Notícias

Mais um grave sintoma da crise Dilma/PT: a fuga de cérebros aumentou 65% no último ano

Dilma Rousseff, Michel Temer e Lula

Estrangeiros que trabalham no Brasil também estão indo embora.

Entende-se por “fuga de cérebro” a emigração de profissionais capacitados a realizar um bom trabalho. Historicamente, ela se dá por motivos de guerra e desastres naturais, como no exemplo de Albert Einstein, mais um judeu que se mudaria para os Estados Unidos fugido do nazismo alemão.

Mas essa fuga também pode se dar por uma crise econômica ou política. E ambos os contextos são observáveis no Brasil de hoje. O resultado: uma pesquisa da Global Line observou um preocupante aumento de 65% no último ano do número de bons profissionais brasileiros que abandonam o país buscando reconhecimento em melhores mercados.

A pesquisa observou também a fuga de estrangeiros. Entre 2014 e 2015, multinacionais instaladas aqui reduziram em 19% o número de trabalhadores de outros países. Num terceiro movimento, e isso já foi comentado aqui no Implicante, percebe-se a fuga das próprias empresas brasileiras, que passam a abrir filiais em países vizinho, onde a economia é mais vantajosa.

Foto: Valter Campanato/ABr - Agência Brasil

Leia também | Agora vai? Opositores entregam o pedido definitivo de impeachment de Dilma

To Top