Notícias

O último que sair apaga a luz: prefeito de Osasco também pula fora do PT

Outro caso recente foi do prefeito de Niteroi, Rodrigo Neves, que também saiu do partido. A debandada é geral.

Falamos hoje mesmo sobre o prefeito de Niteroi, Rodrigo Neves, que saiu do PT depois da realização de uma pesquisa que dava conta do tamanho da rejeição do partido. Para se ter uma ideia, ele – que tem uma gestão bem avaliada – despencava de 40 para 15% nas intenções de voto ao mencionar a legenda petista. Obviamente, pulou fora.

E quem segue esses passos é Jorge Lapas, prefeito de Osasco/SP e também do PT, que agora está a caminho do PDT. Continuando esse ritmo, nossa recomendação é: o último que sair, por favor, apague a luz.

Mas é bom manter os olhos abertos porque nada disso é por acaso. Em que pese a tática mais imediata de fugir da rejeição ao petismo, há também um preparo ao que se chama de “pós-PT” (ou ainda “pós-Lula”). Toda a esquerda tenderá a sair do partido, de forma literal (os filiados) ou simbólica (os aliados, ‘militantes históricos’ etc.), para num segundo momento fazer uma reaglutinação em torno de nova legenda ou alguma das já existentes (como PSOL, REDE ou afins).

Jorge Lapas - Lula

A derrocada do PT como legenda não significa uma queda total da esquerda ou do esquerdismo. É bom atentar para isso.

Mais Lidas

To Top