Notícias

Principais ministros de Dilma tomam GERAL dos seguranças de Obama

Trecho da reportagem do Estadão, logo voltamos:

“BRASÍLIA – Indignados com a forte revista feita pela segurança da comitiva de Barack Obama, os ministros Guido Mantega (Fazenda), Edison Lobão (Minas e Energia), Aloizio Mercadante (Ciências e Tecnologia) e Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) não pensaram duas vezes: abandonaram o encontro da Cúpula Empresarial Brasil-Estados Unidos sem assistir o aguardado discurso do presidente dos EUA. Segundo fontes ouvidas pelo ‘Estado’, havia sido firmado um acordo com a Casa Branca para que os ministros não fossem revistados quando chegassem ao local da realização do encontro. Após o almoço oferecido no Itamaraty, os ministros seguiram para o centro de convenções onde era realizado o encontro empresarial. O acordo firmado com a Casa Branca foi ignorado pelos seguranças que estavam no local. O ministro Aloizio Mercadante reclamou muito, mas acabou passando pela revista junto com seus colegas de ministério. Mantega chegou a comentar que nem em viagens internacionais tinha passado por tal constrangimento. Quando chegaram ao auditório e viram que o presidente da seção americana do Conselho Empresarial Brasil-EUA, John Faraci, simplesmente subiu ao palco e começou a falar em inglês, o clima que já não estava bom entre os ministros piorou. Sem ter recebido aparelho de tradução simultânea, Mantega, Mercadante, Lobão e Pimentel simplesmente levantaram e foram embora. Lobão prometeu que iria ligar para seu colega do Itamaraty, Antonio Patriota, para reclamar da quebra do acordo firmado com a Casa Branca…” (grifos nossos)

Comentário
Em 2002, ainda naquela febre antiterrorista dos EUA, nosso então chanceler, Celso Lafer, foi obrigado a tirar os sapatos em um aeroporto (todos o fizeram, a segurança não o tratou de forma privilegiada). Isso virou um ‘case’ para petistas, que usavam tal episódio para mostrar que, sob Lula, o Brasil não passaria por esse tipo de constrangimento.

De fato, Celso Amorim, chanceler lulista, nunca precisou tirar os sapatos no Irã, em Cuba ou Venezuela. O máximo a que chegamos foi levar calote da Bolívia. Mas agora a coisa ficou feia de vez…

OS PRINCIPAIS MINISTROS DE DILMA foram REVISTADOS EM SOLO BRASILEIRO. Uma humilhação? Talvez. Mas se você é o segurança e precisa proteger Obama, o que faria com Lobão, Mercadante, Pimentel e a turma toda?

Mais Lidas

To Top