Notícias

Gilmar Mendes alfinetando Dilma: “Ninguém se mantém no cargo por liminar do Supremo”

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

Mesmo assim, o ministro ressaltou ser natural o STF funcionar como uma espécie de guia de todo o processo.

A ironia veio depois de se negar a comentar as 3 liminares dadas pelo STF no dia em que a oposição prometia deflagrar o impeachment de Dilma. E completou: “Isso depende de legitimação democrática.” Mas comentou que considera normal a Suprema Corte conduzir todo o processo. Lembra também que foi a casa que já presidiu a obrigar os parlamentares, em 1992, a votar abertamente o impeachment de Collor. Por fim, ressaltou a importância do apoio político além da liminar: “Se o presidente não tiver 171 votos, não pode mais ficar no cargo.

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

Leia também | Último reduto do PT, região Nordeste é dona das piores taxas de homicídios brasileiras

Mais Lidas

To Top