Ponto de Vista

Lava Jato: em resposta dura a Gilmar Mendes, Rodrigo Janot falou em “disenteria verbal”

Foto: Wilson Dias/ABr - Agência Brasil

“Procuramos nos distanciar de banquetes palacianos.”

Neste 21 de março, Gilmar Mendes acusou a Procuradoria-geral da República de vazar informações sobre as delações da Odebrecht para a imprensa. O ministro do STF foi além e ameaçou anular as provas em decorrência da informação, lida por ele em coluna da Ombudsman da Folha.

A resposta do procurador-geral da República não esperou 24 horas. Já na manhã seguinte, Rodrigo Janot surgiu com alguns tons acima do normal:

Procuramos nos distanciar de banquetes palacianos. E repudiamos a relação promíscua com imprensa. Em projeção mental, alguns tentam nivelar todos à sua decrepitude moral, e, para isso, acusam-nos de condutas que lhes são próprias. Precisamos reconhecer que sempre houve homens dispostos a sacrificar compromissos éticos no altar da vaidade desmedida, ambição sem freios. Não vi uma só palavra de quem teve uma disenteria verbal a se pronunciar sobre essa imputação ao Palácio do Planalto, ao Congresso e ao STF. Só posso atribuir tal ideia a mentes ociosas e dadas a devaneios.”

São palavras duras. Numa briga na qual o Implicante prefere não se meter. Aguardemos os próximos rounds.

Fonte: O Globo

Mais Lidas

To Top