Notícias

Só de “restos a pagar” ainda de 2014, governo Dilma acumulou R$ 208 bilhões em despesas

O estudo foi feito pela equipe técnica do Congresso em cima de dados do próprio Ministério do Planejamento.

Resíduos a pagar no ano seguinte são uma realidade em qualquer governo. Mas, com Dilma, chegou-se a uma situação insustentável, como se percebe no gráfico abaixo. Em 2014, o país já acumulou o dobro do que havia somado em 2009. A conclusão vem do próprio Ministério do Planejamento via estudo realizado pelo Congresso. Diz o relatório que a prática findou em “um círculo vicioso que provoca o crescimento do estoque de restos a pagar, o qual alcançou o montante de R$ 227,9 bilhões ao final do exercício de 2014“. Desse total, nada menos que R$ 208 bilhões correspondem a despesas primárias. Em outras palavras, as “pedaladas fiscais” do governo podem ter feito um estrago bem maior do que o imaginado.

Relatório mostra restrição fiscal “sem precedentes” no Orçamento da União

Leia também | Sim, a gasolina subiu e a Petrobras não descarta um novo aumento ainda este ano

To Top