Notícias

Para Celso de Mello, ministro mais antigo do STF, impeachment é “instrumento legítimo”.

Não é golpe, é medida democrática prevista na Constituição.

Mais um ministro do Supremo desmente o “argumento” de que impeachment seria golpe. Além de foram Carmen Lucia, Dias Toffoli e Ayres Britto (já aposentado) e também a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) que protocoliza nesta segunda-feira um pedido próprio para o afastamento de Dilma Rousseff, agora mais um integrante do STF confirma a legalidade do procedimento.

Trata-se de Celso de Mello, o mais antigo do Supremo. Segundo o magistrado, Segundo o magistrado, “o impeachment não pode ser reduzido a um mero golpe de estado porque o impeachment é um instrumento previsto na Constituição que estabelece regras básicas. Se essas regras foram respeitadas, obviamente o impeachment não pode ser considerado um ato de arbítrio político e violência política” e mais “É um instrumento posto à disposição da cidadania porque só o eleitor tem legitimidade para provocar a abertura do processo de impeachment.”

Com isso, a narrativa de que seria golpismo vai sendo cada vez mais desmascarada.

Celso de Mello - impeachment - Dilma Rousseff

E aproveitamos para lembrar a todos do ato pelo impeachment a ser realizado no dia 04/04, na Faculdade de Direito do Largo São Francisco (USP), organizado por alunos e ex-alunos, mostrando que a classe jurídica também apoia o afastamento de Dilma.

To Top