Notícias

Na prática, Paschoal defendeu que o armamento vire pauta feminista e, sim, faz sentido

Mesmo desarmados, homens podem se tornar ameaças a mulheres inocentes; se elas estiverem armadas, ainda que com armas de incapacitação, como spray de pimenta ou taser, haverá uma esperança

Mais uma vez Janaina Paschoal usou o Twitter para posicionar-se sobre assuntos polêmicos. Por ocasião da onda de violência que atingiu o Espírito Santo, a criminalista trouxe ao centro do debate um tema bem complexo: o armamento de mulheres.

Em resumo, Paschoal acredita que, se a liberação de porte de armas é complicada por causa da imprudência masculina, ela deveria ser repensada para as mulheres, donas de um senso de responsabilidade mais apurado. Eis alguns dos tweets da autora do impeachment de Dilma Rousseff:

Sabe o pior? Faz sentido. Na história da humanidade, as armas serviram para que pessoas justas contivessem a sede dos injustos. Basta imaginar que, sem armas para se defenderem, uma nação minúscula como Israel já teria sido vítima do genocídio tão desejado por seus vizinhos.

Hoje, características físicas fazem com que homens possam, mesmo desarmados, serem ameaças às vidas de mulheres inocentes. No noticiário policial, não faltam histórias de mulheres que foram vítimas de estupro ou assassinato da parte de criminosos que tinham por armamento apenas o porte físico.

O mesmo não aconteceria se estas vítimas estivessem armadas e pudessem conter a insanidade dos assassinos e estupradores. E, ainda que você tenha algum problema com pólvora e tema que o uso de uma pistola possa fazer com que o tiro saia pela culatra, saiba que não são as únicas armas em questão: a lei brasileira vem dificultando o acesso até mesmo a armas de incapacitação, como spray de pimenta e armas de choque, como tasers.

Se o feminismo de fato se interessa pela defesa das mulheres, passará a debater com mais calma o assunto. É uma opção a se cogitar e, se for o caso, lutar por ela.

Fonte: Perfil oficial de Janaina Paschoal

Mais Lidas

To Top