Notícias

Governo Dilma não conhece os próprios ministros

Órgão do ministério da Saúde precisava notificar um infrator e não o encontrava. Tratava-se de um dos 38 ministros, o da Pesca, que trabalha a poucos metros dali

PatetasA notícia abaixo, publicada pelo jornal O Globo, é daquelas que somente um governo aparelhado e desqualificado poderia proporcionar:

Num governo dividido em 38 ministérios, já é esperado que a maioria dos brasileiros desconheça boa parte dos titulares das pastas. Mas um edital publicado no Diário Oficial da União no dia 24 de abril mostra que nem mesmo integrantes do alto escalão do governo sabem quem são os atuais ocupantes da Esplanada dos Ministérios. O aviso de convocação assinado pelo diretor executivo do Fundo Nacional de Saúde, Antonio Carlos Rosa de Oliveira Jr., tem como destinatário o atual ministro da Pesca e Aquicultura, Helder Barbalho, e relata uma tentativa malsucedida de encontrá-lo para entregar uma notificação. O órgão não se deu conta de que Barbalho é ministro e não conseguiu encontrá-lo para que respondesse sobre eventuais irregularidades apuradas pela Controladoria-Geral da União (CGU) em um convênio de sua gestão como prefeito de Ananindeua, no Pará.

O edital de convocação diz que o ex-prefeito estava em “local incerto e não sabido”, apesar de o ministério que ele ocupa estar a poucas quadras do prédio do Ministério da Saúde. “O diretor executivo do Fundo Nacional de Saúde convoca o senhor Helder Zahluth Barbalho, ex-prefeito da prefeitura de Ananindeua, que se encontra em lugar incerto e não sabido, para retirar e atender a notificação”, diz o edital. O texto ainda diz que, se o ministro não atender a convocação em 15 dias, será iniciado um processo de ressarcimento aos cofres públicos, chamado de “tomada de contas especial”.

O diretor executivo Antonio Carlos Rosa de Oliveira Jr, à frente do Fundo Nacional de Saúde, foi responsável por repassar somente neste ano R$ 5,9 bilhões a estados e municípios. Em 2014 foram R$ 16,4 bilhões. É com gente assim que o governo Dilma nos brinda a administração da fortuna arrecada em impostos.

Mais Lidas

To Top