Ponto de Vista

Sabatina de Moraes: todos os senadores investigados na Lava Jato pertenceram à base de Dilma

Nada é tão simples como os esquerdistas adorariam que fosse

A Câmara de Constituição e Justiça é considerada a mais importante do Senado. Possui 54 senadores, metade deles na condição de titulares. Deste grupo maior, dez nomes são investigados pela Lava Jato. E devem participar da sabatina de Alexandre de Moares, ministro indicado ao STF por Michel Temer.

A relação entre uma coisa e outra é menor do que se parece, afinal, a turma que atende a operação em Brasília está completa com a entrada de Fachin. Mas a esquerda já se assanhou para repetir que os senadores do governo Temer sabatinarão o ministro que os investigará no STF. O Implicante convida você, leitor, a observar a lista com estes dez senadores:

  1. Renan Calheiros, PMDB, 8 inquéritos
  2. Fernando Collor, PTC, 6 inquéritos
  3. Valdir Raupp, PMDB, 4 inquéritos
  4. Jader Barbalho, PMDB, 3 inquéritos
  5. Benedito Lira, PP, 3 inquéritos
  6. Edison Lobão, PMDB, 2 inquéritos
  7. Romero Jucá, PMDB, 2 inquéritos
  8. Gleisi Hoffmann, PT, 2 inquéritos
  9. Humberto Costal, PT, 1 inquérito
  10. Lindbergh Farias, PT, 1 inquérito

Sim, há nomes da base do governo Temer, e alguns da atual oposição. Mas os crimes investigados pela Lava Jato são anteriores à posse do presidente da República. E todos estes 10 parlamentares fizeram parte da base que apoiava o governo Dilma Rousseff.

Perceberam que nem tudo é assim tão simples como adoram gritar os esquerdistas? Pois é.

Que todos eles joguem duro com Alexandre de Moraes. Independente da quantidade de inquéritos que os atinge. Sabatina de membro da Suprema Corte é coisa séria. E essa precisa ser mais séria do que nunca. Pelo bem do STF.

Fonte: O Globo

To Top