Ponto de Vista

Dois anos após a primeira “lista de Janot”, os casos abertos seguem sem qualquer conclusão

E duas de cada cinco investigações foram arquivadas

Dilma Rousseff ainda acreditava que concluiria o mandato quando o procurador-geral da República apareceu com a “lista de Janot”. Era 6 de março de 2015. Ao todo, o documento renderia 27 inquéritos, sendo 25 no Supremo Tribunal Federal. A “Lava Jato” finalmente chegava ao foro privilegiado.

Dois anos se passaram. E no que deu o trabalho de Rodrigo Janot? Duas de cada cinco investigações foram arquivadas. E outros 17 casos seguem abertos sem qualquer conclusão.

O foro privilegiado é uma mentira que a Justiça brasileira conta para si mesma. Mas talvez nem ela acredite nessa lorota.

Fonte: O Antagonista

Mais Lidas

To Top