Notícias

Obras das principais rodovias do PAC tem atraso médio de 4 anos

Segundo o governo, mesmo com atrasos o cronograma é ‘adequado’

tn_620_600_Rodovia_das_Cataratas_2CR_250510

Matéria do portal G1:

As principais obras de rodovias do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) registram atraso médio de quatro anos em relação à data inicialmente prevista de conclusão, segundo levantamento do G1 realizado com base em dados do Ministério do Planejamento, gestor do programa.

Entre o primeiro balanço do PAC, em abril de 2007, e o último, divulgado em junho deste ano (veja reportagem do Jornal Nacional no vídeo ao lado), os nove empreendimentos em rodovias apontados como “ações significativas” pelo Ministério do Planejamento apresentam média de atraso de 48 meses, segundo o levantamento. Essas nove obras integram o PAC 2 desde o lançamento, em março de 2010 – oito estão em andamento e uma foi concluída.

De acordo com os dados do ministério, há rodovias com atrasos de até seis anos, como é o caso do Arco Rodoviário do Rio de Janeiro (BR-493). A obra, segundo previsão dada em 2007 pelo governo, devia ter sido concluída em 2010. Com o lançamento do PAC 2, na gestão de Dilma Rousseff, a conclusão foi postergada para 2014. Agora, o prazo estabelecido pelo Planejamento é 31 de dezembro de 2016.

A cada balanço do PAC, o governo remarca as datas previstas de conclusão dos empreendimentos. Ainda que não tenha sido entregue na data marcada, a maior parte das obras recebe status de “adequada” porque passa a ser regida por um novo cronograma.

(grifos nossos)

Confiram o vídeo do Jornal Nacional aqui.

Comentário

A lógica é parecida com a das obras de mobilidade pública para a Copa: à medida que o governo vai percebendo percebe que elas não ficarão prontas a tempo, retira do projeto oficial. Assim, quando entregar os balanços, 100% terá sido concluído.

Notícias Recentes

To Top