Implicante

/ Notícias

15 de novembro de 2011

Agnelo diz que suas “não explicações” provam sua inocência

white 15 Agnelo diz que suas não explicações provam sua inocênciaKindle

2318529082011AGNELO1 Agnelo diz que suas não explicações provam sua inocência

Fosse o Brasil um país decente, estaríamos a esta hora discutindo a sucessão de governo no Distrito Federal. Como não é, somos obrigados a conviver com notícias como a publicada na edição de hoje (15) da Folha:

O governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), se negou a apresentar provas de que o depósito de R$ 5.000 feito por um lobista em sua conta bancária era apenas o pagamento de um empréstimo feito em caráter pessoal.
Ao ser questionado sobre o tema, o petista afirmou, via assessoria, que a “palavra de um governador de Estado já é, por si, uma prova”.
Agnelo era diretor da Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária) quando, no dia 25 de janeiro de 2008, recebeu em sua conta pessoal um depósito de R$ 5.000 feito por Daniel Tavares, que trabalhava como lobista para a farmacêutica União Química.
Conforme a Folha revelou, Agnelo liberou no mesmo dia certificado para que a empresa pudesse participar de licitações. A Anvisa abriu investigação sobre o caso. A farmacêutica nega irregularidades.
Na segunda-feira da semana passada, Agnelo afirmou que o depósito foi a devolução de um empréstimo feito ao lobista. Ele disse que deu o montante em espécie, “em caráter pessoal, sem documento ou contrato”.
Na quarta-feira, o petista afirmou que poderia provar que emprestou o dinheiro.
A Folha questionou quais eram as provas, mas ele não respondeu. Depois, por meio de assessoria, voltou à primeira versão. “O que o governador disse é que, de modo geral, há provas de que ele fala a verdade”.
Em seguida, disse que a palavra de um governador deve funcionar como prova, “ainda mais quando confrontada com a de pessoas que a cada momento mudam de versão”.
O lobista primeiro dizia que o depósito era parte de propina para o então diretor da Anvisa ajudar a União Química. Depois, passou a confirmar a versão do governador. A Polícia Federal já pediu ao Superior Tribunal de Justiça autorização para investigar o caso. Devido ao cargo, Agnelo tem foro especial.

Link da notícia aqui (para assinantes)

Comentário:

O governador que pede para não acreditar em pessoas que “a cada momento mudam de versão”, é o mesmo que negou conhecer o lobista Daniel Almeida Tavares e, mais tarde, confrontado com as evidências, teve que mudar de versão. Pra quem não se lembra, Tavares acusou Agnelo de receber propina em troca de facilidades na concessão de licenças.

No início deste mês, gravações feitas com autorização judicial flagraram o governador Agnelo Queiroz prometendo ajuda a “bandido*”. Após a divulgação das gravações, Agnelo demitiu toda a cúpula da Polícia Civil.

Como vocês podem perceber, não há razão alguma para não acreditar na “palavra de um governador de Estado” como Agnelo Queiroz.

(*) “Bandido” foi a definição dada pelo ex-ministro Orlando Silva para o PM que delatou o esquema de desvios no Ministério do Esporte. Como sabem, o PM foi o principal responsável pela demissão de Silva do ministério.
 
*
compartilhe

Tópicos

1 Comentário

  1. Thiago15 de novembro de 2011 às 21:48

    “ainda mais quando confrontada com a de pessoas que a cada momento mudam de versão” … Mas é muita cara de pau… e ainda tem gente que o defende…

Publicidade

Enquete

Quem você acha que Lula indicaria hoje para o STF?

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
Publicidade