Implicante

/ Notícias

19 de abril de 2011

Aliado de Dilma confirma existência do mensalão

Kindle


 

Do Blog Presidente 40

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, participou na tarde desta segunda-feira da gravação do programa Roda Viva, da TV Cultura, que vai ao ar nesta noite (ontem 18/04/2011).

Hoje aliado ao PT e à presidente Dilma Rousseff, Paes, que foi relator-adjunto da CPI dos Correios em 2005, reafirmou a existência do mensalão no governo Lula.

“Aquilo que a CPI investigou e que está colocado no relatório eu afirmo e reafirmo”, afirmou, diante de questionamentos pelo fato de ter passado para a base lulista depois de ter ajudado a apontar o uso de recursos públicos do Banco do Brasil, por meio do fundo Visanet, para pagar o mensalão.

“O nome não importa. Podia ser mensalão, semanalão, quinzenadão”, afirmou.

 

Comentário:

Certas coisas – por óbvias – não deveriam ser repetidas. Mas como estamos no Brasil, sob o valhacouto petista, é até dever que relembremos constantemente alguns fatos. O processo que tramita no STF não é resultado de conspirata como insistem alguns, mas resultado de uma complexa investigação.
Embora tenha voltado atrás e, ao contrário do que afirmava quando era oposição, aventado a hipótese de Lula não ter conhecimento do esquema, Eduardo Paes tocou num ponto de extrema relevância: a terminologia usada para designar o sistema de pagamentos.

O “mensalão” se refere mais à cooptação de apoio do que propriamente à periodicidade de pagamentos. A informação a princípio parece banal, mas é importante na medida em que ela é um dos pilares encontrados pela defesa para comprovar que não havia um esquema de cooptação, mas sim, um esquema de financiamento ilegal de campanha. Um crime ‘menor’ que, em tese, desmontaria a acusação principal apresentada pelo Procurador Geral da República.
É normal e legítimo que os acusados recorram desses artifícios para se defender, o problema é quando boa parte do colunismo político desconsidera as provas já apresentadas e passa a atribuir a elas o peso de “versões”.

Como muitos continuarão a dizer que o mensalão não existiu, e que tudo não passa de “caixa 2″, nós, por outro lado, insistiremos em relembrar fatos que demonstram o contrário. A diferença é que nós temos muitos elementos para tal. Já eles…

compartilhe

Tópicos

3 Comentários

  1. Tony Costa14 de agosto de 2011 às 22:07

    Faço musica e canto e quis manifestar minha indignação e fiz estes CLIPS q estão no YOU TUBE “ AMAZONIA BLA-BLA-BLA “. Se gostar manda p frente, fica c Deus.

    http://www.youtube.com/watch?v=p75zL8mIVDA&feature=related

    http://www.youtube.com/watch?v=sf-gtFUB-WM

  2. jose19 de abril de 2011 às 10:31

    Gravz, mensalão ou caixa 2, tanto faz, são crimes!!!

    Não existe crime “menor” ou “maior”, crime é crime e quem os comete será sempre criminoso!!!

    O que o pt está tentando fazer é dizer que caixa 2 não é crime “porque todo mundo faz”….é a lógica petista: se outros roubaram eu também posso roubar, esta é a “ética” deles…

    • Exilado19 de abril de 2011 às 11:13Autor

      Não foi o Gravz quem comentou José, fui eu. O que ocorre é que, do ponto de vista jurídico, a punição é menor se for tipificada doação ilegal de campanha, e não cooptação, formação de quadrilha, etc. Os jornais da época informaram que a orientação para esse tipo de versão foi dada pelo então ministro da justiça Márcio Thomaz Bastos. Há também uma preocupação em reescrever a história, e o ex-presidente Lula já manifestou interesse em “provar que o mensalão não existiu”. Convenhamos, pra ele e pro PT é bem melhor que a história seja registrada dessa maneira.

Publicidade

Enquete

Escolham os nomes dos dois mascotes olímpicos do Rio:

Ver Resultados

Loading ... Loading ...
Publicidade