, das condições, 10 a 20 desse BDI. O que acontecia nas obras da Petrobras? Por hipótese, o BDI era 15%, se colocava 3% a mais e esses 3% eram alocados a agentes políticos.”[/quote]

 O dinheiro então era distribuído entre os envolvidos.

[quote]”O que era para direcionamento do PP, praticamente até 2008 quem conduzia isso era o deputado José Janene. (…) De 2008 quando ficou mais prejudicado passou a ser executado pelo Alberto Youssef. Isso em relação ao PP.”[/quote]

[quote]”Em relação à diretoria de serviços, todo mundo sabia que tinha um percentual desses contratos da área de Abastecimento. De 3%, 2% era para o PT através da diretoria de Serviços. Outras diretorias, como Gás e Energia e EP, também tinha PT. Então, se tinha PT na exploração e produção, PT na área de Gás e Energia e PT na área de Serviços. Então, o comentário que pautava dentro da companhia é que nesse caso os 3% ficavam diretamente para o PT.”[/quote]

To Top