Ponto de Vista

Morador de rua cumprimentado por Dória não é ator e, como todos nós, gosta de higiene

Que a esquerda tende a se apropriar dos cidadãos mais humildes a gente já sabe, mas o que surpreende mesmo é a capacidade de distorcer a realidade em prol dessa narrativa furada. É pura paranoia.

Durante uma caminhada pelo centro de São Paulo no último dia 10, o prefeito João Dória cumprimentou um morador de rua. A foto rodou por diversas redes sociais e os blogs de esquerda e grupos de Facebook dedicados ao candidato petista que não se reelegeu e essas pessoas simplesmente não puderam acreditar na cena.

“Como assim o prefeito rico está tocando em um mendigo?”, eles disseram.

Em suas mentes “criativas” afirmaram que homem em situação de mendicância era um ator contratado que “estava limpo demais” para ser um morador de rua.

Note aí o preconceito: um mendigo, na cabeça dessa gente, não pode sequer manter a sua dignidade cuidando da própria higiene. Para a esquerda, um morador de rua tem que ser completamente desprovido das noções básicas de cidadania para que aí sim, eles cheguem e “sejam seus salvadores”.

Percebam abaixo no “jogo dos 7 erros”.

Uma pessoa em situação de rua não pode se manter limpa? Imagem: reprodução.

O homem da foto tem passado, história e origem: segundo a Veja São Paulo, trata-se do ex-faxineiro Gerson Araújo da Silva, de 41 anos. Gerson tem uma história comum à tantos retirantes nordestinos trabalhadores que ajudaram a fazer de São Paulo a grande cidade que é hoje. Mas para este cearense da cidade de Macumbo, a luta foi perdida para os problemas de sanidade mental e para o alcoolismo.

O homem “vive” em um trecho de calçada próximo à Secretaria Municipal de Direitos Humanos, centro da cidade, onde consegue diariamente tomar água gelada. Para manter-se limpo, vai rigorosamente à uma bica localizada na Avenida 23 de maio e lá faz sua higiene e troca de roupa, atitude que escandalizou a esquerda. Gerson é pai de uma filha, Letícia, que não vê há alguns anos devido ao problema com a bebida.

Além de algumas mudas de roupa, tudo o que Silva possui são seus cobertores.

Resta a nós torcer para que no próximo inverno a atual prefeitura não repita a maldade da administração anterior: recolher os cobertores dos moradores de rua que se aqueciam no inverno rigoroso de São Paulo.

 

Notícias Recentes

To Top