Fundo do Baú

Em 2010, a Presidência da República confirmou a jornal que o triplex pertencia a Lula

15/08/2016- Santo André- SP, Brasil- Ex-presidente Lula e sua esposa Marisa Letícia durante encontro das mulheres e militantes que marca os 10 anos da lei Maria da Penha, na Casa Portugal.

Em 2006, Lula já havia declarado à Justiça Eleitoral que tinha participação na compra do imóvel no Guarujá

Foto: Heinrich Aikawa / Instituto Lula

Como já explicado aqui no Implicante, um ponto chave para entender a condenação de Lula se dá quando a Bancoop transfere para a OAS a responsabilidade pela conclusão do empreendimento no Guarujá. Em 10 de março de 2010, O Globo publicou uma matéria sobre o imbróglio. Sob o título de “Caso Bancoop: triplex do casal Lula está atrasado“, o jornal explica que o casal Lula da Silva não só era dono do triplex, como a própria Presidência da República confirmara a informação.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua mulher, Marisa Letícia, são donos de uma cobertura na praia das Astúrias, no Guarujá, mas amargam há cinco anos na fila de cooperados da Bancoop (Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo) para receber o imóvel. A solução encontrada pelos cerca de 120 futuros proprietários do empreendimento foi deixar de lado a Bancoop e entregar o Residencial Mar Cantábrico à construtora OAS, que prometeu concluir as obras em dois anos. Procurada, a Presidência confirmou que Lula continua proprietário do imóvel.

No mesmo texto, O Globo lembra que a aquisição já havia sido declarada à Justiça Eleitoral quando Lula buscou a reeleição, em 2006. Na ocasião, frisou-se que o contrato estava no nome de Marisa Letícia. Mas, como eram casados por comunhão de bens, o próprio presidente da República precisava declará-lo. E este foi mais um ponto importante considerado por Sérgio Moro.

Na declaração de bens feita para a candidatura à reeleição, em 2006, o presidente informou sobre o imóvel, afirmando ter participação na cooperativa habitacional para o apartamento em construção. O contrato foi assinado em maio de 2005, em nome da primeira-dama. Segundo a declaração feita por Lula ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a família já havia pagado R$ 47.695,38. Mas o apartamento mais simples, de três quartos, foi oferecido pela Bancoop por R$ 192.533,20.”

Cabe ainda ressaltar que todo o noticiário registrou a compra do imóvel da cobertura, que viria a ser transformado em triplex, e não a unidade 141, alguns andares abaixo. Desta forma, as manchetes estão em sintonia com o que entregaram os delatores.

Fonte: O Globo

Nunca inseriu um código de desconto no Cabify? Experimente usar o código "IMPLICANTE" e ganhe 50% OFF (com desconto máximo de R$ 20) em 3 corridas.

Notícias Recentes

To Top